Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/315927
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Interações Sargassum-epifitas-anfipodes herbivoros na região de Ubatuba, litoral norte do estado de São Paulo
Author: Jacobucci, Giuliano Buza
Advisor: Leite, Fosca Pedini Pereira, 1947-
Abstract: Resumo: Investigou-se neste estudo aspectos da interação macrófita-epífitas-anfípodes herbívoros em bancos de Sargassum spp. do litoral norte do Estado de São Paulo. Foi avaliada a relação da variação temporal de Sargassum filipendula e das algas epífitas com parâmetros ambientais locais como temperatura, sedimento, hidrodinamismo e nutrientes. A densidade dos anfípodes associados a S. filipendula foi registrada ao longo de doze meses visando-se relacioná-la às variações das algas. Um experimento com câmaras de exclusão foi utilizado para avaliar a influência de anfípodes ampitoídeos e hialídeos sobre S. filipendula e a epífita Hypnea musciformis. Os dados obtidos sugerem que a temperatura possa ser um fator restritivo ao crescimento de S. filipendula e que a variação da concentração de nitrito afetaria o desenvolvimento das epífitas. A correlação negativa entre as biomassas de S. filipendula e das epífitas indica que estas possam ter um efeito deletério sobre a alga que lhes serve de substrato. A densidade dos anfípodes é bastante variável ao longo do ano e deve estar relacionada às características particulares de história de vida de cada espécie. Os experimentos indicaram remoção significativa de H. musciformis pelos ampitoídeos. A influência do epifitismo na ocorrência das quatros espécies herbívoras Hyale nigra, Ampithoe ramondi, Cymadusa filosa e Sunampithoe pelagica foi avaliada comparando-se três praias e frondes distintas em cada uma das praias. Quantificou-se o consumo de Sargassum spp., H. musciformis, Dictyopteris delicatula e Dictyota cervicornis pelos anfípodes através de experimentos em laboratório. Notou-se uma relação direta entre a densidade dos anfípodes e a carga de epífitas das frondes de Sargassum spp. resultante, ao menos parcialmente, da utilização dessas algas como recurso alimentar. Diferenças de representatividade dos anfípodes entre praias não são devidas exclusivamente ao epifitismo e devem estar relacionadas a outros fatores como hidrodinamismo e poluição. Para se estimar o impacto em campo dos anfípodes sobre o desenvolvimento de Sargassum e suas epífitas caracterizou-se a estrutura populacional das espécies e quantificou-se o consumo de indivíduos de diferentes tamanhos. Os resultados obtidos indicam que os impactos de herbivoria causados por esses anfípodes ao longo do ano variam em função da espécie e do tamanho dos organismos

Abstract: This study examined macrophyte-epiphyte-herbivore amphipod interactions on Sargassum beds on northern shores of São Paulo state. The relationships among temporal fluctuations of Sargassum filipendula and its epiphytes with local environmental factors such as temperature, sedimentation and hydrodynamics were evaluated. Amphipod density was registered along twelve months and possible relations to algal fluctuations were analysed. An exclusion chamber assay was performed to assess ampithoid and hyalid amphipod grazing on S. filipendula and on its epiphyte Hypnea musciformis. The data obtained suggest that temperature can limit S. filipendula growth and that nitrite concentration on water affects epiphyte development. The negative correlations between S. filipendula and epiphyte biomass indicate possible detrimental effects on the host alga. Amphipod density variability is probably related to life history differences among species. The exclusion chamber experiment demonstrates significant grazing by ampithoids on H. musciformis. The epiphyte influence on the occurrence of herbivore amphipod Hyale nigra, Ampithoe ramondi, Cymadusa filosa e Sunampithoe pelagica was evaluated comparing three rocky shores and algal fronds from each Sargassum bed. Amphipod grazing on Sargassum spp., H. musciformis, Dictyopteris delicatula and Dictyota cervicornis was measured by laboratory feeding assays. The direct relationship observed between amphipod density and epiphyte load is probably related to the algal food value. Amphipod density differences among shores are not only due to epiphytism. Other factors such as hydrodynamics and pollution could be envolved. Field estimates of amphipod grazing on S. filipendula and its epiphytes were obtained describing the amphipod population structure and the grazing rates different size individuals. Results suggest that grazing impact over the year is a function of amphipod species and size
Subject: Interações biologicas
Ecologia costeira
Fauna marinha
Fital
Epífitas
Amphipoda
Herbivoro
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2005
Appears in Collections:IB - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Jacobucci_GiulianoBuza_D.pdf1.78 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.