Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/315816
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Estudos ecofisiologicos sobre o bicudo do algodoeiro, Anthonomus grandis Boheman, 1843 (Coleoptera : Curculionidae)
Author: Daza Arellano, Myriam del Carmen
Advisor: Andrade, Carlos Fernando Salgueirosa de, 1954-
Andrade, Carlos Fernando S. de
Abstract: Resumo: O bicudo do algodoeiro, Anthonomus grandis Boheman, é a praga mais importante da cultura do algodão nas Américas, causando grandes perdas econômicas no Brasil desde sua recente introdução. Neste trabalho, pretendeu-se relacionar a fenologia da planta de algodão e disponibilidade de recurso alimentício, com alguns parâmetros fisiológicos do inseto adulto. A cultura de algodão utilizada experimentalmente não teve o tratamento normal das culturas comerciais. Sem o uso de reguladores de crescimento, as plantas apresentaram moa fenologia particular com produção de estruturas reprodutivas (flores e frutos) até o mês de abril. De fato, observaram-se dois picos de produção de botões florais, insinuando-se inclusive a aparição de um terceiro. Em geral o ataque aos botões florais foi mais intenso do que aos frutos, tanto para as tentativas do bicudo em.ovipor como para se alimentar. No entanto quando da natural diminuição na abundância de botões florais nas plantas os bicudos utilizam mais os frutos. Quando comparados os níveis totais de ingestão de alimento (botões florais ou frutos), o bicudo mostrou um consumo de frutos significativamente maior. Apesar disso, observa-se uma ingestão maior de botões florais no primeiro pico de produção desta estrutura. Porém, durante o segundo pico de produção, apesar da presença mais abundante desta estrutura, a ingestão de frutos foi maior do que a de botões. Sugere-se uma adaptação das populações do bicudo ao desenvolvimento da cultura comercial de algodão, considerando-se que nessa época as plantas não apresentam produção de botões. Apesar da maior ingestão de frutos, os botões florais parecem ser o alimento mais apropriado, devido a que quando alimentados com eles os indivíduos conseguem armazenar como biomassa parte do ingerido. Quando alimentados só com frutos o armazenamento é quase nulo, inclusive até negativo, indicando utilização da biomassa armazenada previamente. Tais observações são confirmadas pela baixa taxa de crescimento relativo e baixa eficiência de conversão, tanto do alimento ingerido quanto do assimilado, apresentadas pelos indivíduos alimentados com frutos no Iaboratório. Independente do tipo de alimento consumido, o armazenamento como biomassa e produção de fezes foram baixos. Considerando-se ainda a elevada eficiência de assimilação do alimento ingerido, uma baixa taxa de crescimento relativo e uma baixa eficiência de conversão, tanto do alimento assimilado como do alimento ingerido, permite concluir que o bicudo constitui-se em inseto fortemente dissipador de energia. Característica mais intensa quando os bicudos alimentam-se com frutos. A variação no tempo da atividade respiratória dos bicudos coincide com a produção de botões florais no campo, sendo mais elevada quando a abundância deste recurso é maior, e reduzida quando este diminui. Quando submetidos à condição experimental de ausência de alimento ou água, os bicudos utilizaram a biomassa previamente armazenada. Quando esgotaram cerca de 41% da biomassa úmida disponível morreram. Assim, sua longevidade dependeu principalmente da velocidade de utilização desta biomassa. Além disso, observou-se que naqueles indivíduos que apresentaram maior longevidade, foi a redução da fração hídrica e não a perda de matéria orgânica que aparentemente determinou sua morte. Durante a entressafra no campo, o bicudo permanece num estado de baixa atividade respiratória, reduzida de 75% aproximadamente da apresentada quando o algodão está disponível. Igual redução foi observada e registrada em indivíduos mantidos sob condições de ausência de alimento e água no laboratório. Conclui-se que adultos que acumulam enquanto larva maiores reservas energéticas, diminuindo a atividade geral e evitando a perda de água, conseguiriam superar a ausência de plantas de algodão sem consumir alimento, sem entrar em diapausa e assim iniciarem as infestações a cada nova estação

Abstract: The boll weevil Anthonomus grandis Boheman is the most important cotton pest in Americas, causing high economic injury since its recent introduction in BraziI. The present work aimed to correlate the cotton plant phenology and the availabiIity of alimentaty structures with some physiological parameters of the aduIt boll weevil. The experimental cotton field studied in the present work was not subjected to common agricultural practices. In the absence of plant growth regulators, the cotton plants showed a particular phenology with reproductive structures (flowers and fruits) occuning until april. In fact, two peaks of flower buds production were observed and a third one was insinuated. Attack to squares was generally greater than that to fruits, in the boll weevil attempts to oviposition as well as to consumption. The boll weevil utilize on the other hand more fruits when the amount of squares is naturally reduced in the cotton plants. When the total amount of food (squares or fuits) was compared, the boll weevil showed to ingest significativelly more fruits. Despite this, it can be observed a higher ingestion of squares by the time of the first peak of squares production. During the second peak of squares production on the other hand, and despite its relative high abundance, the consumption of fruits was greater than that upon squares. An adaptation of the boll weevil populations to the commercial cotton plants timing is suggested, considering that at this time the plants do not present squares production. Even so the ingestion of fruits was greater, it seens that the consumption of squares consists in a more proper food. When fed with squares the boll weevil was able to store as biomass part of the ingested. When only fed with fruits the storage was almost null, or even negative, denoting the use of previously stored biomass. The present observations can be confirmed by a low relative growth rate and a low convertion efficiency for both ingested and assimilated food, when boll weevil was fed under laboratory conditions with fruits. Unrelated to the tipe of food resource, biomass storage and feces production were low. Considering in adition a high assimiIation efficiency of the ingested food, a low relative growth rate and low convertion efficiency, for both ingested and assimilated food, it can be concluded that the boll weevil is a strongly energy dissipating insect. Such trait being stronger when the boll weevil fed upon fruits. The variation in time of the boll weevil breathing activity was coincidental to the squares production in the field being greater when such alimentary resource was more abundant and lower when the resource decrease. The boll weevil showed to use previously stored biomass when subjected to the experimental absence of food or water. The insect died when around 41 % of its wet biomass was depleted. The observed longevity was so mainly dependent upon the rate of biomass utilization. Moreover, it was observed in individuals showing the greater longevity, that death was due to the hydric portion depletion instead of organic matter depletion. In the between-season period, the boll weevil remain in a low breathing activity state, reduced from 75% from that showed when cotton plants are available. An equal reduction was observed and reccorded in individuals maintened under laboratory conditions without food and water. It can be concluded that adults accumulating as larvae more energetic resources, lowering general activity and avoiding loss of water would be able to overcome the absence of cotton plants starving, not diapausing and thus initiating infestations each new season
Subject: Ecofisiologia
Estimativa de parâmetro
Eficiência alimentar
Respiração
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 1995
Appears in Collections:IB - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
DazaArellano_MyriamdelCarmen_D.pdf5.87 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.