Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/315500
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Relações hídricas de duas coníferas tropicais
Title Alternative: Water relations of two tropical conifers
Author: Müller, Caroline Signori, 1988-
Advisor: Oliveira, Rafael Silva, 1974-
Abstract: Resumo: Diversos modelos climáticos predizem mudanças no regime hídrico e secas extremas nos mais variados ecossistemas, dentre esses, as florestas tropicais nebulares (FTNs), que são apontadas como ambientes sensíveis às mudanças no clima. Nas FTNs a frequência e intensidade de neblina são determinantes na composição da vegetação. As predições são de que o aquecimento terrestre causará um deslocamento da área atual de ocorrência de neblina para altitudes maiores, acima da maioria das FTNs do mundo. Com diminuição da neblina nesses ambientes é provável que ocorra um aumento da evapotranspiração e estresse hídrico da vegetação, podendo haver mortalidade das plantas. Em nosso estudo investigamos as relações hídricas de duas coníferas que ocorrem em FTNs A. angustifolia e P. lambertii, além disso avaliamos se o ponto de perda de turgor (?tlp) é um bom preditor de mortalidade para essas espécies. Para compreendermos os efeitos da neblina no status hídrico de A. angustifolia avaliamos duas populações em altitudes diferentes, sendo elas, montanha (1950 m) e vale (1500 m). Os indivíduos localizados na montanha mantiveram potenciais hídricos menos negativos do que os localizados no vale, durante todo o período de monitoramento. Conduzimos um experimento em casa de vegetação para avaliar a resistência a seca de A. angustifolia e P. lambertii. Também avaliamos a importância da absorção de água da neblina pelas folhas (AAF) e do aporte hídrico diretamente no solo na recuperação do status hídrico dessas espécies depois de submetidas à secas em que seu potencial hídrico foliar (?Folha) chegou ao ponto de perda de turgor (?tlp). As duas espécies apresentaram diferentes estratégias de manutenção do status hídrico, A. angustifolia foi mais resistente à seca, sobrevivendo por até 17 semanas de seca P. lambertii sobreviveu a 12 semanas de seca, no entanto, esta espécie apresentou maior capacidade de manutenção do ?Folha quando a única fonte de água foi à neblina. O ?tlp foi um bom preditor de mortalidade para essas duas espécies

Abstract: Several climate models predict changes in the water regime and extreme droughts in a wide variety of ecosystems. Among these ecosystems, there are the tropical montane cloud forests (TMCFs), pointed as sensitive environments to climate changes. Frequency and intensity of fog are crucial to the composition of vegetation in TMCFs. Predictions are that global warming will cause a shift in fog occurrence from the current area to higher altitudes, above most TMCFs in the world. With the fog decrease in these areas it is likely to occur an increase in the evapotranspiration and water stress of the vegetation, which may result in plant mortality. In this research we look into water relations of two conifers that occur in TMCFs, A. angustifolia and P. lambertii. Furthermore, it is evaluated if the turgor loss point (?tlp) is a good mortality predictor for these two species. To comprehend the fog effects in A. angustifolia's water status we evaluate two populations in different altitudes: mountain (1950m) and valley (1500m). Individuals located in the mountain kept water potentials less negative than the ones located in the valley throughout the monitoring period. An experiment was conducted in greenhouse to evaluate the resistance to drought of A. angustifolia and P. lambertii. Were also evaluated the importance of fog water uptake by leaves (LWU) and of water input directly into the ground in the water status recovery of the species after being subjected to drought in which their leaf water potential (?Leaf) reached the turgor loss point (?tlp). Both species presented different strategies of water status maintenance. A. angustifolia was more resistant to drought, surviving for up to 17 weeks of it, while P. lambertii survived for 12. However, P. lambertii showed higher capacity of ?Leaf maintenance when the only source of water was fog. Turgor loss point was a good mortality predictor for these two species
Subject: Potencial hídrico
Ponto de perda de turgor
Pinheiro-do-paraná
Podocarpus lambertii
Floresta nebular
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2015
Appears in Collections:IB - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Muller_CarolineSignori_M.pdf1.36 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.