Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/315494
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: As florestas montanas da Reserva Florestal do Morro Grande, Cotia (São Paulo, Brasil)
Title Alternative: The montane forests of the Morro Grande Forest Reserve, Cotia (São Paulo State, Brazil)
Author: Catharino, Eduardo Luis Martins
Advisor: Kageyama, Paulo Yoshio
Abstract: Resumo: A Reserva Florestal do Morro Grande localiza-se em Cotia, SP, Brasil, no Planalto de Ibiúna, nos rebordos do Planalto Paulistano, aproximadamente entre os paralelos 23o35 -50 S e 46o50 - 47ºWG. Situada entre cerca de 850-1.050 m de altitude, mantém importante manancial d água da metrópole paulistana e cerca de 10.000 ha de florestas em um grande mosaico sucessional. A maior parte da região possui embasamento cristalino, com xistos e gnaisses pré-cambrianos. Possui atualmente clima temperado com inverno menos seco (Cfb, Köppen), estando localizada em transição climática oceano-continente, nas bordas da bacia terciária de São Paulo. Segundo alguns autores, a região foi recoberta originalmente por florestas atlânticas mistas com pinheiro-do- Paraná. Para outros, faz parte do complexo interiorano da floresta estacional semidecidual. O presente trabalho teve como objetivos gerais caracterizar a RFMG e caracterizar fitogeograficamente as florestas regionais, como subsídios ao seu zoneamento, e como objetivos específicos: i) levantar a composição principal do estrato arbóreo das florestas da Reserva; ii) comparar as florestas secundárias e maduras existentes; iii) verificar as séries sucessionais da regeneração secundária tardia e possíveis espécies indicadoras dos diferentes estágios; iii) servir de testemunha para comparações com fragmentos florestais em áreas contíguas; iv) inferir sobre a importância da conservação das áreas florestais da RFMG. A floresta foi amostrada aplicando o método de pontos quadrantes. Amostraram-se 2.400 árvores em seis diferentes locais. Em cada local amostrou-se 400 árvores em quatro blocos de 25 pontos-quadrante ou 100 indivíduos, distantes 200 m uns dos outros. Três das áreas escolhidas foram localizadas em regiões de florestas secundárias e outras três buscando trechos de florestas maduras, com menor evidência de perturbações antrópicas recentes ou mais conservadas. Foram abertas duas picadas em cada área, totalizando 12 picadas de amostragem, seis em áreas predominantemente secundárias e seis em áreas predominantemente originais ou aparentemente menos degradadas. Posteriormente à escolha das áreas efetuou-se mapeamento da vegetação da Reserva evidenciando-se o mosaico sucessional e as taxas de cobertura de vegetação secundária em estágio médio/avançado ou avançado/primitivo. Os resultados revelaram diferenças entre as áreas e blocos amostrados, relacionadas às alterações antrópicas passadas, realçando a presença de áreas secundárias em estádio médio-avançado e áreas maduras, embora em porções restritas da RFMG. Das 260 espécies arbóreas encontradas, 12 foram amostradas nas seis áreas. A riqueza encontrada foi alta quando comparada a outros levantamentos. Os índices de diversidade de Shannon (H ) situaram-se entre os maiores para as florestas paulistas: 4,75 nats/ind. para a amostragem total; 4,25 para as três áreas secundárias; e 4,54 para as três áreas maduras. A amostra estratificada permitiu verificar a variação interna da floresta, revelando diferenças em riqueza e abundância entre as áreas e os blocos de amostragem, em particular diferenciando as áreas secundárias e maduras, realçadas pelas análises de agrupamento e ordenação. A DCA mostrou-se útil na detecção de espécies características dentro do gradiente sucessional. A floresta pode ser classificada como Floresta Ombrófila Densa Montana atlântica, com presença de espécies de florestas mistas, estacionais semideciduais e cerradão, o que parece confirmar a existência, no local, de um antigo refúgio alto-montano sob condições de climas mais secos no passado, assim como o caráter ecotonal das florestas da região. A riqueza e mistura de elementos de várias floras denotam a importância da conservação da RFMG. Espera-se que este trabalho possa contribuir para o entendimento da flora regional e a conservação da diversidade biológica, fornecendo subsídios para o estabelecimento do plano de manejo da RFMG, além de servir como base em considerações de cunho fitogeográfico e ecológico sobre as florestas do Planalto Paulistano e de Ibiúna

Abstract: The Morro Grande Forest Reserve is located in the municipality of Cotia, state of São Paulo, Brazil, in the Ibiúna Plateau, on the borders of the Paulistano Plateau (ca. 23o35 -50 S and 46o50 - 47ºWG). The Reserve protects an area of 10,000 ha of forest formed by patches of varying successional stages, in an altitude that ranges between 850-1.050 masl. The Reserve is also an important water source for the city of São Paulo. Most of the region is on crystalline basement, with per-Cambrian schist and gneisses. The Reserve is in the ocean-continent climatic transition, in the borders of the tertiary basin of São Paulo, and the local climate is temperate with less dry winter (Cfb, Köppen). According to some authors the region was originally occupied by mixed Atlantic Forest with Araucaria angustifolia. Other authors consider the region part of a seasonal semi deciduous forest complex. This study had the main objective of characterizing the Reserve and the regional forests. Specific objectives were: i) study the tree species composition; ii) compare the old-growth forest patches with successional patches; iii) study late successional stages and characteristic species of different stages; iii) work as a basis for comparison with smaller forest fragments in the region; iv) discuss the importance of the Reserve as a preservation area. Sampling was done using the quadrant method. Two thousands and four hundred trees were sampled in six different sites. In each site four hundred trees were sampled in four blocks of 25 quadrant points or one hundred trees, with 200 m from neighboring blocks. Three sites were located in second growth forest patches while three were located in mature patches. The vegetation was then mapped howing the different successional patches. Results showed differences in sites and blocks, related to human past disturbances. Two hundred and sixty species were found, twelve of them in all six sites. The forest was found to be very species rich. Shannon index (H ) for the different sites was ound to be among the highest for the forest of the state: 4,75 nats/ind. for the Reserve; 4,25 for the hree second growth sites; and 4,54 for the mature sites. Stratified sampling showed the diversity within the forest, showing differences in richness and abundance between sites and blocks, and pecially showing the difference between second growth and mature sites, highlighted by grouping analyses and ordination. A DCA showed the characteristic species within the successional gradient. The forest can be considered as Ombrophyllous Dense Montane Forest, with some species from mixed and seasonal semi deciduous forests and cerradão, which suggests the region as an old high montane refuge under a past drier climate, as well as an ecotone character. The species diversity and the mixture of species of different forest types show the importance of the conservation of the Reserve. This work contributes to the understanding of the regional flora and to biodiversity conservation, to the development of a management plan for the Reserve, and to the understanding of the phytogeographic and ecologic aspects of the Ibiúna and Paulistano Plateaus
Subject: Diversidade biologica - São Paulo (Estado)
Fitogeografia - São Paulo (Estado)
Áreas protegidas
Mata Atlântica
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2006
Appears in Collections:IB - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Catharino_EduardoLuisMartins_D.pdf11.16 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.