Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/315459
Type: TESE
Title: Papel da alantoina na nutrição nitrogenada e resposta antioxidativas de celulas de cafe em suspensão
Author: Filippi, Silvia Balbão
Advisor: Mazzafera, Paulo, 1961-
Abstract: Resumo: Foi usada células de café em suspensão como modelo para estudar o papel de alantoína na nutrição nitrogenada e o efeito de estresses abióticos sobre enzimas antioxidativas em café. Vários trabalhos têm relatado a importância dos ureídeos como fonte de nitrogênio em algas e leveduras. No entanto, sabendo-se que alantoína é uma fonte de nitrogênio em plantas fixadoras de N2, quase não há informações sobre a mesma função em plantas vasculares que não fixam N2. Assim, no primeiro capítulo verificou-se o papel de alantoína na nutrição nitrogenada em café, uma vez que esta planta acumula este ureídeo e ácido alantóico como produtos oriundos da degradação de cafeína. Apesar de absorvida pelas células, alantoína pouco contribui para o crescimento celular. Em todas as análises efetuadas ficou evidente a incapacidade das células em adaptarem seu metabolismo a esta fonte de nitrogênio. Assim, parece que por si só, alantoína provocou algum tipo de desbalanço metabólico. Ácido Oxônico (AOX) foi usado para inibição de uricase, a enzima que produz alantoína a partir de ácido úrico, mas mostrou-se tóxico na ausência de alantoína. Porém, em alguns casos com alantoína no meio de cultivo, parece ter ocorrido algum tipo de interação entre inibidor e ureídeo, mudando o metabolismo de maneira bastante diferente ao observado com o inibidor, mas sem alantoína no meio. Isto talvez possa ter ocorrido devido a redução acentuada de AOX no meio de cultivo, porém, como não foi analisado o seu teor nas células não podemos inferir que este inibidor tenha sido degradado de fato. Portanto, concluímos que alantoína tem papel pouco importante na economia de nitrogênio em células de café. A atividade e expressão de genes que codificam enzimas antioxidativas podem sofrer alterações mediante condições ambientais desfavoráveis. Assim, no segundo capítulo, foram investigadas as alterações na atividade específica de algumas enzimas antioxidativas em células de café em suspensão mediante várias condições de estresse abióticos. Os resultados obtidos foram confrontados com a ocorrência de seqüências semelhantes de ESTs de café (projeto Genoma Café) obtidos através de ¿Northen eletrônico¿. Diferentes respostas foram observadas em relação às atividades de enzimas antioxidativas em células de café em suspensão dependendo do tipo de estresse abiótico imposto. No entanto, pode ser validado o uso de células em suspensão como um modelo para o estudo do efeito de estresses abióticos sobre o sistema de defesa antioxidativo em café

Abstract: Cellular suspension of coffee was used as model to study the role of allantoin in nitrogen nutrition of coffee and the effect of abiotics stress on antioxidant enzymes in coffee. Some studies have reported on the importance of the ureides as nitrogen source in algae and yeast. However, knowing that allantoin is a nitrogen source of N2-fixing plants, information is scare on the same function in plants that do not fix N2. Thus, in the first chapter the role of allantoin in the nitrogen nutrition of coffee was verified, in view of the fact that this plant accumulates ureides and allantoic acid as products derived from the catabolism of caffeine. Although absorbed by the cells, allantoin contributes little to cellular growth. In all the analyses carried out the incapacity of the cells to adapt their metabolism to this nitrogen source was evident. Thus, it seems that alone, allantoin provoked some type of metabolic alteration. Oxonic acid (AOX) was used to inhibit uricase, the enzyme that produces allantoin from uric acid, but was found to be toxic in the absence of allantoin. However, in some cases with allantoin in the culture medium, it seems that some type of interaction occurred between inhibitor and the ureide, changing the metabolism in a different way to that observed with inhibitor, but without allantoin in the medium. Perhaps this is related to the fact that AOX was strongly reduced in the culture medium, however, as its levels in the cells was not analyzed, it cannot be inferred that it was in fact degraded of fact. Therefore, we conclude that allantoin is of little importance in the nitrogen economy of coffee cells. The activity and expression of genes that codify antioxidant enzymes can suffer alterations by means of adverse ambient conditions. Thus, in the second chapter, the alterations in the specific activity of some antioxidative enzymes were investigated in cells of coffee in suspension in relation to several abiotc stress conditions. The results were confronted with the occurrence of identical sequences of ESTs of coffee (Genome project Coffee) taken from ¿Northen electronic¿. Different responses were observed in relation to the activities of antioxidative enzymes in cells of coffee in suspension depending on the type of abiotc stress abiotic applied. However, the use of cells in suspension can be validated as a model for the study of the effect of abiotic stress on the antioxidative system of defense in coffee
Subject: Café
Nitrogênio
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2004
Appears in Collections:IB - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Filippi_SilviaBalbao_D.pdf409.49 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.