Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/315410
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Biologia da polinização em campos de altitude no Parque Nacional da Serra da Bocaina, SP
Author: Freitas, Leandro
Advisor: Sazima, Marlies, 1944-
Abstract: Resumo: Este estudo apresenta informações sobre a biologia da polinização em uma área de campos de altitude no estado de São Paulo. Campos de altitude são formações frias e úmidas com vegetação aberta, as quais ocorrem nas partes mais altas das serras costeiras do sudeste e sul do Brasil. Atributos florais e a fenologia de floração foram registrados em 124 espécies pertencentes a 37 famílias e os agentes de polinização foram determinados em 107 destas espécies. Flores pequenas que secretam néctar predominaram na comunidade. Abelhas e vespas, seguidas por sirfideos, foram os principais agentes polinizadores da comunidade, sendo que a maioria das espécies foi polinizada por mais de um grupo funcional. As tendências gerais das interações planta-polinizador nos campos estudados se assemelham àquelas em ecossistemas com afinidades biogeográficas, tais como o "morichal" venezuelano, campos cerrados e campos rupestres. Entretanto, o grau de generalização dos sistemas de polinização tende a ser mais elevado nos campos de altitude em comparação com estes outros ecossistemas, o que reflete a predominância de espécies da família Asteraceae na área estudada. A polinização por diversos agentes (sistemas de polinização generalista) pode ser vantajosa para plantas de campos de altitude, devido às condições climáticas severas que se refletem nas baixas taxas de visitação de polinizadores às flores. Este estudo é complementado por estudos de caso com três espécies típicas dos campos de altitude. A biologia floral e a polinização por abelhas do gênero Anthrenoides (Andrenidae) em Viola cerasifolia (Violaceae) foi estudada. A produção de néctar foi escassa e polem constituiu o principal recurso floral desta espécie, diferindo assim das flores de néctar que predominam entre espécies boreais do gênero. O segundo caso trata do padrão de florescimento diário e da polinização por moscas Syrphidae em Sisyrinchium vaginatum (Iridaceae). As flores duraram de _ a quatro dias, porém fechavam ao [mal de cada dia e voltavam a abrir no dia seguinte. As flores não secretam óleo como em outras espécies do gênero. Sirfideos e, em menor grau, abelhas pequenas em busca de polem polinizaram esta espécie. Por último, a produção de néctar das flores polinizadas por beija-flores de Esterhazya macrodonta (Scrophulariaceae) foi estudada. O néctar é produzido continuamente nos três primeiros dias da flor que dura cinco-seis dias. A remoção de néctar afeta a sua secreção e isto parece estar ligado à baixa taxa de visitação às flores pelos beija-flores. Palavras-chave: abelhas, beija-flores, biologia floral, biologia da polinização, campos de altitude, Esterhayia, fenologia, Mata Atlântica, moscas, Sisyrinchium, vespas, Viola

Abstract: Here we studied the pollination biology in high altitude grasslands at São Paulo State, southeastern Brazil. These grasslands are a series of cool/humid, grass-dominated formations, which are restricted to the highest parts of the coastal mountain ranges in southern-southeastern Brazil. We registered floral traits and flowering phenology for 124 species in 37 families. Pollinators were determined in 107 of these species. Small nectar-secreting flowers dominated in the community, and bees and wasps, followed by hoverflies, were the most important pollinator groups. Most plant species were pollinated by two or more pollinator groups. The general trends of the plant-pollinator interactions in these grasslands resemble results from some biogeographic-connected ecosystems, such as the Venezuelan "morichal", and the Brazilian "campos cerrados" and "campos rupestres". But the degree of generalization in the pollination systems at the grasslands here studied is higher than in these other ecosystems, reflecting the dominance of Asteraceae species in the study area. Pollination by several agents may be advantageous for plants of the high altitude grasslands, due to the harsh climatic conditions and the low visitation rates of pollinators to the flowers in this habitat. This study is completed by study cases involving three typical species of these grasslands. We studied the floral biology of Viola cerasifolia (Violaceae) and its pollination by Andrenidae bees of the genus Anthrenoides. Nectar secretion was poor, and pollen was the chief floral resource in this species, which differs from nectar- flowers of the boreal species of this genus. The second case reports the daily blooming pattern of Sisyrinchium vaginatum (Iridaceae) and its pollination mainly by Syrphidae flies. Flowers lasted one to four days, but they closed at the end of the day, to re-open in the following day. Flowers do not bear oil-secreting glands as other species in the genus. Hoverflies - and in a minor degree small bees - in search of pollen pollinated this species. At last, we studied the nectar production of the hummingbird-pollinated flowers of Esterhazya macrodonta (Scrophulariaceae). Nectar was continuously secreted for the first three days of flower lifetime (five-six days). Nectar removal negatively affected its production, and this seems to be related to the low floral visitation rates by the hummingbirds. Key words: AtIantic Forest, bees, Esterhayia, flies, floral biology, high altitude grasslands, hummingbirds, phenology, pollination, Sisyrinchium, Viola, wasps
Subject: Comunidade
Polinização
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2002
Appears in Collections:IB - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Freitas_Leandro_D.pdf9.54 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.