Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/315007
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Tamanho, forma, alometria e crescimento em algumas especies de cecropia (Cecropiaceae) do Brasil
Author: Sposito, Tereza Cristina Souza
Advisor: Santos, Flavio Antonio Maës dos, 1958-
Abstract: Resumo: Tamanho, forma, alometria e crescimento foram estudados em algumas espécies de Cecropia, da região Sudeste do Brasil e da Amazônia, e estão apresentados em três capítulos. Os padrões arquiteturais e relações alométricas de oito espécies de Cecropia estão descritos nos capítulos 1 e 2. Cinco espécies amazônicas, C. concolor, C. palmata, C. purpurascens, C. ulei e C. sciadophylla, foram estudadas em Manaus (AM). Três espécies do Sudeste do Brasil, Cecropia glaziovii, C. pachystachya e C. hololeuca foram estudadas em Unhares (ES). As espécies são mirmecófitas, com exceção de C. hololeuca e C. sciadophylla. Para o estudo da arquitetura das árvores foram tomadas as medidas de altura, diâmetro, altura da primeira ramificação, número de ramos e folhas, área foliar, comprimento do entrenó e taxa de ramificação. Tanto na Amazônia como no Sudeste, o tamanho e os padrões arquiteturais formam um gradiente de áreas abertas para florestas. Cecropia hololeuca e C. sciadophylla, as espécies de floresta, tiveram arquitetura similares, com altura em tomo de 20-25 m, taxas de ramificação menores, e área foliar maior. Cecropia concolor e C. pachystachya tiveram até 13 m de altura, com área foliar menor, sendo típicas de habitats abertos. As outras espécies ocuparam as bordas de floresta e são intermediárias entre estes dois extremos. As relações alométricas entre diâmetro e altura, e características da copa e altura, foram analisadas através de regressões das variáveis transformadas em logaritmo. Foram testados três modelos de design mecânico ótimo: similaridade elástica, geométrica e estresse constante. As espécies de Cecropia estudadas estão mais próximas da similaridade geómetrica. As espécies diferiram nas relações diâmetro-altura considerando a amplitude total de alturas, mas a maioria delas não apresentou diferenças entre indivíduos ramificados e não ramificados. De maneira geral, as relações entre a copa e altura das árvores foram similares. O número de ramos e folhas tiveram alguma variação entre as espécies, relacionadas ao inicio do processo de ramificação. A área foliar total apresentou uma relação alométrica constante, embora os interceptos das regressões tenham diferido de acordo com a área foliar das espécies. O crescimento e a longevidade foliar em plantas jovens das três espécies do Sudeste, e foi estudado em Nova Lima, MG, durante um ano. Cecropia glaziovii e C. pachystachya produziram mais entrenós durante o ano do que C. hololeuca. Os valores máximos do incremento em altura e diâmetro foram maiores nas duas espécies mirmecófilas do que em C. hololeuca, mas não houve diferença significativa entre as medianas das espécies. O número de entrenós produzidos no ano e o incremento em altura foram positivamente correlacionados com a pluviosidade mensal para todas as espécies. A taxa de emergência de folhas foi maior nas espécies mirmecófilas do que em C. hololeuca. A taxa de mortalidade foi maior para as folhas de C. glaziovii do que para as outras duas espécies. As folhas de C. hololeuca e C. pachystachya duraram mais tempo (± 7 meses) do que as folhas de C. glaziovii (± 4 meses). A análise da arquitetura e alometria das oito espécies de Cecropia mostrou que, mesmo num grupo de espécies consideradas tipicamente pioneiras, ocorrem variações morfológicas que estão relacionadas à ocorrência destas espécies em gradientes de luminosidade. As diferenças encontradas no estudo do crescimento e da produção de folhas das três espécies podem ter influência na ocorrência de formigas nestas espécies

Abstract: Size, form, allometry and growth were studied in some Cecropia species, from Amazonian and Southeastern BraziI. Architectural patterns and scaling of stem and crown was studied in five Amazonian species: Cecropia concolor, C. palmata, C. purpurascens, C. ulei and C. sciadophylla, in Manaus (AM); and in three Southeastern species Cecropia glaziovii, C. hololeuca and C. pachystachya, in Linhares (ES). The species are myrmecophytes except C. hololeuca and C. sciadophylla. Height, diameter, height of first branching, number of branches, number of leaves, total leaf area, internode length and bifurcation ratio were measured for undamaged trees. In both areas, size and architectural characters are displayed as a gradient from open habitats to forest. Forest-inhabiting C. hololeuca and C. sciadophylla had similar architectures, with low bifurcation ratios, and big leaves. Cecropia concolor and C. pachystachya measure up to 13 m in height with smaller leaves and occur typically in open habitats. The remaining species occupy forest margins and are intermediate between these two extremes. The scaling relationships were studied with log-transformed variables and regressed on height. Three models of optimal mechanical designs of trees - elastic, constant stress and geometric similarity were tested for Cecropia. None of the models can totally describe Cecropia, but geometric similarity was a close approximation. Species differ significantly in diameter-height relationships. Most of species did not vary in diameter-height relationships between unbranched and branched individuaIs. The crown-height relationships of species studied were similar. Numbers of branches and leaves showed some variation among species and are related to height of first branching. Total leaf area had a constant allometric relationship for species, although regression intercepts differed according to species leaf areas. The growth and leaf longevity of saplings of the three southeastern species was studied during one year, in Nova Lima, MG. Cecropia glaziovii and C. pachystachya produced more internodes.yr-1 than C. hololeuca. Maximum values of height and diameter increments were higher for the two myrmecophytes than the non-myrmecophyte C. hololeuca, but medians did not differed significantly. Internodes.yr-1 and height increment was positively correlated with monthly rainfall for the three species. Leaf emergence was higher in myrmecophytic species. Leaf mortality was higher for C. glaziovii leaves than for the other species. Leaf longevity of C. hololeuca and C. pachystachya was higher (±7 months) than that of C. glaziovii (±4 months). Architectural and allometric analysis of the eight Cecropia species, showed that, although they are considered typical pioneer trees, morphological variation founded could be related to light gradient occupation of species. Differences found in growth and leaf longevity of the three species could influence ant occupation of species
Subject: Árvores - Crescimento
Mutualismo (Biologia)
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 1999
Appears in Collections:IB - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Sposito_TerezaCristinaSouza_D.pdf3.71 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.