Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/314987
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Estrutura de abundancia de um trecho na floresta estacional semidecidua no municipio de Campinas, estado de São Paulo : mata ribeirão cachoeira
Author: Cielo Filho, Roque
Advisor: Martins, Fernando Roberto, 1949-
Abstract: Resumo: Em um trecho da Floresta Estacional Semidecídua (Mata Ribeirão Cachoeira, Campinas SP), foram detenninadas a precisão e suficiência amostral da estimativa dos parâmetros fitossociológicos usuais e identificados os fatores que influenciam na precisão. As implicações do erro amostral na análise visual do rol de abundância foram discutidas. As distribuições de abundância desta, e de outras 5 comunidades arbóreas tropicais, foram testadas contra as distribuições geradas por quatro modelos matemáticos: série geométrica, série logarítmica, nonnal logarítrnico e vara quebrada ("broken stick"). O objetivo foi avaliar as relações estabelecidas empiricamente entre esses modelos com equilíbrio e riqueza elevada (nonnal logaritmico), estresse, perturbação e baixa riqueza (série logaritrnica e série geométrica) e a inadequação do modelo da vara quebrada para vegetação. Outras características comunitárias (concentração de dominância e equabilidade), também foram avaliadas neste sentido. Em uma área de 6,474 ha na Mata Ribeirão Cachoeira, foram instaladas, aleatoriamente, 100 parcelas de 10 x 10m, e estimados os parâmetros de densidade, dominância, freqüência e IVI das espécies arbóreas (critério de inclusão de 5 cm de diâmetro à altura do peito). Para as espécies com cinco ou mais indivíduos, foi calculado o erro amostral dessas estimativas e o número de parcelas necessárias para não ultrapassar um erro amostral de 20%. A avaliação das relações entre os modelos de distribuição de abundância, concentração de dominância e equabilidade com riqueza, estresse e perturbação levou em consideração dados de abundância de quatro levantamentos de Florestas Estacionais Semidecíduas (duas em bom estado de conservação e duas perturbadas por fogo), e duas Florestas Higrófilas (estresse anaeróbico), todas de uma mesma região. A freqüência é o descritor que apresentou a maior precisão, enquanto a menor precisão coube à dominância. A precisão das estimativas da densidade, freqüência e dominância é influenciada pelo número de indivíduos amostrados e padrão espacial das espécies; a da dominância é influenciada, adicionalmente, pela variação da área basal entre indivíduos; e a do M, por todos esses fatores combinados. Com base na literatura e dados apresentados sugere-se um esforço amostral mínimo de 110 parcelas de 10 x 10m para estimativa de parâmetros fitossociológicos em Florestas Estacionais Semidecíduas. Com exceção de Esenbeckia leiocmpa não foi possível diferenciar as posições das espécies no rol de abundância, o que invalida as comparações entre esta e outras comunidades com base na posição ocupada pelas espécies no rol, ou entre espécies dentro da comunidade. Os modelos de distribuição de abundância não apresentaram relações consistentes com riqueza, perturbação ou estresse, enquanto a concentração de dominância foi maior nas comunidades submetidas a estresse e perturbação. O modelo da vara quebrada não ajustou para nenhuma comunidade. Nossos resultados sugerem que estes modelos de distribuição de abundância não são apropriados, ou pelo menos não são as melhores ferramentas, para detectar padrões relacionados à riqueza, estresse ou perturbação em comunidades arbóreas tropicais

Abstract: In a stand ofthe Semi-deciduous Forest (Mata Ribeirão Cachoeira, Campinas - SP), the precision, the sampling suíficiency and the factors that influence the precision ofthe estimate of the usual phytosocioIogical parameters were investigated. The implications of the sampling error to the visual analysis of the abundance rank were discussed. The abundance distributions of this, and of other five tropical arboreal communities, were tested against the distributions generated by four mathematical models: geometric, log-series, lognormal and broken stick. The objective was to evaIuate the relationships established empirically among those models with equilibrium and high richness (lognormal), stress, disturbance and low richness (logseries and geometric) and the inadequacy of the broken stick mo deI for vegetation. Other community characteristics (dominance concentration and evenness), were also evaluated in this sense. In an area of6,474 ha of the Mata Ribeirão Cachoeira, one-hundred 10 x 10m plots were randornIy located. The density, dominance, frequency and M parameters were estimated for the arboreal species (trees PBH _ 15 cm) and, for those with five or more individuaIs, the sampling error of those estimates and the number of plots necessary for not exceed a sampling error of 20% were calculated. The evaluation of the relationships among the rnodels of abundance distribution, dominance concentration and evenness with richness, stress and disturbance took into consideration data of abundance of four surveys in Semi-deciduous Forests (two in good conservation state and two disturbed by fire), and two Hygrophyllous Forests (anaerobic stress), all in the same region. Frequency is the parameter that presented the largest precision, while the smallest precision was that of the dorninance. The estimate' s precision of the density, frequency and dominance is influenced by the number of sampled individuaIs and spatial partem of the species; the one of the dominance is influenced, additionally, by the variation of the basal area among individuaIs; and the one ofIVI, for all those combined factors. A number of 110 sample units of 1 O x 10m seems a good general recommendation for phytosocio1ogical surveys ofthe Semi-deciduous Forest. Except for Esenbeckia leiocarpa it is not possib1e to differentiate the positions of the species in the abundance rank, what invalidates the comparisons among these and other communities based in the position occupied by the species in the rank, or among species into the community. The mode1s of abundance distribution did not present consistent re1ationships with richness, disturbance or stress, while the dominance concentration was 1arger in communities submitted to stress or disturbance. The broken stick model did not fitted for any community. Our resu1ts suggest that these mode1s of abundance distribution are not appropriate, or at least not the best too1s, for detection of pattems related to richness, stress or disturbance in tropical tree communities
Subject: Comunidades vegetais
Estimativas
Diversidade biológica
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2001
Appears in Collections:IB - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
CieloFilho_Roque_M.pdf5.98 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.