Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/314633
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Dor, estresse e qualidade de vida em mulheres com endometriose : avaliação der um protocolo de intervenção
Title Alternative: Pain, stress and life quality in women with endometriosis : evaluation of an intervention protocol
Author: Petrelluzzi, Karina Friggi Sebe
Advisor: Spadari-Bratfisch, Regina Celia, 1952-
Abstract: Resumo: Estresse é a resposta do organismo a estímulos reconhecidos como ameaças à sua integridade. O estímulo doloroso é potencialmente capaz de atuar como estressor físico, químico e psicológico, desencadeando a reação de estresse. A endometriose é uma patologia caracterizada por sintomatologia dolorosa crônica na região pélvica, que pode causar prejuízo na qualidade de vida, além de provocar um estado de estresse prolongado, com estímulo constante sobre o eixo hipotálamo-hipófise-córtex adrenal. O cortisol é o principal glicocorticóide em humanos e sua concentração plasmática e/ou salivar é um dos indicadores fisiológicos do estresse. Objetivou-se avaliar a intensidade da dor, o estresse e a qualidade de vida em mulheres com endometriose, e verificar se o protocolo de intervenção psicológico e fisioterapêutico em uso no Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (CAISM) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), resultaria em diminuição da dor e do estresse, e em melhora da qualidade de vida, nestas mulheres. Três grupos foram avaliados: mulheres sem endometriose (n=82), mulheres com endometriose que não participaram do protocolo de intervenção (n=67) e mulheres com endometriose submetidas ao protocolo (n=26). A dor foi quantificada por meio da Escala Visual Analógica, o estresse foi avaliado pelo Questionário de Estresse Percebido e pela determinação da concentração salivar de cortisol e a qualidade de vida foi avaliada por meio do Questionário de Qualidade de Vida Forma Abreviada ¿ 36, sendo que as mulheres com endometriose submetidas ao protocolo de intervenção foram avaliadas antes e após todo o tratamento. Os resultados demonstraram que as mulheres com endometriose apresentaram maior estresse percebido e pior qualidade de vida comparada ao grupo controle. A concentração salivar de cortisol, nas mulheres com endometriose, às 8h e às 20h foram inferiores à das mulheres sem endometriose, revelando um quadro de hipocortisolismo. Após a intervenção, houve reversão do hipocortisolismo, diminuição da intensidade da dor, do estresse percebido e melhora do componente ¿Vitalidade¿ da qualidade de vida. Concluímos que a endometriose e sua sintomatologia dolorosa crônica podem culminar em distresse e em prejuízo na qualidade de vida das mulheres avaliadas neste estudo. Além disso, o hipocortisolismo encontrado poderia impor ao organismo conseqüências danosas e sua reversão após o protocolo permitiu constatar que medidas de intervenção complementares acarretam benefícios a essas mulheres e devem ser propostas

Abstract: Stress is defined as the organism response to a variety of potentially dangerous stimulus. Pain is able to disturb homeostasis, acting as a physical, chemical and psychological stressor, triggering the stress response. Endometriosis is a pathological condition characterized by chronic pelvic pain that negatively affects the quality of life, and causes chronic stress. Plasma or salivary cortisol levels are considered as indicators of the stress levels. The aim of this work was to evaluate the pain intensity, the stress level and the quality of life in women suffering from chronic pelvic pain associated to endometriosis, as well as to verify whether the intervention protocol practiced at the CAISM - UNICAMP, would result in lower pain and stress levels as well as improved quality of life. Three groups of volunteers were evaluated: healthy women (n=82), women with endometriosis not participating in the CAISM program (n=67) and women with endometriosis enrolled in the CAISM program of psychological and physiotherapeutic intervention (n=26). The pain intensity was quantified by the Visual Analogic Scale, stress was evaluated by the Perceived Stress Questionnaire and the cortisol levels were determined in saliva samples by immunenzimeassay. The quality of life was determined by the Quality of Life Questionary ¿ short form (QQV SF-36). The women under treatment were evaluated before and after the intervention. The results showed that women suffering from endometriosis presented higher perceived stress and worse quality of life compared to healthy women, and that the salivary cortisol level was lower than those seen in healthy women. After the therapeutic intervention there was a reversion of the hipocortisolism, lowering of the pain intensity and of the perceived stress, and improvement of vitality, one of the aspects included in the QQV SF-36. We concluded that endometriosis and its painful chronic symptoms might cause distress accompanied by poor quality of life in the women here evaluated. Moreover, the hipocortisolism might have dangerous consequences to the homeostasis, so that its reversion obtained through therapeutic complementary actions might benefit those women and should be proposed.
Subject: Stress (Fisiologia)
Hidrocortisona
Endometriose
Dor
Qualidade de vida
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: PETRELLUZZI, Karina Friggi Sebe. Dor, estresse e qualidade de vida em mulheres com endometriose: avaliação der um protocolo de intervenção. 2005. 126p. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/314633>. Acesso em: 4 ago. 2018.
Date Issue: 2005
Appears in Collections:IB - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Petrelluzzi_KarinaFriggiSebe_M.pdf984.54 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.