Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/314581
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Bugios-ruivos (Alouatta clamitans) distinguem novidade de surpresa?
Title Alternative: Do howler monkey (Alouatta clamitans) distinguish novelty to surprise? : Do howler monkey (Alouatta clamitans) distinguish novelty to surprise?
Author: Padilha, Juliana do Carmo, 1984-
Advisor: Setz, Eleonore Zulnara Freire, 1953-
Abstract: Resumo: Novidade e surpresa desempenham importantes papéis no comportamento animal, como incitar uma resposta exploratória. A novidade é algo que não foi previamente experimentado ou encontrado, já a surpresa decorre de um descompasso entre a expectativa e o que é realmente experimentado. Em muitos estudos comportamentais, novidade e surpresa não são distinguidos entre si. O objetivo deste trabalho foi verificar se animais respondem diferentemente a estes dois tipos de estímulos e se características individuais (personalidade, gênero e idade) influenciam esta resposta. Dado que o ambiente cativo pode afetar negativamente o bem estar dos animais, a inserção de uma novidade em recintos é amplamente utilizada como forma de enriquecimento ambiental para melhorar este bem estar. Neste trabalho, avaliamos a resposta de bugios-ruivos (Alouatta clamitans) cativos no Centro de Pesquisas Biológicas de Indaial (CEPESB-Projeto Bugio, Indaial, Santa Catarina, Brasil) a uma novidade e a uma surpresa. Determinamos se a personalidade (cautela-coragem), o gênero e a idade influenciam nessa resposta. Para tanto, realizamos durante 17 dias consecutivos um experimento que alternou três tratamentos (Novidade, Controle e Surpresa), divididos em 17 sessões, uma por dia. Cada sessão durou 10 minutos. Nesse experimento oferecemos aos animais sete novos objetos (uma caixa plástica e seis objetos confeccionados pelos autores), apresentados em ordem aleatória. Na Novidade, os objetos foram colocados no recinto, no Controle o mesmo objeto foi apresentado dentro de uma caixa plástica por cinco dias seguidos e na Surpresa um novo objeto foi apresentado dentro da caixa. Analisamos o tempo de latência, o tempo de interesse e a frequência dos diferentes comportamentos. Os bugios-ruivos responderam com menor tempo de latência e maior tempo de interesse a uma surpresa do que a uma novidade. Eles se habituaram à presença de um objeto controle e reagiram à quebra de expectativa provocada pela mudança deste objeto. A personalidade, o gênero e a idade não influenciaram a resposta dos animais entre a Novidade e a Surpresa. O tempo de latência não é utilizado como indicativo de surpresa, no entanto ele é uma medida que indica a "busca por novidade", e desta forma a menor latência na Surpresa indica que os animais foram mais incitados ao recebê-la que na Novidade. As crianças, respondem a uma quebra de expectativa observando mais o novo do que o objeto ao qual estão habituadas, e com comportamentos indicativos de surpresa, o que não foi observado neste estudo. As características individuais, em alguns primatas, influenciam a resposta na investigação de um objeto novo. Assim, neste estudo demonstramos que os bugios-ruivos reagem diferentemente a uma surpresa e a uma novidade, e que as características individuais dos bugios não influenciaram nessas respostas. E desta forma, a surpresa pode ser inserida em programas de enriquecimento ambiental, uma vez que estas técnicas podem ser aplicadas aos bugios, indiferente às características individuais do animal cativo

Abstract: Novelty and surprise play important roles, such as starting an exploratory response, in animal behavior. Novelty is something that has not been previously experimented or found, whereas surprise results from a mismatch between the expectation and what is actually experienced. Many behavioral studies do not distinguish between novelty and surprise. The objective of this study was to verify whether animals respond differently to these two types of stimuli and whether individual characteristics (personality, gender and age) influence this response. Considering that the captive environment may negatively affect the animals¿ well-being, the insertion of a novelty into the enclosures is widely used, as a form of environmental enrichment, to improve this well-being. In this study, we assessed the response of brown howlers (Alouatta clamitans) in captivity to a novelty and a surprise, in the Center for Biological Research of Indaial (CEPESB-Projeto Bugio, Indaial, Santa Catarina, Brazil). We assessed whether personality (shyness-boldness), gender and age influence this response. For this, we performed, for 17 consecutive days, an experiment alternating between three treatments (Novelty, Control and Surprise), divided into 17 sessions, with one session per day. Each session lasted 10 minutes. In this experiment, we offered to the animals seven new objects, made by the authors and presented in a random order. In the Novelty treatment the objects were placed in the enclosure, in the Control treatment the same object was presented within a plastic box for five consecutive days, and in the Surprise treatment a new object was presented within the box. We analyzed the latency, the interest time and the frequency of the different behaviors. The brown howlers responded with a smaller latency time and a greater interest time to a surprise than to a novelty. Personality, gender and age did not influence the effect of the Novelty and the Surprise on the animals¿ behavior. Even though latency time is not used as an indication of surprise, it is a measure that indicates the "search for novelty", and therefore a smaller latency time in the surprise treatment indicates that the animals were more incited to receive the surprise than the novelty. Children respond to a violation of the expectation by observing more the new object than the one to which they are used and with surprise-indicating behaviors, which was not observed in this study. Individual characteristics affect the investigation response to a new object in some primates. Thus, in this study, we showed the brown howlers react differently to a surprise and to a novelty and that the howlers¿ individual characteristics do not affect these responses. Therefore, the surprise may be inserted into environmental enrichment programs, as these techniques may be applied to the howlers regardless of the individual characteristic of the captive animal
Subject: Enriquecimento ambiental (Cultura animal)
Expectativa (Psicologia)
Animais selvagens em cativeiro
Animais - Comportamento
Personalidade
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2015
Appears in Collections:IB - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Padilha_JulianadoCarmo_M.pdf4.04 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.