Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/314481
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.CRUESPUNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINASpt_BR
dc.identifier(Broch.)pt_BR
dc.descriptionOrientador: Carlos Fernando Salgueirosa de Andradept_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologiapt_BR
dc.format.extent120p. : il.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.typeDISSERTAÇÃOpt_BR
dc.titleAvaliação docConhecimento de segmentos sociais quanto a dengue e pediculose capitis e de uma intervenção educativa na prevenção da denguept_BR
dc.contributor.authorBrassolatti, Rejane Cristinapt_BR
dc.contributor.advisorAndrade, Carlos Fernando Salgueirosa de, 1954-pt_BR
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual de Campinas. Instituto de Biologiapt_BR
dc.contributor.nameofprogramPrograma de Pós-Graduação em Ciências Biológicaspt_BR
dc.subjectDenguept_BR
dc.subjectEducaçãopt_BR
dc.subjectComunidadept_BR
dc.description.abstractResumo: Atualmente o crescente número de epidemias de dengue em vários países do mundo tem obrigado muitos especialistas a reavaliar as formas básicas de controle do principal vetor dessa doença, o Aedes aegypti. A educação que visa a participação da comunidade na eliminação de criadouros dos vetores da dengue tem sido defendida como a melhor, senão única proposta que possa resultar num efetivo controle dessa doença nos países em desenvolvimento. Embora tenham se tomado muito comum esforços dispendiosos com as informações educativas através dos veículos de comunicação, a experiência têm mostrado que isso não resulta em ações efetivas e conseqüente redução da prevalência da dengue. E ainda, pouco ou quase nada se tem feito no sentido de avaliar o resultado entomológico dessas intervenções, o que poderia contribuir muito para a sua adequação. O presente trabalho visou avaliar em um primeiro momento o conhecimento da dengue para vários segmentos sociais bem como quanto a dengue e a pediculose capitis, para professores e alunos do ensino fundamental de Campinas. Avaliou-se a adequação desses conhecimentos e a disposição em reformulá-los, bem como a existência e adequação de claros objetivos entomológicos que levariam à redução do risco de dengue. Usou-se um método de abordagem qualitativa baseado em questionários, entrevistas e exercícios de campo ou simulados em salas de aula. Também foram feitas observações diretas no ambiente de estudo. No período entre 1995-97, quando a região encontrava-se em uma situação pré-epidêmica de dengue, encontrou-se que de maneira geral, professores, alunos, bem como seus familiares, e outros segmentos sociais avaliados, normalmente tinham entre "BAIXO" e "MEDIO" conhecimento sobre os temas, não tomando atitudes que estariam de acordo com um pressuposto objetivo entomológico. Num segundo momento ao final de 1997, foi avaliada uma intervenção educativa especial para o controle da dengue, baseada em um curso teórico-prático de 40 horas dado na UNICAMP, para 40 educadores municipais e 6 agentes de saúde de Campinas, SP. Esse grupo foi avaliado por até 1 ano como multiplicadores dos novos conhecimentos adquiridos e ações propostas para seus alunos. Também foi avaliada tal multiplicação a partir dos estudantes para seus familiares. Adicionalmente foram também oferecidas condições para uma vigilância e controle biológico dos vetores pela comunidade nas escolas. Os professores, seus alunos e familiares destes foram entrevistados e os ambientes escolares e domiciliares foram visitados. Depois das três avaliações iniciais (1, 2 e 3 meses após o curso), 68,8% dos professores declararam ter reduzido em suas escolas possíveis criadouros do mosquito da dengue. A maioria dos alunos (92,9%) afumou que já se sentiam capazes de controlar o vetor em qualquer ambiente, por evitar água parada e por ensinar sobre a doença para outras pessoas. Os estudantes declararam também que 47,1 % dessas pessoas que eles ensinavam tinham mudado suas atitudes devido à instrução que eles receberam. Cem porcento das famílias entrevistadas afumaram que o aluno estava ensinando sobre a dengue às pessoas da casa, porém somente 8,3% das residências visitadas foi observado "diminuição" e em 12,5% "eliminação total" dos possíveis criadouros do vetor. Um ano após a intervenção, foram entrevistados e visitados 20 professores nas suas respectivas escolas. Em um total de 55% dessas não havia qualquer potencial criadouro. A maioria desses professores afumou que seu aluno continuava insistindo quanto a total eliminação de criadouros em casa (objetivo entomológico), e tal comportamento foi confirmado pelos próprios depoimentos dos alunos e dos pais. Foram entrevistados 92 alunos nessa época, e a grande maioria afirmou que o professor ainda estava envolvendo a comunidade da escola com o tema dengue. Um total de 54,4% destes alunos indicaram que suas casas tinham potenciais criadouros, mas que eram quase diariamente cuidados de forma a não se tomarem criadouro. Foram avaliadas 90 famílias de alunos, e a maioria afirmou que a criança tem alertado com insistência os riscos de criadouros do vetor em casa. De acordo com suas informações, em 64,3% das residências "não havia criadouro algum", e em 17,3% haviam "potenciais criadouros" mas que eram cuidadosamente vistoriados, representando um total de 81,6% de residências mais próximas de um objetivo entomológico realista. Pôde-se observar durante as visitas que em 41 % das casas realmente não haviam nenhum possível criadouro, situação que segundo o parente entrevistado, foi em função do comportamento insistente da criança. Conclui-se que o processo educativo avaliado e a conseqüente mudança de atitudes foi evoluindo ao longo desse tempo, aumentando significativamente o que em um sentido geral seria uma suposta proteção contra a dengue para a comunidade da escola, para as crianças e para os seus familiares. Baseando-se em dados epidemiológicos discute-se que tal proteção na verdade não deve ser suficiente para a prevenção da denguept
dc.description.abstractAbstract: Nowadays the raising number of dengue epidemics through many countries around the world has compelled many experts to reevaluate the basic ways to control the main vector - Aedes aegypti. An education that aim community participation in eliminating breeding sites of the dengue vector has been defended as the best, unless the unique proposal that can result in effective control of this disease in developing countries. Although expensive efforts on educational information through the communication vehicles have been very common, the experience has showed that they do not result in effective actions and consequent reduction in dengue prevalence. And indeed, few or almost nothing has been done in order to evaluate the entomological results from such interventions, that could contribute a lot for its adequacy. The present work aimed to evaluate at first time the knowledge about dengue of various social segments as well as about dengue and the pediculosis capitis of teachers and students from the elementary education of Campinas, SP, Brazil. It was evaluated the suitability of such knowledge and the will in reformulating it, as well as the existence and suitability of clear entomological goals that could address the reduction of dengue risk. It was used a qualitative approach method based on questionnaires, interviews and field exercises or their simulations in classrooms. It was also done direct observations upon the studied environment. In the period of 1995-97, when the region was under a dengue pre-epidemic situation, it was found that in general, teachers, students as well as their familiars, and other evaluated social segments, common1y have from "LOW" to "MEDUM¿ knowledge about the subjects and lacking attitudes in accordance to pre-supposed entomological goals. In a second moment at the end of 1997, it was evaluated a special educational intervention for dengue control, based on a theoretical-practical 40 hours course offered in UNICA1en
dc.publisher[s.n.]pt_BR
dc.date.issued1999pt_BR
dc.identifier.citationBRASSOLATTI, Rejane Cristina. Avaliação docConhecimento de segmentos sociais quanto a dengue e pediculose capitis e de uma intervenção educativa na prevenção da dengue. 1999. 120p. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/314481>. Acesso em: 24 jul. 2018.pt_BR
dc.description.degreelevelMestradopt_BR
dc.description.degreedisciplineParasitologiapt_BR
dc.description.degreenameMestre em Ciências Biológicaspt_BR
dc.contributor.committeepersonalnamePrado, Angelo Pires dopt_BR
dc.contributor.committeepersonalnameGiorgio, Selmapt_BR
dc.date.defense1999-02-26T00:00:00Zpt_BR
dc.date.available2018-07-24T19:27:18Z-
dc.date.accessioned2018-07-24T19:27:18Z-
dc.description.provenanceMade available in DSpace on 2018-07-24T19:27:18Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Brassolatti_RejaneCristina_M.pdf: 8586810 bytes, checksum: 96d5ba730c16964eb8719652d0663173 (MD5) Previous issue date: 1999en
dc.identifier.urihttp://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/314481-
Appears in Collections:IB - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Brassolatti_RejaneCristina_M.pdf8.39 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.