Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/314246
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: O controle dos movimentos voluntarios do ombro em nadadores com instabilidade glenoumeral
Author: Santos, Marcio Jose dos
Advisor: Almeida, Gil Lucio, 1959-
Abstract: Resumo: A Síndrome do Impacto do Ombro (SIO) é freqüentemente observada em movimentos repetitivos do ombro acima de 60 graus durante a realização de atividades atléticas ou profissionais. Essa disfunção afeta uma grande número de atletas, em especial 80% dos nadadores profissionais. Nesta população a instabilidade glenohumeral quase sempre é apontada como causa primária da SIO. A proposta desta investigação foi analisar os possíveis déficits de controle motor em nadadores com Historia de Síndrome do Impacto do Ombro e Instabilidade glenoumeral, quando comparados aos nadadores normais, desta forma aprimorar as bases para um melhor diagnóstico e tratamento desta patologia. Métodos. Participaram deste experimento oito nadadores sem qualquer patologia ortopédica ou neurológica na articulação do ombro (NN) e oito nadadores com História de Síndrome do Impacto do Ombro e Instabilidade Glenoumeral (HSIO). Cada sujeito realizou cinco movimentos, bilateral e simultâneos, de elevação do ombro no plano escapular, "o mais rápido possível" para três diferentes distâncias (30°, 90°, and 150° ) Foram registradas o angulo, velocidade e aceleração dos movimentos da articulação do ombro, assim como as atividades eletromiográficas dos músculos glenoumerais (deltóide anterior, peitoral maior, grande dorsal), escapulotorácicos ( serrátil anterior, trapézio superior e inferior) e os músculos da articulação do cotovelo (bíceps e tríceps). Resultados. O movimento angular e a velocidade aumentaram com a distância dos alvos para ambos os grupos de sujeitos. Para as três distâncias analisadas os movimentos de translação do ombro não tiveram variação entre os grupos, entretanto as translações do ombro aumentaram de forma linear conforme aumentou-se a distância dos alvos. A intensidade com que os músculos agonistas foram ativados não mudou com a distância dos alvos e foram similares para ambos os grupos de sujeitos. A quantidade das atividades musculares tanto agonistas como antagonistas aumentou com a distância dos alvos, e os grupos não mostraram diferenças significantes segundo a ANOVA "two way". Somente com exceção do trapézio inferior cujo atividade permaneceu constante entre as duas últimas distâncias. Para as três distâncias analisadas os músculos antagonistas não modularam suas latências em ambos os grupos. Em relação a ordem de recrutamento, todos os músculos de ambos os grupos tiveram e mesmo tempo e seqüência de recrutamento. Conclusão e Discussão. Os nadadores com HSIO realizaram os movimentos da articulação do ombro de forma similar aos nadadores normais, em termos de amplitude angular, deslocamentos translacionais e velocidade. Portanto, contrário a alguns experimentos (Lukasiewicz, et ai, 1999; Ludewig & Cook, 2000), os movimentos do úmero não afetaram os movimentos da escápula e vice-versa. Ambos os grupos de sujeitos usaram estratégias similares ao modularem as atividades agonistas e antagonistas, usando as mesmas estratégias de modulação já descritas anteriormente como "Estratégia da velocidade Insensível" (Gotllieb, et ai, 1989). A partir dos nossos resultados, nós podemos concluir que a História da Síndrome do Impacto do Ombro e a presença de Instabilidade em nadadores, não altera a habilidade do sistema de controle motor, desses indivíduos, em ativar e modular os músculos glenoumerais e escapulotorácicos, ao realizarem movimentos voluntários, sem carga, o mais rápido possível

Abstract: The Shoulder Impingement Syndrome (SIS) is often observed in repetitive movements of the shoulder above 60° during the performance of occupational or athletic activities. This dysfunction affects a great number of athletes, and in special 80% of the professional swimmers. In this population the glenohumeral instability is frequently associated with this syndrome. The purpose of this investigation was to analyze possible deficits of the motor control in the subjects with History of Shoulder Impingement Syndrome and Instability when compared with Normal subjects, in this way can provide better basis for evaluation of pathology. Methods. Eight swimmers without any neurological or orthopedic disorder (NN) and history of pain in the shoulder, and eight swimmers with (HSIS) took part in this experiment. Each subject performed bilateral and simultaneous elevation movements of the shoulder, "as fast as possible" in the scapular plane into three different target distances (30°, 90°, and 150° ). The Angle, velocity and acceleration , such as EMG muscle activities of the shoulder joint were recorded. The musc1es available were anterior deltoid, pectoralis major, latissimus dorsi from the glenohumeral joint and the scapulothoracic joint musc1es were serratus anterior, upper and lower trapezius. The biceps and triceps long head musc1es also were recorded. Results. The angular excursion and the angular velocity increase with distance for both groups of the subjects. The linear translational movements of the shoulder did not varied between groups for each of the three directions analyzed. However, the shoulder linear translation at each of the three direction increased with target distances. The intensity, in which each of the agonist musc1e of the glenohumeral an scapularthoracic joints were activated did not change with the target distances, and were similar for both groups of subjects. The amount of musc1e activities of the agonist and antagonist muscles increased with target distance, the only exception was for the amount of musc1e activity of the lower trapezius that did not increase with target distances. The two way ANOVA did not showed significant difference between two groups. The antagonist latency did not moduleted for three distances analized in the both groups. A despite of the recruitment ordem, all muscles of the two groups had the same time of the activation. Conclusion and Discussion. Compared with normal individuals, the swimmers with HSIS performed these movements with similar amplitude of movement and velocity and accuracy. The movements of the scapula was not affected by the movements of the humerus and vice-versa, contrary the any studies (Lukasiewicz, et al, 1999; Ludewig & Cook, 2000). Both groups of subjects used similar strategies to modula te the activities of the agonist and antagonist musc1es using the same rules of modulation that were described as "Speed Insensitivity Strategy" (Gotllieb, et al, 1989). So we can conclude that the history of shoulder impingement and/or the presence of shoulder instability did not affect the ability of the motor control system to activate and modulate the glenohumeral and scapulotoracic muscles to generate unloaded voluntary fast movements at the shoulder joint
Subject: Ombro
Nadadores
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2001
Appears in Collections:IB - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Santos_MarcioJosedos_M.pdf3.12 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.