Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/314129
Type: TESE
Title: Desempenho de estudantes universitários em testes matutinos e vespertinos para avaliação da memória episódica e operacional
Title Alternative: Performance of undergraduate students in morning and evening tests for assessment of episodic and working memory
Author: Sousa, Grazielle Aurelina Fraga de
Advisor: Ferrari, Elenice Aparecida de Moraes, 1945-
Abstract: Resumo: Este estudo investigou se o desempenho de estudantes universitários, em testes de memória episódica e operacional, varia em função do horário e do intervalo de tempo em que são realizados os testes de evocação. Na Fase 1, o Questionário Cronotipo foi utilizado para classificar o tipo cronobiológico. Dos 396 alunos avaliados, 59% foram classificados como intermediários, 35% como vespertinos e 6% como matutinos. Na Fase 2, foi avaliada uma amostra de 43 alunos, de ambos os sexos, classificados como intermediários, com 20,12 ± 2,18 anos de idade, falantes nativos de Português, sem histórico de distúrbios do sono ou uso de drogas psicoativas. Foram constituídos quatro grupos de acordo com os horários das sessões de treino/teste imediato e teste tardio: GMN - treino pela manhã e teste à noite, após 12horas; GMM - treino pela manhã e teste pela manhã, após 24 horas; GNM - treino à noite e teste pela manhã, após 12 horas; GNN - treino à noite e teste à noite, após 24 horas. Para avaliação da memória episódica e operacional foram utilizados: Teste de Aprendizagem Auditivo Verbal de Rey (TAAVR), Teste de Memória Lógica (TML), Teste de Extensão de Dígitos e Teste dos Blocos de Corsi. O Diário de Sono foi usado para avaliar o ciclo vigília-sono e o uso de termistor e de actímetro permitiu avaliar os ritmos de temperatura de punho e atividade motora. Questionários específicos foram utilizados para avaliação da percepção de estresse, ansiedade e estado de humor. Os dados do TAAVR e TML em três diferentes momentos de avaliação (imediato, após 30 minutos e tardio - após 12 ou 24horas) não indicaram efeito do horário ou do intervalo entre os testes de evocação (ANOVA; p > 0,05); no entanto, foi observada uma redução significativa dos escores ao longo dos momentos de avaliação (ANOVA; p < 0,05). Os escores médios obtidos no teste 30 minutos e no teste tardio do TAAVR correlacionaram-se positivamente com a média de duração do sono global (Teste de Spearman, p < 0,05). A média de duração do sono anterior à sessão de teste imediato apresentou correlação positiva com o escore médio do teste tardio do TML (Teste de Spearman, p < 0,05). Não houve efeito de horário ou de sessão sobre os índices do Teste de Extensão de Dígitos, Teste dos Blocos de Corsi e fatores de avaliação do humor (ANOVA; p > 0,05). Os grupos não diferiram quanto ao índice de estresse percebido e características de traço e estado de ansiedade (ANOVA, p > 0,05). O ritmo da temperatura de punho e o ritmo da atividade motora apresentaram relações de fase adequadas para a maioria dos sujeitos avaliados. A distribuição dos cronotipos na população avaliada concorda com os dados descritos para a população brasileira. Os dados indicaram a ausência de efeito do horário sobre o desempenho de indivíduos com cronotipo intermediário e sugerem uma relação entre a duração do sono e a memória episódica verbal. Estas evidências contribuem para o conhecimento sobre a variação do desempenho cognitivo durante a fase de vigília

Abstract: The aim of this study was to investigate if the performance of undergraduate students in episodic and working memory tests is influenced by the time-of-day and the interval between the retrieval tests. In Phase 1, the Morningness-Eveningness Questionnaire was used for assessment of the chonotype in a sample of students. Of 396 students assessed, 59% were classified as intermediate-type, 35% evening-type and 6% morning-type. The Phase 2 was conducted with 43 students classified as intermediatetype, both genders, with 20.12 ± 2.18 years old, native Portuguese speakers, without history of sleep disorders or use of drugs known to influence sleep and memory. These students were allocated in four groups according to the time-of-day of the training and the tests: GMN - trained in the morning (7:30 a.m.) and tested at same day, at night (6:30 p.m.); GMM - trained in the morning (7:30 a.m.) and tested after 24 hours (7:30 a.m.); GNM - trained at night (6:30 p.m.) and tested in the morning of the next day (7:30 a.m.); and the GNN - trained at night (6:30 p.m.) and tested after 24 hours (6:30 p.m.). The Rey Auditory Learning Test (RAVLT), Logical Memory Test (LMT), Corsi Block- Tapping Test and Digit Span Test were used to assess episodic and working memories. The sleep-wake cycle was assessed by sleep-logs and the wrist temperature and motor activity rhythmics was evaluated by thermistor and actigraphy. The levels of perceived stress, state of anxiety and mood were also evaluated. There was no time-of-day effect or interval effect on the retrieval of the RAVLT and LMT in the immediate test, 30 minutes test and delayed test - after 12 or 24 hours (ANOVA, p > 0.05). However, the scores showed a significant decrease across these three assessments (ANOVA p < 0.05). Positive correlation was observed between the mean sleep duration and the mean scores of the RAVLT after 30 minutes and in the delayed test (Spearman Test, p < 0.05). The mean of sleep duration before the immediate test was positively correlated with the LMT score during the delayed test (Spearman Test, p < 0.05). There was no effect of the time-of-day on Digit Span Test, Corsi Block-Tapping Test and mood assessment (ANOVA, p > 0.05). No between-group differences occurred in the level of perceived stress and trait-state anxiety (p > 0.05). The rhythm of wrist temperature and the rhythm of motor activity showed appropriate phase relations for the most part of evaluated subjects. The data indicate absence of time-of-day effect on the performance of intermediate-type individuals and suggest a relationship between memory and the sleep duration. Such evidence contributes to our understanding of the variation in cognitive performance during the wake period
Subject: Aprendizagem - Aspectos fisiológicos
Memória
Cronotipo
Sono
Hora do dia
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2010
Appears in Collections:IB - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Sousa_GrazielleAurelinaFragade_M.pdf2.42 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.