Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/314082
Type: TESE
Title: Adaptações induzidas pelo treinamento fisico no metabolismo oxidativo e sistema de defesa antioxidante em musculo e sangue de ratos e sua correlação com os níveis de lesão muscular
Author: Zoppi, Claudio Cesar
Advisor: Macedo, Denise Vaz de, 1959-
Abstract: Resumo: O treinamento físico é adaptações ao organismo, que nível muscular. Uma das adaptações já bem estabelecida na literatura é o aumento da capacidade oxidativa muscular, devido principalmente ao aumento na atividade de enzimas do ciclo de Krebs, da ß-oxidação de ácidos graxos e também da cadeia de transporte de elétrons. No entanto é sabido que o exercício físico é responsável pelo aumento na produção de radicais livres, que se não forem devidamente seqüestrados, podem iniciar um processo deletério às células através da oxidação de estruturas essenciais ao seu funcionamento tais como proteínas, membranas e até o DNA, ocasionando até a morte celular. Estudos vem demonstrando que o sistema enzimático de defesa antioxidante também tem sua capacidade aumentada em vários tecidos em decorrência do treinamento físico porém, os resultados nesse sentido ainda são inconclusivos e portanto são alvo de estudos. Neste sentido, para esta dissertação de mestrado, nossos objetivos foram: inicialmente analisar o perfil adaptativo tanto do metabolismo oxidativo quanto do sistema de defesa antioxidante em músculo esquelético (Sóleo) e também no sangue (Hemáceas). E num segundo momento estudamos as diferenças nas respostas adaptativas induzi das por dois protocolos de treinamento diferentes (contínuo e intermitente) utilizando também os dois sistemas citados anteriormente. Nossos resultados indicaram que o perfil adaptativo tanto oxidativo quanto do sistema de defesa antioxidante se dão de forma paralela no músculo Sóleo e nas Hemáceas e que o treinamento intermitente é mais eficiente em aumentar a capacidade oxidativa, enquanto que o treinamento contínuo se mostrou mais eficiente em aumentar a capacidade de defesa antioxidante

Abstract: Physical training is known to induce a large number of adaptations in whole body. One of the most studied is the increase in musle oxidative metabolism, mainly because the rise in Krebs cycle, ß-oxidation of fatty acids and electron transport chain enzymes. Although, exercise can increase free radicaIs generation too) and if the cells are not able to detoxiiy these reactive species, they can start deleterious processes through membrane, protein and DNA oxidation that can lead to cell death. There are many evidences in literature that enzymatic antioxidant system is enhanced by physical training in various tissues) although the data concerning this issue are not condusive. Our objectives in this work were) first, to analyse the oxidative metabolism and enzymatic antioxidant system adaptative profiles in musde (Soleus) and Blood (erytrocyte), and then we studied the adaptations induced by two kinds of training protocols; endurance and intermittent training, in both systems mentioned above. Our results showed musde and erytrocytes) that adaptative profiles were very dose in and that intermittent training was more musde oxidative capacity, while endurance efficient to increase the training was more efficient to enhance the antioxidant defense system
Subject: Antioxidantes
Metabolismo
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 1999
Appears in Collections:IB - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Zoppi_ClaudioCesar_M.pdf3.13 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.