Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/313964
Type: TESE
Title: Influencia da suplementação de Aspartato e Asparagina sobre a associação entre os limiares metabolicos e ventilatorios e sobre a taxa de oxidação de nutrientes durante o exercicio
Author: Marquezi, Marcelo Luis
Advisor: Lancha Junior, Antonio Herbert
Junior, Antonio Herbert Lancha
Abstract: Resumo: o "Limiar Anaeróbio" (LAn) apresenta-se, nas últimas décadas, como um dos CONCEITOS mais polêmicos e controversos dentro da história recente da fisiologia do esforço. O LAn, definido como a intensidade crítica para a atividade oxidativa máxima e manutenção do exercício cardio-respiratório, baseia-se na relação causaefeito entre limiares distintos, metabólico (LM) e ventilatório (LV), resultante do aumento da atividade anaeróbia. No entanto, ainda existem dúvidas relacionadas aos mecanismos que explicam o acúmulo sanguíneo e muscular de lactato e relatos de dissociação dos limiares em determinadas situações. Os objetivos deste trabalho foram avaliar a influência da suplementação de aspartato e asparagina (AA) sobre a associação entre LMs e L Vs (experimento 1, n = 6) e a taxa de oxidação de substratos (experimento 2, n = 18). Os sujeitos de ambos experimentos foram suplementados, durante 7 dias em cada tratamento, com 150mg/kg/dia de aspartato + 150mglkg/dia de asparagina (AA) e 300mglkgldia de lactose (PLC), em protocolo duplo-cego. No experimento 1, os sujeitos realizaram três testes descontínuos progressivos (TDPs) para a determinação dos LMs e LVs (testes BASAL, sem suplementação; AA e PLC). No experimento 2, os sujeitos foram divididos em três grupos e submetidos a 28 minutos de exercício contínuo (28M), após a determinação dos LMs. As intensidades utilizadas durante os 28M em cada grupo, correspondentes à carga (watts) do LM2 foram: 75% (SUB; n = 6), 100% (SPI; n = 6) e 115% (SPII; n = 6). O dispêndio de energia e as taxas de oxidação de substratos foram determinados por calorimetria indireta, somente para o grupo SUB, aos 8, 13, 18, 23 e 28 minutos (períodos) de exercício. Não foram observadas diferenças significativas entre as intensidades relativas de exercício correspondentes aos LMs e L Vs durante os testes descontínuos progressivos com suplementação de AA ou PLC, expressas a partir de diferentes parâmetros (CARGA, V02, FC e LA). As relações LMlILV1 e LM2ILV2 durante os testes com suplementação de AA ou PLC foram mantidas e semelhantes entre os grupos (experimento 1). Não foram observadas diferenças significativas para concentrações sanguíneas de lactato entre os tratamentos em nenhum dos grupos (SUB, SPI e SPII) ao longo dos 28M. A suplementação de AA, no entanto, promoveu alterações nas taxas de oxidação de substratos - aumentando a energia derivada de carboidratos em 2,284% (97,531 :I: 4,241% para 99,759 :I: 0,720%; P < 0,05) e diminuindo a energia derivada de lipídeos em -90,239% (2,469:1: 4,241% para 0,241 :I: 0,720%; P < 0,05), durante os 28Ms do grupo sua (experimento 2). Sugerimos um modelo hipotético que considera os aumentos da relação [piruvato]/[Iactato] e da atividade da PDH, determinados pela suplementação de AA, via LMA, para justificar a menor oxidação de lipídeos observada durante os 28M realizados com 75% da intensidade correspondente ao LM2

Abstract: The anaerobic threshold (A T), defined as the levei of work or the O2 consumption (V02) just below that at which metabolic acidosis and associated changes in gas exchange occur, is composed of a supposed cause-effect association of 2 individual thresholds - lactate or metabolic (MT) and ventilatory (VT). However the proposed mechanisms to explain musclelblood lactate accumulation and cause-effect association of MTNT has been rejected. The aim of this study was to verify the influence of aspartate and asparagine (AA) supplementation on MTNT association (experiment 1; n = 6) and substrate oxidation rates (experiment 2; n = 18). The subjects of both experiments were supplemented with 300mg . kg -1 . day -1 of amino acids (150mg aspartate + 150mg asparagine, AA treatment) and 300mg . kg -1 . day-1 of lactose (PLC treatment) in double blind-crossover fashion prior DIT tests, for 7 days. In the experiment 1, the subjects performed three discontinuous incremental tests (DITs) on cycle ergometer for detection of the MTs, VTs (BASAL, AA and PLC tests). In the experiment 2, the subjects were randomly placed into three groups and submitted to 28-min cycling rides (28R) at the 75% (group SUB), 100% (group SPI) or 115% (group SPII) of the AT 11 workload (watts). The energy expenditure and substrate oxidation rates for group SUB were calculated from respiratory measurements collected at 8, 13, 18, 23 and 28 min from 28R. No significant differences were observed in absolute or relative values for WR, VENT, HR and LA for the comparisons between MTINTI and MTIINTII relationships among test groups (experiment 1). No significant differences were observed for LA during 28R between treatments for the same group. The AA treatment increases the rei ative CHO energy expenditure in 2.284 % (97.531 :!: 4.241% to 99.759 :!: 0.720%; P < .05%) and decreases the relative LlP energy expenditure in -90.239% (2.469:!:: 4.241% to 0.241 : 0.720%, P < .05%) in comparison with PLC treatment, during the SUB28R (experiment 2). We suggest a hypothetic model that involves the increases of [pyruvate]/[Iactate] ratio and PDH activity, promoted for the AA supplementation, to justify the lower LlP oxidation rate during the 28R performed below anaerobic threshold intensity
Subject: Oxidação
Exercícios físicos
Aminoácidos
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2004
Appears in Collections:IB - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Marquezi_MarceloLuis_D.pdf8.79 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.