Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/313879
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Ações antiulcerogenicas do extrato aquoso liofilizado de Dalbergia monetaria Lineu (Veronica)
Author: Cota, Ricardo Henrique dos Santos
Advisor: Brito, Alba Regina Monteiro Souza, 1954-
Abstract: Resumo: O chá das cascas de Dalbergia monetaria L. é comumente utilizado na "medicina popular" do Brasil para o tratamento das disfunções gástricas. Várias substâncias biologicamente ativas têm sido isoladas do extrato aquoso liofilizado (LIO) de Dalbergia monetaria L.. Dentre elas, as proantocianidinas cuja ocorrência foi verificada pela primeira vez no gênero Dalbergia por Nunes et al (1989), poderiam ser responsáveis por sua atividade antiu1cerogênica; atividade farmacológica avaliada nos estudos de Souza Brito et al (1995). Dessa forma, o objetivo dessa dissertação foi investigar a toxicidade, a atividade antiulcerogênica e os possíveis mecanismos de ação pelos quais o LIO poderia exercer sua atividade. Tanto a toxicidade aguda do LIO, estudada em camundongos, quanto a citotoxicidade, estudada em fibroblastos da linhagem V79 de pulmão de hamster chinês, demonstraram que o LIO não apresenta substâncias potencialmente tóxicas. A atividade antiulcerogênica do LIO de Dalbergia foi avaliada em estômago de ratos submetidos a quatro modelos clássicos de indução de lesões gástricas: etanol, estresse por restrição e frio, ligadura do piloro e indometacina. Os resultados demonstraram que o LIO, administrado oralmente, diminuiu significativamente e de forma dose-dependente o Índice Ulcerativo (IU) em ratos submetidos à indução de úlcera por etanol (41 %), estresse (40%) e ligadura de piloro (460/0). Ao contrário dos resultados observados nos outros modelos, o LIO não foi capaz de inibir o aparecimento das lesões gástricas induzi das por indometacina. Dentre os possíveis mecanismos de ação antiulcerogênica foi estudada a possibilidade do LIO estar aumentando a síntese de prostaglandinas e/ou a síntese de muco na mucosa gástrica. Os resultados demonstraram que o LIO não alterou a síntese de muco quando comparado à carbenoxolona, mas produziu um aumento significativo na síntese de prostaglandinas. Um outro mecanismo de ação estudado foi a possível interferência do LIO sobre os os mecanismos fisiológicos da secreção ácida gástrica, através de antagonismo aos receptores H2 da histamina e M 1 da acetilcolina, responsáveis pela secreção da célula parietal de HCI. A interação do LIO com receptores histaminérgicos, em átrio direito isolado de cobaia, mostrou que as curvas dose-resposta à histamina sofreram um deslocamento à direita, dose dependente, quando o tecido foi pré-incubado com o LIO, além de diminuir a resposta máxima e a freqüência inicial dos átrios, indicando antagonismo não competitivo. No intuito de demonstrar a inespecificidade do LIO sobre os receptores e tecidos estudados, foram efetuadas, ainda, curvas dose-resposta à carbamilcolina em tiras de fundo de estômago de rato. Verificou-se um deslocamento, à direita, das curvas obtidas para carbamilcolina após o tecido ser pré-incubado com o LIO, havendo uma redução na tensão exerci da pelo tecido. Entretanto, nenhum dos efeitos observados foi estatisticamente significativo para ambos os parâmetros analisados, resposta máxima epD2. Muitos componentes, presentes em extratos vegetais brutos, apresentam sua ação antiúlcera devido a uma ação local. O LIO, administrado pela via intraduodenal, em camundongos submetidos à ligadura de piloro, diminuiu significativamente a concentração hidrogeniônica do suco gástrico destes animais, sem nenhuma alteração sobre o volume de suco gástrico ou lU. Assim, foi comprovado que o LIO apresenta também ação sistêmica. A atividade antiulcerogênica do LIO de Dalbergia monetaria L. deve-se, portanto, a um sinergismo de mecanismos de ação; tanto aqueles que envolvem diminuição da secreção ácida gástrica, quanto aqueles relacionados ao aumento dos fatores de proteção da mucosa

Abstract: The decoction made from the peels of the Dalbergia monetaria L. is commonly used in the brazilian foIk medicine for the treatment of gastric disfunctions. Several biologically active compounds have been isolated from the lyophilized aqueous extract of the Dalbergia monetaria. Proanthocyanidins are pointed out as being responsable for its antiulcerogenic activity. Therefore, the aim goal ofthis work was to investigate the toxicity, the antiulcerogenic activity and the possible action mechanisms in which the LIO could carry out its activity. The acute toxicity of the LIO, studied in mices and its cytotoxicity, studied in the fibroblasts of V79 lineage of Chinese hamster lung, showed that LIO does not have any potencially toxic substances. The antiulcerogenic activity of the LIO was evaluated in the stomach of rats submitted to the four c1assical models of induced gastric lesions: ethanol, hypothermic-restraint stress, pylorus ligature and.indomethacin. The results showed that the LIO, administered orally, decreased significantlly and in a dose-dependent manner, the ulcerative index in rats submitted to ulcer induced by ethanol (41 %), stress (40%) and pylorus ligature (46%). Unlike the results observed in the other models, the LIO was unable to inhibit the appearence of gastric lesions induced by indomethacin. Since it proved to be a vegetal drug effective in the prevention of the gastric mucosallesions in rats, the possibility that the LIO could be increased the mucosal barrier protection was also ana1ysed. Both effects ofLIO were sudied: the possibility ofit increasing the synthesis and the release of prostaglandin from mucosal gastric cells, as well as its interference in the synthesis and secretion of mucus. The results showed that the LIO doesn't interfere with the production of mucus but the gastric cells, incubated with the LIO, showed a significant increase in the synthesis and release of prostaglandins. The possible interaction of the LIO with the physiological process of acid gastric secretion was analyzed through the study of the antagonic actions of the LIO over histamine H2 receptors and acetylcholine M1 receptors. The dose-response curves to histamine in guine a pig isolated right atria were shifted to the right in a concentration-dependent manner when the tissue was pre-incubated with the LIO. The LIO also changed the maximum response to histamine and the inital frequency of the atria. The LIO effect over carbamilcholine dose-response curves in strips from the rat fundus stomach was also studied. The LIO shifted the curves to the right with a reduction in the tension carried out by the tis sue in the presence of LIO. However, none of the effects observed were statistically significant for both of the analyzed elements, the maximum response and the pD2. The LIO administered intraduodenally in mices submitted to a pylorus ligature, decreased the hidrogenionic concentration of gastric secretion of these animals considerably, with no change in the gastric juice volume and DI. Other elements analyzed. Therefore, believes that the antiulcerogenic effects ofLIO, occurs due to a sinergism in the action mechanisms involved with the decrease of acid gastric secretion and with the increase of endogenous protections factors of the gastric mucosal. Besides, the results obtained reveal that the antiulcerogenic effects do not occur due to a local action of the tanins present in the LIO, once the antiulcerogenic effects were also observed after the intraduodenally administration
Subject: Plantas medicinais
Ulcera peptica
Farmacologia
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 1999
Appears in Collections:IB - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Cota_RicardoHenriquedosSantos_M.pdf4.03 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.