Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/313868
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Como entender os parametros eritroides no contexto do fenotipo da fragilidade = novas interpretações do Estudo FIBRA - Campinas = How to understand erythroid parameters in the context of frailty phenotype: new interpretations from FIBRA Study - Campinas
Title Alternative: How to understand erythroid parameters in the context of frailty phenotype : new interpretations from FIBRA Study - Campinas
Author: Silva, João Carlos e, 1959-
Advisor: Fattori, André, 1972-
Abstract: Resumo: Estudos demonstram a importância da anemia no contexto da senilidade, tanto por sua relação com perdas funcionais e redução da sobrevida, como também por ser identificada como um fator adicional para o desenvolvimento do fenótipo. De fato, a fragilidade e a anemia em indivíduos idosos parecem compartilhar alguns eventos fisiopatogênicos comuns relacionados ao processo inflamatório crônico. Doenças associadas ao envelhecimento, como aterosclerose, diabetes, doenças renais, alterações cardiovasculares e osteodegenerativas cursam com inflamação crônica e podem ter o seu impacto clínico agravado pelaconcomitância com a anemia. Os modelos mais utilizados no entendimento da fisiopatologia da fragilidade baseiam-se na interpretação da síndrome como resultado do acúmulo de déficits ao longo da vida33, resultando em maior vulnerabilidade biológica ou, ainda, como um estado de decréscimo do metabolismo global do individuo, associado a desregularão neuroendócrina e imunológica, que, também neste caso, cursa com redução da capacidade homeostática. Neste trabalho sugerimos que as alterações hematimétricas contribuem para o fenótipo como um agente estressor, mas também, representa um componente equivalente das perdas relacionadas à sarcopenia no modelo proposto por Friedet al. OBJETIVO GERAL:Este trabalho foi conduzido usando os dados do estudo multicêntrico populacional sobre fragilidade designada pela sigla FIBRA, acrônimo de Fragilidade em Idosos Brasileiros, em uma amostra de 255 idosos recrutados no domicilio, na urbana de Campinas. O fenótipo de fragilidade foi determinado utilizando os critérios do Cardiovascular Health Study e no Women Health andAgingStudy, já demonstrados e validados em publicações anteriores; os pontos de corte das variáveis de fragilidade, ajustados para a população brasileira, foram anteriormente publicados por nosso grupo.As amostras de sangue foram coletadas por de punção venosa utilizando material estéril, e acondicionadas protegidas da luz em tubo seco e tubo de EDTA. O material foi encaminhado ao laboratório de Hematologia do Hospital Universitário da Unicamp para a realização de hemograma e contagem de reticulócitos. Resultados: No modelo I da regressão multivariada, no qual foram incluídas apenas as variáveis hematimétricas, a classificação geral de fragilidade esteve relacionada à idade e o nível de HGB sérica; a contagem de RETAbs (contagem de reticulocitos absolutos) apareceu associada aos critérios individuais perda ponderal e atividade física (dados não mostrados em tabelas). No modelo II, no qual se introduziram as quantificações de citocinas inflamatórias, foram selecionadas como variáveis significativas a idade e a PCRus (proteína C reativa ultra sensível), sendo que cada um ano de avanço etário representou aumento de 1,20 vezes na chance de ser frágil, e cada aumento de 1 unidade no nível de PCRus sérica significou uma elevação de 5,56 vezes na chance de apresentar o fenótipo. Também no modelo II da análise multivariada verificou-se que para a diminuição de 10x106/mL na contagem de RETAbs, o grupo apresentou aumento de 40% na chance de ser frágil, enquanto que a cada elevação de 10x106/mL na contagem de RETAbs houve também aumento de 30% da chance de ser frágil. CONCLUSAO: estes achados sugerem que no conjunto de fragilidade, queda da concentração de hemoglobina, diminuição da contagem absoluta de reticulócitos e níveis séricos de PCRus talvez devam ser compreendidos como um componente constitutivo da fragilidade, estreitamente correlacionada ao processo de sarcopenia evidenciado pela perda ponderal. Neste sentido, os valores reduzidos dos índices hematimétricos, não somente indicam a participação da baixa oxigenação tecidual no processo fisiopatogênico da fragilidade, como também podem ser utilizados como mais um critério definidor do fenótipo. Este estudo FIBRA indica que futuras pesquisas de caráter longitudinal possam indicar os valores de hemoglobina e de reticulócitos absolutos que possam ser utilizados como critério definidor de fragilidade

Abstract: Studies have shown the importance of anemia in the context of senility both because of its relationship with functional loss and reduced survival and because it has been identified as an additional factor leading to the development of the phenotype. In fact, frailty and anemia in the elderly appear to share certain common pathophysiological events related to chronic inflammatory processes. Diseases associated with aging, such as atherosclerosis, diabetes, kidney disease, cardiovascular changes and osteodegenerative diseases, progress with chronic inflammation and their clinical impact may be aggravated if they occur concomitantly with anemia. The models most commonly used to understand the pathophysiology of frailty are based on an interpretation of the syndrome as the result of an accumulation of deficits during an individual's life, resulting in greater biological vulnerability or even a reduction in an individual's overall metabolism associated with neuroendocrine and immune dysregulation, which in this case is also accompanied by reduced homeostatic capacity19,34. We suggest that abnormal red cell indices contribute to the phenotype as a stressor but also play a similar role to that of sarcopenia in the model proposed by Fried et al., 2001. GENERAL OBJECTIVE: The study data were collected from a sample of residents in urban Campinas as part of the FIBRA (Frailty in Brazilian Seniors) multicenter population-based study. The frailty phenotype was determined using the criteria in the Cardiovascular Health Study and the Women's Health and Aging Study, which were described and validated in previous publications; the cut-off points for frailty variables adjusted for the Brazilian population were published previously by our group. Blood samples were collected by venipuncture using sterile material and stored away from light in dry collection tubes and EDTA tubes. The samples were sent to the Hematology Laboratory at Unicamp University Hospital for complete blood counts and reticulocyte counts. RESULTS: In multivariate regression model I, which included only red cell variables, the general frailty classification was related to age and serum hemoglobin (Hb) level. Absolute reticulocyte count (RetAbs) was associated with the individual criteria weight loss and reduced physical activity (data not shown in the tables). In model II, which also included inflammatory cytokine levels, age and hsCRP (high sensible C Reactive Protein) were selected as significant variables. Each additional year of age represented a 1.2-fold increase in the chance of being frail, and each 1-unit increase in serum hsCRP represented a 5.56-fold increase in the chance of having the frailty phenotype. Multivariate analysis using model II revealed that a reduction of 10x106/mL in RetAbs count resulted in a 40% increase in the chance of being frail, and that each 10x106/mL increase in this parameter also led to an increase (30%) in the chance of being frail. CONCLUSION: Our findings suggest that reduced Hb (hemoglobin) concentration, reduced RetAbs count and elevated serum hsCRP levels should perhaps be considered components of frailty, which is closely correlated with sarcopenia, as evidenced by weight loss. In this context, reduced red cell indices not only indicate that poor tissue oxygenation plays a role in the pathophysiology of frailty but can also be used as another criterion to define the phenotype. This FIBRA study has shown that future longitudinal studies may help determine Hb levels and RetAbs counts that can be used as criteria to define frailty
Subject: Fragilidade
Envelhecimento
Citocinas
Anemia
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2013
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Silva_JoaoCarlose_M.pdf3.31 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.