Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/313811
Type: TESE
Title: A normatização do corpo em "excesso"
Title Alternative: The normatization of excess body
Author: Yoshino, Nair Lumi
Advisor: Canesqui, Ana Maria, 1944-
Abstract: Resumo: Este trabalho insere-se na abordagem sócio-antropológica para estudar as representações sociais e experiências vividas por indivíduos classificados pela biomedicina como "obesos mórbidos" nas situações vivenciadas antes e depois à submissão da cirurgia antiobesidade. A representação social e a experiência foram articuladas pela fenomenologia, para uma relação complementar e integrada da enfermidade enfocada sob o ponto de vista dos adoecidos. Ao enfocar as representações e experiência com o corpo em "excesso" nas diferentes etapas de vida deparou-se com a importância da alimentação, como explicação de causa da obesidade, tais como: "comer errado", por preferir as "porcarias" e preterir as frutas, verduras e legumes, pela influência familiar na formação dos hábitos e escolhas alimentares, por "comer muito", "comer tudo", pela explicação relacionada ao "nervoso". O casamento, a gravidez e a falta de tempo no mundo do trabalho contribuíram também para as alterações nos processos alimentares. Em relação ao corpo, a aquisição do "excesso" de peso ocorreu em diferentes fases da vida. Nas experiências infantis com o corpo obeso, as crianças já começaram a sentir a exclusão social, assim como os adolescentes e os adultos. A relação do sujeito obeso com os outros foi carregado de estigma nas relações entre os pares, afetivas, familiares e de trabalho. Aos olhos dos sujeitos, a obesidade foi considerada doença, ligada ao sofrimento e em oposição à normalidade, "ser gordo" não foi uma escolha. Foram várias as tentativas para emagrecer, através das dietas e reeducação alimentar, mas o uso de medicamentos predominou. Entretanto, nenhuma dessas alternativas garantiu a perda de peso em longo prazo, justificando a escolha cirúrgica. A cirurgia foi considerada o último recurso e entendida como um "auxílio" para a reeducação alimentar e normatização corporal. Assim, se tornou imperativa a mudança do estilo de vida dos "renascidos". Por um lado, o grande e rápido emagrecimento promoveu a mudança corporal, na vida, na saúde e na identidade social, mas por outro lado, conduziu a exacerbação de problemas emocionais, alteração de comportamentos e produziu outros agravos à saúde, então se tornar "outra pessoa" nem sempre significou ser mais feliz. As alterações do self se aproximaram da "pessoa normal", contribuindo para diminuir o estigma corporal e formar uma nova identidade, a de um "ex-gordo". A inserção no mundo dos "normais" exigiu outro realinhamento disciplinar do corpo, necessitando da cirurgia plástica corretiva. A cirurgia antiobesidade é mais um recurso tecnológico da medicina que controla a obesidade impondo a vigilância permanente sobre os indivíduos. As preocupações atuais estão centradas no medo do reganho de peso e nas dúvidas sobre os efeitos dessa terapêutica em longo prazo. É preciso rever as políticas de saúde que centram as suas ações sobre a responsabilidade individual dos sujeitos e desconsideram os interesses da poderosa indústria da alimentação-saúde-beleza que se beneficiam do alarmismo da "epidemia de obesidade", que só amplia o estigma sobre as pessoas com o corpo em excesso. Nesse sentido, convoca-se a adesão dos múltiplos olhares sob a ótica da interdisciplinaridade

Abstract: This work is part of the socio-anthropological approach to study the social representations and experiences of individuals classified by biomedicine as "morbidly obese" before and after submitting to antiobesity surgery. The social representation and experience have been articulated by phenomenology, for a complementary relationship focused, integrated disease from the point of view of the diseased. By focusing on the representations and experience with the body in "excess" in different stages of life met with the importance of food as an explanation of cause of obesity, such as "eat wrong," preferring the "filth" and omit fruits and vegetables, the family influence in the formation of habits and food choices, for "eating too much," "eat everything," the explanation related to the "nervous." Marriage, pregnancy and lack of time in the world of work also contributed to changes in food processes. In relation to the body, to acquire "excess" weight was observed at different stages of life. Nas experiências infantis com o corpo obeso, as crianças já começaram a sentir a exclusão social, assim como os adolescentes e os adultos. In childhood experiences with body fat, children have started to experience social exclusion, as well as adolescents and adults. The ratio of obese subject with the other was loaded with stigma in the relations between the couple, affection, family and work. In the eyes of the subjects, obesity was considered a disease, because "being fat" was not a choice, a disease linked to suffering and who was opposed to normal. There were several attempts to lose weight through diet and nutritional education, but the predominant use of drugs. However, none of these alternatives guaranteed weight loss long term, justifying the choice of surgery. The surgery was considered the last resort and was understood as an "aid" to the diet and normalization of body. Thus, it became imperative to change the lifestyle of the "born again". On the one hand, the large and rapid weight loss promoted to the body changes, life, health and social identity, but on the other hand, led to exacerbation of emotional problems, change behavior and produce other health problems, then "become else "is not always meant to be happier. The changes of self approached the "normal", helping to reduce stigma and body form a new identity, a "former fatty." Entering the world of "normal" demanded another discipline feeds the body, necessitating the corrective plastic surgery. The anti-obesity surgery, is another technological resource of medicine that controls obesity by requiring constant surveillance over individuals. The current concerns are focused on fear of regained weight and doubts about the effects of long-term therapy. We need to review health policies that focus their actions on the individual responsibility of individuals and ignore the interests of powerful food industry, health-beauty who benefit from the alarmism of the "obesity epidemic", which only increases the stigma on people with excess body. In this sense, we adopt the adhesion of multiple looks from the perspective of interdisciplinary
Subject: Representações sociais
Pesquisa qualitativa
Obesidade
Obesidade - Cirurgia
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2010
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Yoshino_NairLumi_D.pdf1.3 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.