Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/313387
Type: TESE
Title: Niveis dos receptores soluveis de transferrina e graus de maturidade dos reticulocitos na talassemia alfa+
Author: Krugner, Fernando
Advisor: Sonati, Maria de Fátima, 1958-
Abstract: Resumo: Objetivo. Foi sugerido que, o aumento do número de células vermelhas (RBC) mais jovens na circulação em crianças a+-talassêmicas poderiam estar correlacionados com as altas freqüências do alelo a+-talassêmico em regiões endêmicas de malária. A avaliação dos reticulócitos (RET) nessa condição, contudo, não tem sido realizada até o presente momento. Nosso objetivo foi determinar a contagem de RET circulantes e suas frações de maturidade, além do Receptor solúvel de Transferrina (sTfR) e dos níveis de eritropoietina sérica (s-Epo), em heterozigotos da talassemia a+ da região Sudeste do Brasil, área não sujeita à ação da malária. Material e Métodos. Foram estudados 121 portadores de talassemia a+ (-a3.7/aa) (T) e 249 controles normais (aa/aa) (C), sub-classificados de acordo com as seguintes faixas etárias:1-5 anos (T=27;C=41), 6-10 (T=18;C=42), 11-15 (T=16;C=44), 16-20 (T=20;C=42) e maior de 20 (T=40;C=80), todos com níveis normais de Ferritina (FER). A análise dos RET foi feita utilizando citometria de fluxo, a determinação dos níveis de sTfR e s-Epo por imunonefelometria e quimioluminescência, respectivamente. Resultados. Não houve nenhuma diferença estatística entre T e C na avaliação dos RET [porcentagens e valores absolutos, p=0,2643 e 0,5421; nas frações de maturidade (alta, média e baixa), (p=0,2579, 0,2196 e 0,4192); e no Índice de Maturidade RET (RMI), p=0,2471, respectivamente], tão quanto nos níveis de s-Epo (p=0,5711). Os níveis de sTfR foram significativamente mais altos em T (p=0,0001) nos sub-grupos de 1-5 anos e maior de 20 (p=0,0082 e 0,0436, respectivamente). Conclusões. Embora os níveis de sTfR tenham sido mais altos, não foi observado qualquer alteração no número e maturação dos RET, nesses a+-talassêmicos aqui analisados, uma região livre de malária. Os resultados são compatíveis com uma eritropoiese compensatória

Abstract: Background and Objective. It has been suggested that an increased number of young circulating red blood cells (RBC) in a+-thalassemic children could be related to the high frequencies of the a+-thalassemic allele in malaria endemic areas. Reticulocyte (RET) evaluation in this condition, however, has not been performed so far. Our objective was to determine the RET number and maturation degree, in addition to the soluble transferrin receptor (sTfR) and serum erythropoietin (s-Epo) levels, in a+-thalassemia heterozygotes from Southeastern Brazil, an area not subjected to malaria. Design and Methods. We studied 121 a+-thalassemia carriers (-a3.7/aa) (T) and 249 normal controls (aa/aa) (C), sub-classified according to age [1-5 years (T=27;C=41), 6-10 (T=18;C=42), 11-15 (T=16;C=44), 16-20 (T=20;C=42) and over 20 (T=40;C=80)], all of them with normal ferritin levels. RET analyzes were performed by flow cytometry and the sTfR and s-Epo levels determined by immunonephelometry and chemiluminescence, respectively. Results. There was no statistical difference between T and C regarding the RET evaluation [percentages and absolute values, p=0.2643 and 0.5421; high, medium and low maturation degree, p=0.2579, 0.2196 and 0.4192; RET Maturity Index (RMI), p=0.2471, respectively], as well as the s-Epo levels (p=0.5711). The sTfR concentrations were higher in T (p=0.0001), reaching statistical significance in the 1-5 and over 20 subgroups (p=0.0082 and 0.0436, respectively). Interpretation and Conclusions. Although the higher sTfR levels, we could not observe any alteration in RET number and maturation in the a+-thalassemic population analyzed here, a region free from malaria. These results are compatible with a compensatory erythopoiesis
Subject: Malaria
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2004
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Krugner_Fernando_M.pdf1.17 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.