Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/313351
Type: TESE
Title: Misoprostol versus conduta expectante em gestantes de termo com rotura prematura de membranas
Author: Suzano, Fabiana da Graça Krupa
Advisor: Cecatti, José Guilherme, 1957-
Abstract: Resumo: A rotura prematura de membranas de termo é uma condição freqüente e a sua melhor condução é ainda controversa. A indução imediata do trabalho de parto com ocitocina após a rotura, conduta mais comum no Brasil, pode aumentar as taxas de cesárea. O uso de prostaglandinas está relacionado com melhores resultados, em comparação à conduta expectante, porém não existem estudos bem controlados utilizando especificamente o misoprostol versus a conduta expectante. O objetivo do presente estudo foi avaliar, através de um ensaio clínico prospectivo e aleatorizado, os resultados maternos e perinatais relacionados à indução imediata do trabalho de parto com misoprostol vaginal ou à conduta expectante por período de 24 horas, seguida de indução com ocitocina, em gestantes com rotura prematura de membranas de termo, atendidas no Serviço de Obstetrícia do Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher da Universidade Estadual de Campinas. Estudaram-se 75 gestantes em cada grupo e os dados foram coletados através de ficha pré-codificada e analisados através dos testes qui-quadrado, exato de Fisher, teste t de Student e análise de sobrevivência para avaliar a significação estatística das diferenças encontradas entre os grupos. O grupo de indução imediata com misoprostol apresentou períodos significativamente menores de latência e da rotura ao parto, com uma incidência de parto por cesárea de 20%, enquanto o grupo expectante foi de 30,7%. Os grupos não diferiram quanto à vitalidade fetal, complicações no trabalho de parto e parto, complicações maternas puerperais e neonatais. No grupo de conduta expectante por 24 horas, 72,5% das gestantes desencadearam espontaneamente as contrações do trabalho de parto neste período expectante. A indução imediata com misoprostol nos casos de gestação de termo com rotura prematura de membranas tem desempenho semelhante à conduta expectante por 24 horas, seguida da indução com ocitocina com relação aos resultados maternos e perinatais e é responsável por um encurtamento do período de latência e tempo total desde a rotura até o parto

Abstract: Premature rupture of membranes at term (PROMT) is a frequently condition, but until now, there is no consensus about its best management. The immediate labor induction with oxytocin is one of the commonest procedures in Brazil, although it can be responsible for an increase in cesarean section rates. On the other hand, the induction of labor with prostaglandin seems to be related with better outcomes than expectant management. However actually there are no well controlled studies comparing expectant management versus misoprostol for labor induction. The purpose of this study was to asses, in a randomized controlled trial, the perinatal and maternal outcomes comparing immediate induction of labor with vaginal misoprostol versus expectant management until 24 hours followed by oxytocin induction in pregnant women with premature rupture of membranes at term who were cared at the Obstetric Unit of CAISM-UNICAMP. Data on seventy five PROMT cases allocated in each group were collected in a precoded form and the statistical analysis was performed applying the student ttest, the ?2 test, Fisher's exact test and survival analysis. Both groups had similar general characteristics, but the group that received immediate induction with misoprostol had significantly shorter latency and time from PROM to delivery compared with the expectant management group. The cesarean section rates were 20% and 30,7% respectively for misoprostol and expectant group. There were no differences between the groups regarding fetal well being, complications during labor and delivery and neonatal or post-partum maternal morbidity. Until 24 hours, 72,5% of women allocated to the expectant management group started spontaneous labor. The immediate labor induction with misoprostol in cases with premature rupture of membranes at term has a similar performance to the expectant management for 24h followed by labor induction with oxytocin regarding maternal and perinatal outcomes and is responsible for shortening latent period and the total time between PROM and delivery
Subject: Prostaglandinas
Trabalho de parto induzido
Ocitocina
Saúde materno-infantil
Perinatologia
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2003
Appears in Collections:FCM - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Suzano_FabianadaGracaKrupa_M.pdf392.83 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.