Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/313344
Type: TESE
Title: Preservação do nervo peitoral medial na mastectomia a Patey por carcinoma de mama : impacto na reabilitação do membro superior
Author: Gonçalves, Andrea de Vasconcelos, 1975-
Advisor: Santos, Cesar Cabello dos, 1964-
Abstract: Resumo: OBJETIVO: Comparar força e trofismo do músculo peitoral maior e amplitude de movimento do membro superior, homolaterais à mastectomia à Patey em mulheres com carcinoma de mama submetidas à preservação ou não do nervo peitoral medial. SUJEITOS E MÉTODOS: Foi realizado um ensaio clínico aleatorizado, duplo-cego, com 30 mulheres portadoras de câncer de mama submetidas à mastectomia à Patey entre julho de 2002 e maio de 2003 no Setor de Oncologia do Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher da Universidade Estadual de Campinas. As mulheres foram alocadas aleatoriamente a um dos dois grupos de abordagem cirúrgica: com e sem preservação do nervo peitoral medial. Foram realizadas avaliação fisioterápica prévia à cirurgia e reavaliações periódicas no 15º e 43º dias após a cirurgia, com atenção para a medida da amplitude de movimento do membro superior homolateral, trofismo e força do músculo peitoral maior. Todas as participantes foram acompanhadas semanalmente no Ambulatório de Fisioterapia, onde foram submetidas à mesma reabilitação física através de cinesioterapia em grupo. Os dados foram registrados e comparados através da análise estatística, onde foram utilizados os testes exato de Fisher, t de Student, Wilcoxon além das análises de variância de Friedman e Anova. RESULTADOS: A técnica de preservação do nervo peitoral medial foi factível em 75% dos casos. No grupo de preservação do nervo peitoral medial, 81% das mulheres não apresentaram perda de força do músculo peitoral maior aos 43 dias de pós-operatório, enquanto apenas 31% do grupo de secção do nervo peitoral medial apresentaram este mesmo comportamento. Estas diferenças foram significativas (p<0,03). Em relação ao trofismo, cerca de 43% e 23% dos grupos de preservação e secção apresentaram perda leve, respectivamente, o que não foi relevante estatisticamente. Aproximadamente 56% e 64% dos grupos de preservação e secção apresentaram perda leve na amplitude de flexão do ombro após 15 dias de pós-operatório, porém estas diferenças não foram estatisticamente significativas. CONCLUSÃO: A intenção de preservação do nervo peitoral medial foi bem sucedida em 75% das pacientes e associou-se de forma significativa a manutenção da força do músculo peitoral maior após 43 dias de pós-operatório, quando comparada com a secção deste nervo. Não foram encontradas diferenças significativas no trofismo do músculo e na amplitude de movimento do membro superior homolateral entre os grupos de preservação e secção deste nervo após 43 dias de pós-operatório

Abstract: OBJECTIVES: Compare the association between the preservation of the medial pectoral nerve and the strength and the trophysm of the major pectoral muscle and homolateral upper limb mobility in the patients submitted to Patey's mastectomy for breast cancer. PATIENTS AND METHODS: A randomized, controlled and double-blind study was developed with 30 patients assisted in Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (CAISM) of Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), in the period from July 2002 to May 2003. The patients were divided in 2 groups according to the preservation or not of the medial pectoral nerve. The patient underwent physiotherapic evaluation before the surgery and re-evaluations were made on the 15th and 43rd day after the surgery, using the same instrument, for that dates of the post-surgical complications (range of the motion on the homolateral upper limb, trophysm an strength of the major pectoral muscle) it was registered and compared. All of the participants was the follow-up weekly on the Ambulatório de Fisioterapia do Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher da Universidade Estadual de Campinas where was submitted to physical rehabilitation through group kinesiotherapy. For statistical analyse Fischer, t Student, and Wilcoxcon tests were used. In a addition Anova and Friedman variance analyses were performed. RESULTS: The feasibility of medial pectoral nerve preservation was 75%. In the medial pectoral nerve preservation group, 81% of the women did not present loss in the strength of the major pectoral muscle at the 43rd day after surgery while 31% of the medial pectoral nerve section group presented this loss. These differences were significant (p< 0,03). In relation to trophysm, about 43% and 23% of the preservation and section groups, respectively, presented with a mild loss with no statistical relevance. Approximately 56% and 64% of the preservation and section groups presented mild loss in the range of upper limb flexion at the 15th day after surgery, but these differences were not statistically significant. CONCLUSIONS: The preservation of the medial pectoral nerve intention was successfully done in 75% of patients and it was significantly associated to a lesser waste of the strength of the major pectoral muscle at 43rd days often surgery, when compared to the section of this nerve. There were no differences observed in the trophysm of the major pectoral muscle and the range of motion on the homolateral upper limb
Subject: Fisioterapia
Mastectomia
Mamas - Câncer
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2003
Appears in Collections:FCM - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Goncalves_AndreadeVasconcelos_M.pdf743.71 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.