Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/313242
Type: TESE
Title: Avaliação das indicações da curetagem da cavidade uterina como complemento a conização do colo uterino
Author: Mussi, Andrea Angeli Kalaf
Advisor: Jorge, Jesse de Paula Neves, 1938-
Abstract: Resumo: Em todas as pacientes com indicação de conização do colo uterino por neoplasia intra-epitelial cervical grau III, carcinoma in situ e câncer microinvasivo tem-se realizado, em alguns serviços, a curetagem da cavidade uterina de forma rotineira, sem exceção, com o intuito de melhor caracterizar a patologia cervical e de triar as patologias primárias endometriais. O presente estudo teve o propósito de determinar qual seria o grupo de mulheres que se beneficiariam com o procedimento da curetagem da cavidade uterina associada à conização do colo uterino, mesmo ciente de que é um procedimento que envolve risco de complicações. Foi realizado um estudo retrospectivo, através da avaliação do prontuário médico de 386 mulheres que foram submetidas à conização do colo uterino e curetagem da cavidade uterina, atendidas e tratadas no Serviço de Patologia Cervical do Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher da Universidade Estadual de Campinas, no período de janeiro de 1992 a dezembro de 1995. Os dados foram submetidos à avaliação estatística através do Teste de Qui-Quadrado (com correção de Yates) para tabelas 2x2 ou Teste Exato de Fisher. Foi utilizado o pacote estatístico Epi-info 97. Foi avaliada a associação entre os achados da histopatologia endometrial, primárias ou secundárias à patologia cervical, e as seguintes variáveis: idade, paridade, cor, dados pondero-estaturais, padrão menstrual na época da cirurgia, resultado da citologia oncológica, resultado da colposcopia, resultado anatomopatológico do material obtido por biópsia do colo uterino e resultado da histologia do cone. Também foi avaliado o risco de complicações atribuídas ao procedimento da curetagem da cavidade uterina. Observou-se uma associação entre a doença endometrial e mulheres com 40 anos ou mais, índice de massa corpórea maior que 30 e menopausadas. Não se pôde afastar ou confirmar a associação entre o grau da citologia oncológica e o comprometimento endometrial. O risco de complicações referente à curetagem, nesta população, foi de 11%, sendo a perfuração uterina a complicação mais freqüente (6%). Foi estatisticamente significativo o maior risco de perfuração uterina nas pacientes com quatro partos ou mais. Frente a estes resultados, concluiu-se que a curetagem da cavidade uterina, durante o procedimento de conização do colo uterino, deve ser realizada em todas as mulheres com 40 anos ou mais, com índice de massa corpórea maior que 30 e na menopausa. Frente a estes resultados, este é um trabalho que oferece subsídios a todos os profissionais da área para reavaliarem seus casos e, utilizando critérios baseados nas evidências descritas aqui, terem critérios para optar com relação a realização ou não da curetagem da cavidade uterina durante o procedimento da conização do colo uterino, com a criação de um protocolo de tratamento
All patients with recommendation for cervical conization due to cervical intraepithelial neoplasia III / in-situ carcinoma and microinvasive cancer have undergone, in some services, a routine curettage of the uterine cavity. This procedure intends to better characterize cervical pathology and to perform a triage of the primary endometrial diseases. The present study aimed to determine which group of women would benefit with the curettage of the uterine cavity, even knowing that it is a procedure with risks of complications. This retrospective study was performed through the evaluation of the records of 386 women submitted to cervical conization and to uterine cavity curettage. All women were assisted and treated at the cervical pathology outpatient clinic of CAISM / UNICAMP, from January 1992 to December 1995. The statistical analysis was performed through Chi-square test for tables 2x2 or Fisher's exact test. The statistical package Epi-info 97 was utilized. The association between the findings of endometrial histopathology, primary or secondary to cervical pathology, and the following variables were associated: age, parity, color of the skin, ponderostatural data, menstrual pattern at the time of the surgery, oncotic cytology result, colposcopy result, cervical biopsy result, and cone histology result. The risk of complications attributed to the uterine cavity curettage was also evaluated. An association between the endometrial disease and women 40 years old or older, with BMI higher than 30 and in menopause, was observed. The association between the grade of the oncotic cytology and the endometrial disease could not be confirmed neither unconfirmed. The risk of complications related to curettage in this population was rated at 11%, being uterine perforation the most frequent complication ( 6%). The highest risk of uterine perforation in the patients with four deliveries or more was statistically significant. Due to these results, it is concluded that the curettage of the uterine cavity during cervical conization, should be performed in all women aged 40 years old or older, with a BMI higher than 30 and in menopause. Therefore, this study offers subsidies to all professionals of this field to re-evaluate their cases by utilizing the criteria based in the evidences described here. That would provide the criteria to opt about the performance or not of the uterine cavity curettage during cervical conization, by developing a treatment protocol
Subject: Colo uterino
Útero
Citologia
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 1999
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Mussi_AndreaAngeliKalaf_M.pdf132.23 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.