Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/313116
Type: TESE
Title: Estudo ergonômico do trabalho dos músicos de uma orquestra sinfônica
Title Alternative: Ergonomic study of the work of musicians in a symphony orchestra
Author: Teixeira, Clariana Lia, 1987-
Advisor: Azevedo, Valmir Antonio Zulian de
Azevedo, Valmir Antonio Zullian de
Abstract: Resumo: O exercício da música como profissão exige mais do que qualidade técnica, concentração, processamento multissensorial de informações e memória, excepcional flexibilidade, coordenação, motricidade e destreza em uma postura específica e muitas vezes inadequada por longos períodos de tempo. Investigações epidemiológicas têm evidenciado um adoecimento expressivo dos músicos, que, em muitos casos, precisam interromper suas carreiras, tornando frequente o convívio com a dor. E todo o contexto de trabalho vivenciado pelos músicos proporciona um encontro entre o sofrimento gerado pelo trabalho e suas condições e a arte, como produto deste trabalho. A ergonomia pode contribuir tanto para a identificação dos riscos biomecânicos, organizacionais e psicossociais que permeiam as ocupações, quanto para direcionar diretrizes de prevenção e promoção à saúde. O desafio para a ciência da ergonomia encontra-se no fato de que esta não pode intervir diretamente na adaptação dos instrumentos de trabalho ou no ambiente de trabalho dos músicos de uma orquestra sinfônica. Considerando a importância da profissão do músico como objeto de pesquisa em saúde ocupacional e as exigências inerentes desta ocupação, acreditamos, tal qual ocorre em outras profissões, que esses fatores representem riscos ocupacionais relativamente pouco conhecidos e que sejam agravantes do risco de adoecimento. Os instrumentos de avaliação para identificação dos riscos biomecânicos foram o Strain Index (Moore and Garg, 1995) e o método Suzanne Rodgers, revisado por Thomas Bernard (2006), para obter o nível de risco de um instrumento musical em desenvolver desordens do membro superior distal e em outros segmentos corporais, respectivamente. Ambos foram aplicados em duas situações do cotidiano da população estudada: ensaios e apresentações públicas. Todos os instrumentos da orquestra sinfônica estudada oferecem algum tipo de risco biomecânico aos seus instrumentistas em sua execução, seja em ensaios, seja em concertos públicos, apontando a necessidade de uma maior atenção á saúde do músico (Leaver, Harris and Palmer 2011)

Abstract: The practice of music as a profession demands more than technique, concentration, multisensory processing of information and memory, exceptional flexibility, coordination, handling and dexterity in a specific posture, and most of the times inadequate, for long periods of time. Epidemiological investigation has been evidencing an expressive sickening of musicians, who, in most cases, have to interrupt their careers, making handling pain a constant in their lives. After all, even minor injuries carry the potential to terminate a musical career, which, as aforementioned, demands a very specific set of skills. Ergonomics can contribute to identifying biomechanical, organizational and psychosocial risks that permeate our occupations, as well as to direct the guidelines of health prevention and promotion. The challenge for ergonomics science lies on the fact that it cannot directly intervene in the adaptation of work instruments or the work environment of musicians in a symphonic orchestra. Considering the importance of the musician profession as a research subject for occupational health and the inherent demands of the job, we believe that, just as it occurs to other professions, these factors represent a relatively unknown occupational risk and are aggravators of sickening risks. Evaluation instruments to identify the biomechanical risks were the Strain Index (Moore & Garg, 1995) and the Suzanne Rodgers method revised by Thomas Bernard (2006) to obtain, respectively, the risk level of a musical instrument in developing disorders of the superior distal limb and in other body segments are exposed to Both were applied to everyday situations of the studied population: rehearsals and public performances. All instruments in the studied symphonic orchestra offer some level of biomechanical risk to its instrumentalists during execution, whether on rehearsals or public concerts, pointing us towards the necessity of attention to the musician health (Leaver, Harris and Palmer 2011)
Subject: Ergonomia
Trabalho
Músicos
Orquestras sinfônicas e filarmônicas
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2014
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Teixeira_ClarianaLia_M.pdf5.29 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.