Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/313096
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Institucionalização da vigilância em saúde do município de Campinas (SP) na perspectiva da análise institucional sócio-histórica
Title Alternative: Institutionalization of the health surveillance in the city of Campinas (SP) through the perspective of the socio-historical institutional analysys
Author: Garcia, Rosana Aparecida, 1964-
Advisor: L'Abbate, Solange, 1942-
Abstract: Resumo: A Vigilância em Saúde é entendida aqui, como uma instituição - conceito base para a Análise Institucional (AI). Seu processo de institucionalização nos remete à história da Saúde Pública, impactando no atual modelo de gestão e nas ferramentas de trabalho utilizadas em sua contemporaneidade. Considerando que a Vigilância em Saúde tem raízes e processos a partir deste modelo conceitual, há um impacto na prática e estratégias utilizadas pelos sujeitos que dela fazem parte, marcada, muitas vezes, por modelos verticalizados e pouco participativos. O objetivo deste estudo foi estudar a trajetória da Vigilância em Saúde de Campinas (SP) na perspectiva da Análise Institucional sócio-histórica, buscando uma compreensão de sua gênese histórica, social e teórica e seu processo de institucionalização (duração, temporalidade e historicidade). Neste sentido, a proposta da análise institucional na vertente sócio-histórica fundamenta-se na necessidade de ampliação do conhecimento acerca de fatos no passado, mas que ainda possuem repercussão no presente. Foram utilizados alguns conceitos chave da Análise Institucional, como analisador, implicação e instituição ¿ desdobrando em seus momentos instituído, instituinte e institucionalização. Esse estudo teve natureza qualitativa, teórico e empírico, com base em entrevistas semiestruturadas e pesquisa documental. As entrevistas iniciais ¿ chamados de "entrevistas disparadoras" ¿ foram realizadas com os sujeitos que participaram dos processos iniciais de municipalização, descentralização e regionalização da Vigilância em Campinas. Em seguida foram entrevistados outros gestores e trabalhadores dos serviços de saúde que vivenciaram a história mais recente da Vigilância. A maioria das entrevistas foram gravadas e posteriormente transcritas e enviadas aos entrevistados para que acrescentassem ou retirassem o que julgassem importantes. Após a análise dos das entrevistas e de alguns documentos que trouxeram alguns eventos realizados pela Vigilância de Campinas, o grupo entrevistado foi convidado para duas oficinas de restituição para debate sobre os achados e construção do texto. O trabalho demonstrou que o modelo atual de Vigilância não insere o sujeito dentro de suas ações e nem considera seu contexto social. Tendo esse pressuposto como modelo, as estratégias utilizadas pela Vigilância são predominantemente normativas e administrativas, mais ligadas à tecnologia dura e dura-leve, ou seja, pouco se trabalha com as relações intersubjetivas que estão diretamente relacionadas com a missão da Vigilância. O modelo de Vigilância de Campinas, apesar do protagonismo dos sujeitos, mantem pouca articulação com a sociedade e controle social. Os desafios percebidos são relacionados a investir nas tecnologias leves (relacionais) no sentido de incluir os diferentes sujeitos no processo de Vigilância. A possibilidade de intercessão entre suas práticas e a sociedade, deve ser motivada por um desejo de dar autonomia aos sujeitos que protagonizarão mudanças dentro da instituição

Abstract: The Health Surveillance is understood in this thesis as an institution ¿ base concept for the Institutional Analysis. Its process of institutionalization refers to the history of Public Health, presenting an impact in the present model of management and in the work settings utilized in its contemporaneity. Since Health Surveillance has its roots and processes departing from this theoretical model, there is an impact in the practices and strategies used by the subjects who are part of it; this impact is marked very often by verticalized and non-participative models. The objective of this project was to study the journey of the Health Surveillance in Campinas (SP) in the perspective of the socio-historic Institutional Analysis, aiming at a comprehension of its historic, social and theoretical genesis and its process of institutionalization (duration, temporality and historicity). Thus, the institutional analysis purpose in the social-historical field is based in the need of spreading the knowledge about past facts but which still have repercussion until the present. Some key-concepts of the Institutional Analysis were used as analyzer, implication and institution ¿ reshaping its moments as instituted, instituter and institutionalization. This study has a qualitative, theoretical and empirical nature and it is based on semi-structured interviews and document research. The early interviews ¿ so called "triggering interviews" ¿ were made with the subjects who participated in the early processes of municipalization, decentralization and regionalization of the Health Surveillance in Campinas. Following this part other managers and health workers who lived the recent history were interviewed. Most of the interviews was recorded and then transcripted and sent to the interviewees for them to add or erase any information they could judge important. After the analysis of the interviews and some documents which brought up events made by the Health Surveillance, the interviewed group was invited for two restitution workshops for a debate about the discovers and the construction of the text. The work showed that the present model of Health Surveillance is not inclusive in its actions nor considers peoples social contexts. Having this assumption model, the strategies used by the Health Surveillance are mainly based on rules and administration and are more connected to the hard and hard-soft technology, that means that very few works are done about the inter-subjetive relations that are directly related to the mission of the Health Surveillance. The model of Health Surveillance, although its subjects are protagonists, keeps few articulation with the society and its control. The challenges observed are relational to investing in soft technologies (related) in a way that it includes different subject in the process. The possibility of interception between its practices and society must be motived by a desire of giving independence to the subjects who were protagonists in the changes inside of the institution
Subject: Análise institucional
Vigilância epidemiológica
Vigilância sanitária
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2015
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Garcia_RosanaAparecida_D.pdf5.45 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.