Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/313095
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.CRUESPUNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINASpt_BR
dc.descriptionOrientador: Solange L'Abbatept_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicaspt_BR
dc.format.extent1 recurso online ( 251 p.) : il., digital, arquivo PDF.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.relation.requiresRequisitos do sistema: Software para leitura de arquivo em PDFpt_BR
dc.typeDISSERTAÇÃO DIGITALpt_BR
dc.titlePráticas profissionais e resistências na construção do cuidado em rede em saúde mental em uma microrregião de Campinas/SPpt_BR
dc.title.alternativeProfessional practices and resistances in the construction of the network care in mental health in the micro region of Campinas, SP, Brazilpt_BR
dc.contributor.authorDobies, Daniel Vannucci, 1982-pt_BR
dc.contributor.advisorL'Abbate, Solange, 1942-pt_BR
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual de Campinas. Faculdade de Ciências Médicaspt_BR
dc.contributor.nameofprogramPrograma de Pós-Graduação em Saúde Coletivapt_BR
dc.subjectAnálise institucionalpt_BR
dc.subjectSaúde mentalpt_BR
dc.subjectPratica profissionalpt_BR
dc.subjectPoder (Psicologia)pt_BR
dc.subjectFóruns de discussãopt_BR
dc.subject.otherlanguageInstitutional analysisen
dc.subject.otherlanguageMental healthen
dc.subject.otherlanguageProfessional practiceen
dc.subject.otherlanguagePower (Psychology)en
dc.subject.otherlanguageDiscussion forumsen
dc.description.abstractResumo: O cuidado em rede, previsto na formulação do Sistema Único de Saúde e destacado em políticas públicas mais recentes, inclusive na saúde mental, indica ser fundamental a estruturação de serviços e fluxos, mas também o investimento nos profissionais que constroem e operam essas redes. A análise das instituições e dos movimentos de resistência, que permeiam esses processos, justifica-se por permitir acesso às contradições e às possibilidades de transformações de práticas. O presente estudo volta-se à investigação da construção de rede de cuidado em saúde mental em uma microrregião de alta vulnerabilidade social do município de Campinas/SP, que é reconhecido pelo histórico de inovação na formulação de estruturas e práticas em saúde mental, mas que, na atual conjuntura, exibe enrijecimento organizacional com enquadramento jurídico e pelas portarias ministeriais, com baixo investimento em inovações. O objetivo geral desse estudo, realizado entre os anos de 2014 e 2015, foi analisar as práticas profissionais dos participantes do fórum colegiado de saúde mental da referida microrregião na construção do cuidado em rede, sobretudo, como a análise pelas resistências nessa tarefa pode gerar transformações nas próprias práticas profissionais, assim como no processo de trabalho dos serviços de saúde. Para tal, foram realizadas observações participantes desse fórum, que é o local mais propício para construção de articulações e para análise das práticas, e também entrevistas semiestruturadas com os profissionais e gestores envolvidos, e uma restituição coletiva para os sujeitos da pesquisa, a fim de tornar o estudo mais participativo e reflexivo. O material foi analisado a partir do referencial teórico da Análise Institucional em articulação com a Saúde Coletiva e outros autores que discutem o conceito de resistência, bem como as relações entre resistência e poder. Na trajetória desse fórum, nota-se a relevância do envolvimento dos profissionais para institucionalizá-lo e manter vivo o processo de articulação do cuidado em rede. Observaram-se movimentos de resistência para sustentá-lo frente ameaças de redução-precarização formuladas em coletivos de gestão, mas também resistências entre os profissionais e serviços envolvidos, decorrentes de concepções divergentes quanto ao funcionamento do espaço e seu alcance. Tais resistências foram analisadoras do modelo de gestão, que apresenta práticas hierarquizadas, e da atual política municipal de saúde mental, que pouco investe no cuidado integral e compartilhado entre serviços, bem como das dificuldades internas de analisar as divergências. Entretanto, o fórum proporcionou espaço para análise dessas resistências e das práticas profissionais, com ganhos na responsabilização coletiva dos seus membros com a saúde mental na microrregião, adoção de novas estratégias de cuidado e posicionamento mais ativo perante a gestão. Conclui-se que os movimentos de resistência são de grande relevância para os profissionais dessa rede, e sua análise é fundamental para a qualificação do cuidado compartilhado, possibilitando um enfrentamento mais efetivo das adversidades conjunturaispt
dc.description.abstractAbstract: The network care, provided for in the text of the Unified Health System and emphasized in more recent public policies, including mental health ones, shows that it is vital the structuring of services and flows, but also the investment on the professionals who build and run these networks. The analysis of the institutions and the resistance movements, that permeate these processes, is justified as it allows the access to the contradictions and to the possibilities of transformation of the practices. This study aims at the investigation of the construction of the network care in mental health in the micro region of the city of Campinas/SP, known for its high social vulnerability. This region is recognized by its history of innovation in the elaboration of structures and practices in mental health, but, in the current context, shows organizational stiffening caused by legal restraints and ministerial ordinances, which lead to low investments in innovations. The general objective of this study, carried out from 2014 to 2015, was to analyze the professional practices of the participants of the collegiate forum of mental health from the aforementioned micro region in the construction of the network care, and specially how the analysis by the resistance in this task can generate transformation in its own professional practices, as well as in the process of health care work. For that, observant participations were carried out in this forum, which is the most appropriate place to construct articulations and to analyze the practices, but also the semi structured interviews with involved professionals and managers, in addition to a collective restitution to the subjects of the study, in order to make this work more participative and reflexive. The data were analyzed through the theoretical reference of the Institutional Analysis articulated with Collective Health and others authors who discuss the concept of resistance, as well as the relations between resistance and power. On the path of this forum, it is noted the relevance of the professionals¿ involvement to institutionalize it and to keep alive the process of articulation in the care network. Resistance movements were observed in face of threats of reduction and precariousness conditions formed in management collectives, but it was also observed resistance among involved professionals and services caused by divergent opinions regarding the functioning of the place and its reach. Such resistances were analyzers of the management model, which presents hierarchic practices, and of the current city policy of mental health, which invest little on the care of the whole health and shared with the services, as well as of the internal difficulties to analyze the divergences. However, the forum provided a place to analyze those resistances and professional practices, improving the collective accountability of its members regarding the mental health services of this micro region, the adoption of new strategies of care and a more active position concerning the management. It is concluded that the resistance movements are of great relevance among this network professionals, and their analyses is essential for the qualification of the shared care, enabling a more effective tackling of the conjectural adversitiesen
dc.publisher[s.n.]pt_BR
dc.date.issued2016pt_BR
dc.identifier.citationDOBIES, Daniel Vannucci. Práticas profissionais e resistências na construção do cuidado em rede em saúde mental em uma microrregião de Campinas/SP. 2016. 1 recurso online ( 251 p.). Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/313095>. Acesso em: 30 ago. 2018.pt_BR
dc.description.degreelevelMestradopt_BR
dc.description.degreedisciplineCiências Sociais em Saúdept_BR
dc.description.degreenameMestre em Saude Coletivapt_BR
dc.contributor.committeepersonalnameRodrigues, Heliana de Barros Condept_BR
dc.contributor.committeepersonalnameSevero, Ana Kalliny de Sousapt_BR
dc.date.available2018-08-30T05:59:51Z-
dc.date.accessioned2018-08-30T05:59:51Z-
dc.description.provenanceMade available in DSpace on 2018-08-30T05:59:51Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Dobies_DanielVannucci_M.pdf: 3965395 bytes, checksum: 25c1d3dd8292344310fae96e1e180ece (MD5) Previous issue date: 2016en
dc.identifier.urihttp://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/313095-
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Dobies_DanielVannucci_M.pdf3.87 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.