Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/313076
Type: TESE
Title: Esquistossomose mansoni em area de baixa endemicidade : soroepidemiologia e controle
Author: Soares, Lanny Cristina Burlandy
Advisor: Dias, Luiz Cândido de Souza, 1943-
Abstract: Resumo: O controle da esquistossomose mansoni, iniciado em 1980 no município de Pedro de Toledo, área de baixa endemicidade no Estado de São Paulo, foi avaliado em 1998 por meio deste estudo. Têm-se demonstrado que nesta área, com pequenos índices de infecção, a sensibilidade dos métodos parasitológicos é falha devido ao reduzido número de ovos nas fezes, subestimando a prevalência. Os métodos sorológicos de alta sensibilidade e especificidade permitem obter coeficientes de prevalência mais próximos do real. Por amostragem aleatória, 12% (894) dos moradores do município forneceram amostras clínicas, sendo 749 amostras de fezes e 591 de sangue da polpa digital, em papel de filtro. As técnicas utilizadas para diagnóstico de infecção pelo Schistosoma mansoni foram o método parasitológico de Kato-Katz para exame de fezes e o método sorológico de imunofluorescência indireta para detecção de anticorpos IgG (RIF-IgG) e IgM (RIF-IgM). O coeficiente de prevalência do método parasitológico foi de 1,6%, com intensidade de infecção média de 40,9 ovos por grama de fezes (opg). As reações sorológicas apresentaram entre si um coeficiente de concordância considerado bom (Kappa = 0,84), com prevalências de 33,2% para a RIF-IgG e de 33,5% para a RIF-IgM. A RIF-IgM se mostrou um teste sorológico seguro e prático, constituindo importante instrumento na avaliação do perfil epidemiológico de populações em área de baixa endemicidade. Existiu uma acentuada discrepância entre a prevalência pelo método parasitológico em relação aos imunológicos, sendo a prevalência sorológica cerca de 20 vezes maior. Estes resultados sugerem a importância da inclusão dos métodos sorológicos em inquéritos epidemiológicos, na complementação dos achados parasitológicos, no diagnóstico e tratamento da parasitose. Com estas medidas, os indivíduos falso-negativos para o exame de fezes poderiam ser diagnosticados e tratados, diminuindo fontes de infecção em potencial. Comparando-se os dados de 1980 com os obtidos no presente estudo (1998) verifica-se um deslocamento na curva de distribuição das prevalências quanto à faixa etária, de maior prevalência no grupo de 10 a 19 anos em 1980 para 25 a 29 anos em 1998. Os coeficientes obtidos em 1980 de 22,8% (58,5 opg de fezes) e 55,5%, respectivamente pelo método de Kato-Katz e RIF-IgG, em relação aos resultados deste estudo, demonstram queda significativa nos coeficientes de prevalência, indicando efetividade das medidas de controle. Todavia, existe um residual de transmissão, demonstrando a necessidade de um esforço conjunto na ampliação das medidas de controle e vigilância da esquistossomose mansoni

Abstract: In 1980, schistosomiasis mansoni control measures were introduced in the municipality of Pedro de Toledo, a low endemic region in the State of Sao Paulo and this study was conducted, in 1998, to evaluate the program. Flaws were detected in the sensitivity of the parasitological methods used in this area of low infection indices due to the reduced number of eggs in the feces, which resulted in underestimated prevalence indices. Highly sensitive-specific serological methods provide prevalence indices that are closer to reality. A random sample of 12% of the residents in the municipality provided clinical samples that consisted of 749 stool samples and 591 blood samples from the finger on filter paper. The Kato-Katz parasitological technique for stool examinations and the serological techniques of indirect immunofluorescence for the detection of IgG (RIF-IgG) and IgM (RIF-IgM) antibodies were used in the diagnostics of mansoni schistosomiasis. The prevalence index obtained by the parasitological method was 1.6% with an infection intensity of 40.9 eggs per gram of feces (epg). Good concordance was shown by the serological reactions (Kappa = 0.84) with a prevalence of 33.2% for the RIF-IgG and 33.5% for RIF-IgM. The serological test RIF-IgM proved to be safe, practical and an important tool for assessing the epidemiological profile of a population in a low endemic area. A clear discrepancy was observed between the prevalence indices obtained by the parasitological and immunological methods, as the serological prevalence was 20 times greater than the parasitological prevalence. These results demonstrated the importance of incorporating serological techniques in epidemiological surveillance, for complementing parasitological findings and in the diagnosis and treatment of parasitoses. These techniques help in diagnosis and treatment of individuals who are false negative for stool examinations, which in turn reduces potential infection foci. When the prevalence distribution curve according to age group for 1980 was compared with that of this study (1998), a transference was observed of the highest prevalence, which was in the 10 -19 year old age group (190) to the 25 - 29 year old age group (1998). In 1980, the indices obtained by the Kato- Katz and RIF-IgM methods were 22.8% (58.5 epg of feces) and 55.5%, respectively. When compared with the results obtained by this study, a significant fall was observed in prevalence indices that indicated the effectiveness of the control measures. Nevertheless, the occurrence of residue transmission demonstrates the need for a joint effort in extending control and surveillance measures related to schistosomiasis mansoni
Subject: Schistosoma mansoni
Epidemiologia
Sorodiagnóstico
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2002
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Soares_LannyCristinaBurlandy_M.pdf663.18 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.