Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/313072
Type: TESE
Title: Fatores psicossociais desencadeantes de estresse no trabalho de agentes comunitários de saúde no município de Parnaíba/PI = Psychosocial factors triggering stress at work of community health agents of Parnaiba city
Title Alternative: Psychosocial factors triggering stress at work of community health agents of Parnaiba city
Author: Bezerra, Jairon Leite Chaves, 1986-
Advisor: Lucca, Sérgio Roberto de, 1957-
Abstract: Resumo: O trabalho em saúde tem sido destacado no meio internacional, devido ao alto nível de adoecimento dos trabalhadores. No Brasil, a Estratégia Saúde da Família configura-se uma reorientação do modelo assistencial de saúde na qual uma equipe multiprofissional acompanha a situação de saúde e promove ações a um número de famílias, dentro de um território. As condições em que estes profissionais vivenciam o seu trabalho podem ser desencadeantes de sofrimento mental, causando o estresse. O agente comunitário de saúde é um dos atores centrais no processo de trabalho em saúde do modelo de atenção à saúde brasileiro. Na cidade de Parnaíba/PI, esses trabalhadores parecem estar expostos a situações de desgaste físico e/ou emocional durante o exercício de suas funções. Isto percebido pelo pesquisador na sua rotina de trabalho no Núcleo de Apoio ao Saúde da Família do município, trouxe o interesse e motivação para realização da pesquisa. Com o objetivo de compreender os fatores psicossociais desencadeadores de estresse no trabalho na percepção dos agentes comunitários, optou-se realizar um estudo epidemiológico de corte transversal. Utilizando-se uma abordagem quanti e qualitativa, buscou-se aplicar um questionário de avaliação de estresse com toda a população pesquisada, além de se realizar um grupo focal para se esclarecer os resultados encontrados. Da amostra final, a sua maioria era de mulheres (73,2%), com idade acima dos 30 anos (74,3%), com formação técnica (26,2%) e pós-graduação (24,4%) e com tempo de exercício na profissão e no SUS superior aos 14 anos. O território do Distrito III (31,55%) foi o mais representado no estudo. Como principais dimensões psicossociais encontradas temos as relacionadas aos relacionamentos, às mudanças e ao controle. As narrativas do grupo focal revelaram que: os agentes entendem bem o cargo que ocupam; o apoio da chefia ocorre menos que o dos colegas; há atribuições excessivas somadas à violência no ambiente de trabalho; a autonomia do agente é limitada ainda à técnica; as carências do serviço e a falta de comunicação prévia promovem descontentamento dos profissionais e da comunidade. A dimensão mais destacada foi a de relacionamentos, pois vínculos estabelecidos com a comunidade a equipe e a gestão municipal não são tão valorizados podendo ser quebrados. Acredita-se que um trabalho mais organizado e pautado na humanização possa trazer espaços de trabalho mais saudáveis, evitando-se o adoecimento e, até mesmo, o Burnout

Abstract: Health work has been featured in the international environment due to the high level of illness of workers. In Brazil, the Family Health Strategy sets up a reorientation of the health care model in which a multidisciplinary team monitors the health status and promotes actions to a number of families within a territory. The conditions under which these professionals have their work may trigger mental suffering causing stress. The Community Health Worker is one of the central actors in the work process in health care to the Brazilian model. In Parnaíba/PI, these workers seem to be exposed to situations of physical and/or emotional stress during the performance of their duties. This perceived by the researcher in his work routine at the municipal Support Center for the Family Health, brought the interest and motivation for the research. In order to understand the psychosocial factors triggering at stress at work in the perception of Community Health Worker, it was decided to conduct an epidemiological cross-sectional study. Using a quantitative and qualitative approach, we attempted to apply a stress assessment questionnaire with all the research population, in addition to conducting a focus group to clarify the results. The final sample, the majority were women (73.2%), over the age of 30 years (74.3%), with technical training (26.2%) and graduate (24.4%) and exercise time in profession and in SUS higher to 14 years. The territory of the Third District (31.55%) was the most represented in the study. The main founded psychosocial dimensions was related to relationships, changes and control. The narratives of the focus group revealed that: workers understand well the position they hold; the support of the head is less than that of colleagues; there excessive assignment added to violence in the workplace; the agent's autonomy is still limited to the technique; the needs of the service and the lack of prior notification promote discontent among professionals and the community. The most prominent was the dimension of relationships beacause the links established with the community, staff and municipal management are not as valued and can be broken. It is believed that a more organized work and guided by the humanization can bring healthier workspaces, avoiding the illness and even the Burnout
Subject: Agentes comunitários de saúde
Condições de trabalho
Estresse psicológico
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2015
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Bezerra_JaironLeiteChaves_M.pdf2.09 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.