Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/313045
Type: TESE
Title: Sobre autonomias dirigidas e vestígios do passado : repercussões da gestão autônoma de medicamentos nas narrativas de trabalhadores da atenção básica
Title Alternative: Controlled autonomies and remains of the past : effects of autonomous psychotropic medication management in narratives of primary care workers
Author: Borges, Luana Ribeiro, 1981-
Advisor: Campos, Rosana Onocko, 1962-
Campos, Rosana Teresa Onocko
Abstract: Resumo: No Brasil a prescrição de psicofármacos pode ser considerada uma prática ainda não reformada, tendo em vista que, pesquisas recentes apontam para o baixo empowerment dos usuários em relação a seus tratamentos medicamentosos, deixando o poder desta decisão a critério apenas dos profissionais de saúde. Considerando isso, utilizamos o "medicamento" como gatilho para analisar o conflito de forças existentes em toda escolha clínica, inclusive na gestão da medicação. Conduzimos desta forma, por entender que ele ocupa um lugar importante quando se pretende problematizar as relações de poder existentes entre pacientes e profissionais de saúde. Assim, o objeto desse estudo está pautado nas inter-relações usuário/trabalhador/serviço de saúde, a quais tornam-se reveladoras dos desafios colocados a atual Política Nacional de Saúde Mental. Adotamos como base a estratégia de gestão autônoma de medicamentos (GAM), pois esse dispositivo tem se mostrado um intercessor potente para trabalhar tais questões. Então, buscando reconhecer seus efeitos naqueles que vivem a experiência GAM, desenvolvemos um estudo hermenêutico-narrativo de caráter qualitativo. Esse estudo fundamentou-se no tripé avaliação, participação e intervenção e teve como sujeitos-participantes trabalhadores da rede de assistência à saúde mental e estudantes de especialização em saúde da Unicamp. Foram realizados 9 Grupos de Intervenção GAM (GIs), sendo 4 em Unidades Básicas de Saúde (UBS) e 5 em Centros de Atenção Psicossocial (CAPS). Cada grupo contava com 2 operadores GAM (1 trabalhador e 1 estudante) e 10 usuários de psicotrópicos. Os GIs foram realizados nos serviços de saúde, com encontros semanais e duração média de 7 meses, atingindo nesse período 51 usuários e 29 operadores GAM. A fase de colheita dos dados ocorreu de Julho de 2011 à maio de 2012. Metodologicamente a pesquisa foi construída a partir da triangulação de métodos (entrevista semiestruturada, diário de bordo e oficinas de debate e aprofundamento). As entrevistas foram transcritas e transformadas em metanarrativas através da extração dos núcleos argumentais e após foram validadas por diferentes pesquisadores. O material foi analisado sob a perspectiva Gadameriana. Essa dissertação irá discutir os resultados obtido pelas entrevistas e irá considerar apenas a voz dos trabalhadores da Atenção Básica (8 metanarrativas). A escolha de trabalhar com esse segmento da atenção básica deu-se por entender que a mudança paradigmática resultante da Reforma Psiquiátrica brasileira vem solicitando cada vez mais a atuação desse nível de atenção nos cuidados à saúde mental de sua população adscrita. As falas desses trabalhadores trouxeram à tona a supervalorização do saber científico em detrimento do saber da experiência. Também, desvelaram a existência de modos de restrição da autonomia tanto do usuário como dos profissionais de saúde e as armadilhas que conduzem a medicalização e a restrição da liberdade e do cuidado de si. Ao mesmo tempo, foi possível observar o surgimento de um devir hermenêutico nos participantes do estudo, um movimento de colocar em questão as próprias verdades e as relações de saber/poder existente na clínica

Abstract: In Brazil psychotropic prescription can be considered a practice not yet reformed, given that recent studies show low empowerment of users regarding their drug treatments, letting this important decision only to the health professionals. Considering this, we use "drug" as a start to review the existing conflict of forces across clinical choice, including the management of medication. We conducted this way, understanding that it plays an important role when we intend to analyze the existing power relations between patients and health professionals. Thus, the object of this study is based in the interrelationships user / worker / health care service, which reveal the challenges to the current National Mental Health Policy. We adopt as a basis the strategy of Autonomous Medication Management (GAM), because this device has proved to be a powerful intercessor to work such issues. So, trying to recognize their effects on those living GAM experience, we developed a hermeneutic-narrative qualitative study. This study was based on tripod evaluation/ participation/ intervention, and had as participating subjects, mental healthcare staff and health specialization students of Unicamp. We performed 9 GAM Intervention Groups (GIs), 4 in Basic Health Units (UBS) and 5 in Psychosocial Care Centers (CAPS). Each group had 2 GAM operators (1 worker and 1 student) and 10 users of psychotropic drugs. The GIs were performed at services with weekly meetings and mean duration of 7 months, reaching in total 51 users and 29 GAM operators. The collection of data occurred from July 2011 to May 2012. The survey was constructed from the triangulation of methods (semi-structured interviews, logbook and workshops for discussion and deepening). The interviews were transcribed and processed in metanarratives through the extraction of argumentation nuclei, and then validated by different researchers. The material was analyzed under the Gadamerian perspective. This dissertation will discuss the results obtained by interviews and will consider only the voice of the Primary Care workers (8 metanarratives). The reason for choosing to work with primary care is related to the fact that it is increasingly being requested in the context of Brazilian psychiatric reform with regard to mental health care for its enrolled population The discourses of these workers have brought to light the overvaluation of scientific knowledge at the expense of learning from experience. Also unveiled the existence of modes of restricting the autonomy for both the users and the healthcare professionals and the pitfalls that lead to medicalization and freedom and self-care restrictions. At the same time, we observed the emergence of a hermeneutic becoming in the study participants, a movement to put into question the very truths and knowledge/power relations existing in the clinic
Subject: Saúde mental
Atenção primária à saúde
Psicotropicos
Medicalização
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2014
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Borges_LuanaRibeiro_M.pdf2.42 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.