Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/313005
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Doutorado
Title: Infecções bacterianas no transplante de fígado = características epidemiológicas, bactérias multirresistentes e fatores de risco = Bacterial infection after liver transplantation: epidemiological characteristics, multidrug-resistant bacteria and risk factors
Title Alternative: Bacterial infection after liver transplantation : epidemiological characteristics, multidrug-resistant bacteria and risk factors
Author: Sevá-Pereira, Tiago, 1972-
Advisor: Stucchi, Raquel Silveira Bello, 1958-
Abstract: Resumo: Introdução: O transplante de fígado vem sendo realizado rotineiramente como ferramenta terapêutica de rotina há quase 30 anos. A evolução clínica dos pacientes após o transplante depende de múltiplos fatores, entre os quais a presença de infecções, que é uma de suasdas maiores complicações mais frequentes e está associada a grande parte das mortes no primeiro ano pós-transplante de fígado. Estas infecções podem estar associadas a fatores relacionados aos pacientes com cirrose hepática, especialmente em casos de insuficiência hepática avançada, que por sua vez frequentemente são acometidos por infecções bacterianas e utilizam antibióticos de amplo espectro. Ultimamente, tem-se descrito aumento importante de infecções por agentes multirresistentes (MR), cujos principais fatores de risco são as infecções adquiridas em ambiente hospitalar, uso prévio de antibióticos e infecção prévia por bactéria MR. Estes fatores de risco, ao ocorrerems ocorrendo em candidatos ao transplante poderiam afetar também sua evolução após o transplante. Objetivos: Avaliar a prevalência e as características das infecções bacterianas, particularmente por agentes MR, no período pósem pacientes transplantados de-transplante de fígado na realidade brasileirana Unicamp. Além disso, definir fatores de risco para infecções pós-transplante, em especial os relacionados ao paciente cirrótico em sua fase pré-transplante, e avaliar a influência das infecções na evolução clínica na mortalidade após o transplante. Métodos: Fforam avaliados retrospectivamente todos os pacientes adultos submetidos a um primeiro transplante hepático, com sobrevida ? 48 h, entre setembro de 2010 e agosto de 2013 no Hospital de Clínicas da Unicamp. Os desfechos estudados foram as infecções bacterianas, as infecções por bactérias MR e a sobrevida. Foram analisadas variáveis clínicas e laboratoriais dos receptores no períodos pré-transplante, intraoperatório e pós-transplante. Os fatores de risco foram avaliados por análise multivariada de regressão de Cox, e a sobrevida pelo método de Kaplan-Meier. Resultados: Eentre os 98 pacientes estudados, 51 (52%) apresentaram infecção bacteriana, dos quais 37 (72%) tiveram cultura positiva, e em 24 (47%) destes pacientes foi identificada bactéria MR. Os fatores de risco independentes para infecção bacteriana foram síndrome hepatorrenal prévia (razão de risco [HR]: 2.,65; p = 0.,015) e níveis de albumina sérica pré-transplante (HR: 0.,65; p = 0.,044). Uso profilático de norfloxacino (HR: 2.,78; p = 0.,033) e a relação normatizada internacional (HR: 1.,69; p = 0.,021) foram fatores de risco para infecções MR. A sobrevida foi significativamente menor em pacientes que apresentaram infecção após o transplante (log-rank p < 0.,001), no entanto a presença de infecção MR não foi associada a uma piora adicional da sobrevida (log-rank p = 0.,712). A pPresença de infecção bacteriana após o transplante de fígado (HR: 4.,11; p = 0.,001) e maior o volume de transfusão de concentrado de hemácias (HR: 1.,08; p = 0.,02) foram fatores independentes de risco para mortalidade. Conclusões: Aas infecções bacterianas após o transplante hepático estão associadas a maior mortalidade, e os fatores de risco para infecções são a presença de síndrome hepatorrenal e níveis baixos de albumina antes do transplante. O uso profilático de norfloxacino pode aumentar o risco para infecção MR após o transplante

Abstract: Background: Infection is a frequent and severe complication of liver transplantation. However, widespread antibiotic use and frequent hospitalizations have led to the emergence of multidrug-resistant (MDR) bacteria that affects cirrhotic patients and may complicate post-transplantation care. Methods: We retrospectively reviewed all adults who underwent their first liver transplantation, and survived for ? 48 h, at a single Brazilian center (September 2010¿August 2013). The study outcomes included bacterial infection, multidrug-resistant (MDR) infection, complications, and outcomes. Patients were followed for ?1 year, until death, or until re-transplantation. We used the Kaplan-Meier method to evaluate survival and multivariate Cox regression analysis to identify infection risk factors. Results: Among 98 patients, bacterial infections were detected in 51 (52%) patients. Thirty-seven (72%) patients had positive cultures, and 24 (47%) patients had MDR infections. The risk factors for infection were previous hepatorenal syndrome (hazard ratio [HR]: 2.65; p = 0.015) and low pre-transplantation albumin levels (HR: 0.65; p = 0.044). Higher pre-transplantation international normalization ratio (HR: 1.69; p = 0.021) and prophylactic use of norfloxacin (HR: 2.78; p = 0.033) were risk factors for MDR infection. Significantly lower survival was associated with bacterial infection (log-rank p < 0.001), although MDR infection did not further affect survival (log-rank p = 0.712). Infection (HR: 4.11; p = 0.001) and larger red blood cell transfusions (HR: 1.08; p = 0.02) were independent mortality risk factors. Conclusions: Bacterial infections after liver transplantation are affected by pre-transplantation status, and are associated with mortality. Long-term norfloxacin prophylaxis can increase the risk of MDR infection
Subject: Fígado - Transplante
Cirrose hepática
Infecções bacterianas
Farmacorresistência bacteriana
Fatores de risco
Editor: [s.n.]
Citation: SEVÁ-PEREIRA, Tiago. Infecções bacterianas no transplante de fígado: características epidemiológicas, bactérias multirresistentes e fatores de risco = Bacterial infection after liver transplantation: epidemiological characteristics, multidrug-resistant bacteria and risk factors. 2015. 1 recurso online ( 83 p.). Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/313005>. Acesso em: 29 ago. 2018.
Date Issue: 2015
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Seva-Pereira_Tiago_D.pdf4.69 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.