Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/312987
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Influencia da exposição intestinal ao liquido amniotico sobre o crescimento intra-uterino e o crescimento intestinal em um modelo de gastrosquise experimental
Author: Teixeira, Antonio Roberto Franchi, 1968-
Advisor: Sbragia Neto, Lourenço, 1962-
Abstract: Resumo: Gastrosquise é um defeito do fechamento da parede abdominal na região para-umbilical geralmente à direita, por onde as alças intestinais são exteriorizadas para a cavidade amniótica. O contato do intestino com o líquido amniótico (LA) leva à inflamação e espessamento das alças, imaturidade dos plexos mioentéricos e ao retardo do trânsito intestinal. A maior repercussão neonatal da imaturidade intestinal na gastrosquise é o longo tempo de hospitalização que pode levar a complicações graves como translocação bacteriana e sepse. Além disso, a maior parte desses neonatos apresenta restrição do crescimento intra-uterino (RCIU) cuja causa não está bem esclarecida. O objetivo deste estudo é avaliar a influência do tempo de exposição do intestino ao LA sobre o crescimento intestinal e sua repercussão no peso corporal em um modelo de gastrosquise em ratos. Dois grupos de fetos de rato Spreague-Dowley (termo =21,5 dias) foram criados: Grupo I - fetos operados aos 18,5 dias de gestação e Grupo II - fetos operados aos 19,5 dias de gestação, ambos constituídos por 20 tríades de gastrosquise (G), controle (C) e sham (S). Os animais foram comparados quanto ao peso corporal (PC), peso intestinal (PI) e comprimento intestinal (CI) e suas relações (PI/PC; PI/CI; PC-PI). Para comparação com fetos de gastrosquise, foram estabelecidas curvas de PC, PI e CI a partir de fetos normais sacrificados em diferentes idades gestacionais (18,5; 19,5; 20,5 e 21,5 dias). Os resultados demonstraram que os fetos com gastrosquise apresentaram PC menor (p<0,005), PI maior (p<0,005), CI menor (p<0,005) e PC-PI menor (p<0,005) de que seus controles. Os fetos do Grupo I apresentaram maior encurtamento em relação ao Grupo II (42% x 33%) (p<0,05). Conclui-se que a maior exposição das alças ao LA causa um maior encurtamento intestinal, e o RCIU é uma conseqüência direta da gastrosquise. Os resultados deste experimento sugerem que a antecipação do trabalho de parto em fetos portadores de gastrosquise e RCIU pode ser benéfica ao evitar um maior encurtamento intestinal

Abstract: Gastroschisis is a defect in the abdominal wall closure affecting the paraumbilical region, mainly in the right side, where small bowel protudes towards amniotic cavity. Bowel contact with amniotic fluid (AF) leads to bowel inflammation and swelling. Imaturity of myoenteric plexus and retardation of intestinal transit. Major neonatal gastroschisis repercussion is delayed hospital ingress time which may lead to severe complication as bacterial translocation and sepsis. Nevertheless the majority of these newborns present intrauterine growth restriction (IUGR) of not yet established cause. The aim of this study is to evaluate the influence of time of bowel exposure to AF on intestinal growth and its repercussion in body weight in a model of gastroschisis in the rat. Two groups of Spreague-Dowley rat fetuses (term=21.5 days) were created. Group I- operated at gestational day 18.5 and Group II- operated at gestational day 19.5, both consisting of 20 triads of gastroschisis (G), control (C) and sham (S). Animals were compared concerning body weight (BW), intestinal weight (IW), and intestinal length (IL) and their relations (IW/BW; IW/IL; BW-IW). For comparison with gastroschisis fetuses
Subject: Cirurgia experimental
Feto
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2004
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Teixeira_AntonioRobertoFranchi_D.pdf2.36 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.