Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/312976
Type: TESE
Title: Carcinomas primarios do ovario : estudo imunoistoquimico do p53, PTEN e Ki67 relacionado a dados clinicos e morfologicos : uma discussão sobre vias de carcinogenese
Author: Gomes, Cristiane Pereira, 1968-
Advisor: Andrade, Liliana Aparecida Lucci de Angelo, 1951-
Abstract: Resumo: Os carcinomas representam 80 a 95 % das lesões malignas do ovário. As lesões epiteliais, com especial ênfase aos grupos dos tumores borderline e malignos, apresentam-se subclassificadas em entidades numerosas e de difícil reprodutibilidade com questionável relevância prognóstica e terapêutica denotadas pela persistência dos estádios avançados no momento do diagnóstico e pela falta de alteração significativa da sobrevida nas duas últimas décadas. A necessidade de marcadores que auxiliem na identificação de lesões precursoras, prevejam o comportamento biológico e de resposta ao tratamento dessas neoplasias são importantes não só para caracterização diagnóstica, como também, para a otimização da sobrevida . O gene P53 codifica uma fosfoproteína de 53 quilodaltons que tem como funções a regulação do ciclo celular, a apoptose, o reparo de DNA e a senescência celular. A mutação do P53 é observada em mais de 50% dos carcinomas ovarianos e tem sido relacionada a um pior prognóstico e à quimiorresistência. Já o gene PTEN determina a produção de uma fosfatase que influencia os sinais de sobrevivência celular, de apoptose e das interações célula-matriz extra-celular e tem sido estudada em neoplasias epiteliais ovarianas como indicadora de possíveis vias de carcinogênese, de alvo de novas terapêuticas e como marcador diagnóstico/prognóstico. Nosso estudo visou estudar esses marcadores (p53 e PTEN) como instrumentos auxiliares na caracterização dos carcinomas primários do ovário. Setenta casos de carcinomas primários do ovário, subdivididos em 27 endometrióides, 26 serosos e 17 mucosos, foram avaliados através de reações imunoistoquímicas para o p53, PTEN e Ki67 ( marcador de proliferação celular) e comparados com parâmetros morfológicos (tipo e grau histológicos) e clínicos (idade, estádio da doença e diâmetro tumoral). A maior expressão do p53 foi observada em lesões menos diferenciadas (graus 2 e 3 histológicos), em particular no grupo dos carcinomas serosos. Os carcinomas serosos apresentaram um predomínio significativo de casos em estádios avançados (III e IV). A expressão citoplasmática da proteína PTEN foi significantemente menor (negativa) nos carcinomas endometrióides G1 que, em 60% dos casos, se mostraram associados a áreas de endometriose. A positividade para o Ki67 foi maior nos carcinomas serosos e menor nas lesões de grau 1. Os maiores diâmetros tumorais foram observados no grupo dos carcinomas mucosos, todos de grau 1 histológico, associados em 77% dos casos a áreas de padrão benigno e borderline. Estes resultados permitem concluir que a maior freqüência de expressão da p53 está associada à perda da capacidade de diferenciação, em particular nas neoplasias de padrão morfológico seroso. A inativação do PTEN parece representar um fenômeno precoce no processo de carcinogênese no grupo dos carcinomas endometrióides bem diferenciados, como observado nos carcinomas de endométrio do tipo I, em associação com focos de endometriose. Os carcinomas mucosos apresentam um gradiente morfológico ¿adenoma-tumor borderline-carcinoma¿, falando a favor uma possível origiem a partir de lesões mucosas pré-existentes. Esses achados sugerem a possibilidade de que diferentes vias de carcinogenêse estejam envolvidas no processo de transformação maligna dos tumores epiteliais ovarianos

Abstract: Cell cycle regulators have been studied in epithelial ovarian neoplasms as possible indicators of pathogenetic pathways, and as way to study new therapeutic approaches and prognostic markers. PTEN and p53 are proteins that have many different cellular regulatory functions. We studied their immunohistochemical expression in seventy cases of primary ovarian carcinomas (26 serous, 27 endometrioid and 17 mucinous) and compared the results with morphological parameters (histological grade and type) and clinical data (age, stage, tumor size). Statistical analyses showed a significantly higher expression of p53 in histologically high-grade tumors (grades 2 and 3), mainly of the serous subtype. The loss of expression of PTEN was significantly more frequent in grade 1 endometrioid adenocarcinomas which were associated with areas of endometriosis in 60% of cases. The mucinous tumors had significantly greater diameters and were associated with 77% of samples with areas of a histological pattern of ¿adenoma-borderline-carcinoma¿. P53, PTEN and Ki67 did not show association with each other, nor with diameter or stage of the tumor. Conclusions: The higher expression of protein p53 is associated with differentiation capacity loss, especially in serous tumors. However, PTEN inactivation is an early event in carcinogenesis of the endometrioid subtype, as observed in type I endometrial carcinoma. Mucinous carcinoma were related to the ¿adenoma-borderline-carcinoma¿ histological spectrum, favoring the idea of pre-existent lesions. Our results are in keeping with different pathogenetic pathways in different types of ovarian carcinoma, prompting the search for new strategies of prevention and treatment
Subject: Carcinoma
Ovarios - Câncer
Imuno-histoquímica
Patogenesia
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2005
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Gomes_CristianePereira_D.pdf933.69 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.