Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/312920
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Autoavaliação de saúde e transtorno mental comum em idosos : estudo de base populacional no município de Campinas, SP
Title Alternative: Self-rated health and common mental disorder in the elderly : a population-based study in Campinas, SP
Author: Borim, Flávia Silva Arbex, 1977-
Advisor: Barros, Marilisa Berti de Azevedo, 1948-
Abstract: Resumo: A autoavaliação da saúde é um construto multidimensional e tem sido amplamente utilizada como importante indicador de bem-estar individual e coletivo. Estudos mostram uma associação das variáveis socioeconômicas e demográficas com essa medida. Estes fatores influenciam o estabelecimento de diferentes estilos de vida, que contribuem para a ocorrência ou prevenção de problemas de saúde. Os estudos longitudinais têm apontado a autoavaliação de saúde como robusto preditor de morbidade, incapacidade, depressão e mortalidade. A avaliação subjetiva do estado de saúde inclui a dimensão mental, que para o idoso é imprescindível para a realização das atividades funcionais. Este estudo tem como objetivos: analisar a prevalência da saúde autoavaliada como excelente ou muito boa segundo variáveis demográficas, socioeconômicas e de comportamentos relacionados à saúde, em idosos; analisar a prevalência do transtorno mental comum (TMC), medido pelo Self Reporting Questionnaire 20 (SRQ-20), os fatores associados a este transtorno; e avaliar a relação da autoavaliação de saúde negativa com indicadores de saúde física e mental, com variáveis socioeconômicas e demográficas, e com bem estar subjetivo, nos indivíduos com 60 anos e mais. Trata-se de um estudo transversal, de base populacional, que utilizou dados de inquérito domiciliar de saúde realizado em Campinas, SP, Brasil, em 2008, com amostra por conglomerados em dois estágios. A análise dos dados levou em conta as ponderações relativas ao desenho amostral e foi feita com o uso do software STATA versão 11.0. Foram testadas as associações das diversas variáveis com a autoavaliação da saúde e o TMC. Também foram analisadas as estimativas de prevalências e calculadas as razões de prevalências ajustadas. Os resultados revelaram associação de autoavaliação de saúde com religião, escolaridade, renda, número de moradores no domicílio, possuir computador, consumo de bebida alcoólica, atividade física, consumo de frutas e verduras e índice de massa corpórea. Também foi encontrado associação com os indicadores de saúde física, saúde mental e com sentimento de felicidade. Em relação ao TMC houve uma associação com sexo, idade, renda, ocupação, atividade física, consumo de bebida alcoólica, autoavaliação de saúde e morbidades. Estes resultados apontam para desdobramentos no âmbito das ações em saúde coletiva, tais como: a) investir na autonomia e na vida saudável dos idosos; b) prover atenção adequada às necessidades com ênfase nos hábitos de vida saudáveis; c) enfatizar o trabalho na velhice, que representa uma autonomia e inserção do indivíduo; d) investir na promoção da saúde com controle adequado das doenças crônicas e da saúde mental, com atenção para o quadro depressivo na terceira idade; e) desenvolver programas de saúde e de bem-estar social voltados para os segmentos socioeconômicos menos favorecidos e identificar recursos individuais-psicológicos capazes de atuar como fatores de apoio na velhice

Abstract: The self-rated health is a multidimensional construct and has been widely used as an important indicator of individual and collective welfare. Studies show an association of socioeconomic and demographic variables with that measure. These factors influence the establishment of different lifestyles that contribute to the occurrence or prevention of health problems. Longitudinal studies have pointed to the self-rated health as a robust predictor of morbidity, disability, depression and mortality. The subjective assessment of health includes mental dimension, which for older people is essential to the achievement of functional activities. This study aims: to analyze the prevalence of self-rated health as excellent or very good according to demographic, socioeconomic and health-related behaviors variables in elderly; to analyze the prevalence of common mental disorders (CMD), as measered by Self Reporting Questionnaire 20 (SRQ-20), the factors associated with this disorder; and to evaluate the association of self-rated health as negative with indicators of mental and physical health, socioeconomic and demographic variables, and subjective well-being in individuals 60 and over aged. This is a cross-sectional study, population-based, which used data from a home survey carried out in Campinas, SP, Brazil, in 2008, with two-stage conglomerate sampling. Data analysis considered the weights related to the sampling design and was performed using STATA software version 11.0. Associations of several variables were tested with self-rated health and CMD. Furthermore prevalence estimates and adjusted prevalence ratios were calculated. The results revealed association of self-rated health to religion, education, income, number of household members, owning computer, alcohol consumption, physical activity, consumption of fruits and vegetables and body mass index. It was also found association with indicators of physical health, mental health and feeling of happiness. Regarding the CMD was association with gender, age, income, occupation, physical activity, alcohol consumption, self-rated of health and morbidities. These results point to developments in the context of actions in public health, such as: a) emphasizing the autonomy and healthy life of the elderly; b) provide adequate attention to the needs with an emphasis on healthy lifestyles; c) emphasizes working in old age, which represents an individual's autonomy and integration; d) Investing in health promotion with adequate control of chronic diseases and mental health, with attention to depressive symptoms in elderly; e) develop health programs and social welfare for lowest socioeconomic sectors and identifies individual - psychological resources capable of acting as supporting factors in old age
Subject: Saúde do idoso
Inquéritos epidemiológicos
Autoavaliação
Transtornos mentais
Idosos - Saúde mental
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2014
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Borim_FlaviaSilvaArbex_D.pdf3.42 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.