Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/312919
Type: TESE
Title: Perfil epidemiológico e tendência da internação hospitalar por causas externas no Sistema Único de Saúde - Brasil, 2002-2011
Title Alternative: Epidemiological profile and trends of hospitalizations due to external causas in the Unified Health System - Brazil, 2002-2011
Author: Mascarenhas, Márcio Dênis Medeiros, 1978-
Advisor: Barros, Marilisa Berti de Azevedo, 1948-
Abstract: Resumo: As causas externas de morbidade e mortalidade se referem aos acidentes e violências que provocam algum tipo de lesão, seja física ou psíquica, e que podem ou não ter o óbito como desfecho. Trata-se de importante causa de óbito em muitos países, com grande impacto no perfil da morbidade hospitalar. Embora ainda subutilizados para fins de análises epidemiológicas, os dados provenientes do Sistema de Informações Hospitalares do Sistema Único de Saúde (SIH/SUS) podem ser uma importante fonte de informação para analisar o comportamento epidemiológico da internação hospitalar por causas externas. O objetivo deste estudo foi analisar o padrão epidemiológico e a tendência das internações hospitalares por causas externas ocorridas no sistema público de saúde do Brasil, no período de 2002 a 2011. Estudo descritivo e ecológico com dados referentes às internações hospitalares por causas externas ocorridas no sistema público de saúde e registradas no SIH/SUS. Calculou-se o coeficiente de internação hospitalar por 100 mil habitantes, considerando o número de internações segundo local de residência no numerador e a população residente no denominador. Foram calculados os indicadores de permanência média e de letalidade hospitalar. Para estimar a tendência, utilizou-se o modelo de regressão linear simples, sendo o coeficiente de internação hospitalar a variável dependente (Y) e o tempo (ano-calendário), a variável independente (X). O coeficiente de internação hospitalar foi considerado crescente quando ? foi positivo, e decrescente quando ? foi negativo. A significância estatística do modelo de tendência foi atestada quando p<0,05. Das 973.015 internações hospitalares por causas externas ocorridas em 2011 no sistema público de saúde do Brasil, predominaram as internações por quedas (38,4%) e acidentes de transporte terrestre (15,8%). O risco de internação hospitalar por causas externas revelou-se crescente com a idade, mais elevado no sexo masculino e na região Centro-Oeste do país. A permanência média foi maior nas internações por agressões (6,0 dias) e acidentes de transporte terrestre (6,1 dias), enquanto a letalidade atingiu maiores valores nas internações por agressões (4,7%) e lesões autoprovocadas (4,0%). No período de 2002 a 2011, o coeficiente de internação hospitalar por causas externas apresentou tendência crescente com variação anual média de 11,6% (p=0,000). Verificou-se tendência crescente nas internações por quedas (2,7%; p=0,000) e acidentes de transporte terrestre (2,1%; p=0,014) e tendência decrescente nas internações por lesões autoprovocadas (-0,2%; p=0,000), enquanto as internações por agressões permaneceram estáveis. Este estudo contribui com o conhecimento do padrão da internação hospitalar por causas externas no Brasil, oferecendo uma compreensão mais abrangente sobre esses agravos, ao complementar as informações de mortalidade já amplamente divulgadas. Apesar de registrar informações sobre aproximadamente 70% a 80% das internações hospitalares e de necessitar de melhorias no que se refere à qualidade da informação fornecida, o SIH/SUS é uma ferramenta essencial para a definição de políticas e programas de prevenção e de assistência às causas externas no Brasil

Abstract: External causes of morbidity and mortality relate to accidents and violence that cause some kind of injury, whether physical or mental, and that may or may not have death as the outcome. It is an important cause of death in many countries, with a major impact on the morbidity profile. Although still underutilized for purposes of epidemiological analyzes, data from the Hospital Information System of the Brazilian Unified Health System (SIH/SUS) can be an important source of information to analyze the epidemiological behavior of hospitalizations due to external causes. The aim of this study was to analyze the epidemiological pattern and trends in hospital admissions due to external causes occurring in the public health system in Brazil, in the period 2002-2011. This is a descriptive and ecological study using data on hospital admissions due to external causes occurred in the public health system and registered in SIH/SUS. We calculated the coefficient of hospitalization per 100 thousand inhabitants. Indicators of average stay and hospital mortality were calculated. To estimate the trend, the model of simple linear regression was used. The coefficient of hospitalization was the dependent variable (Y) and time (calendar year) was the independent variable (X). The coefficient of hospitalization was considered increased when ? was positive and decreasing when ? was negative. The statistical significance of the trend model was attested when p<0.05. Of the 973,015 hospital admissions due to external causes occurred in 2011 in the public health system in Brazil, admissions for falls (38.4%) and traffic accidents (15.8%) predominated. The risk of hospitalization due to external causes has proved with increasing age, higher in males and in the Midwest region of the country. The average stay was higher in admissions for assault (6.0 days), traffic accidents (6.1 days), whereas mortality rate reached higher values in hospitalizations for assaults (4.7%), and self-harm (4.0%). During the period 2002-2011, it was found that the coefficient of hospitalization due to external causes showed increasing trend with an average annual growth of 13.1 % (p=0.000) . There was increasing trend in admissions for falls (2.7%; p=0,000) and traffic accidents (2.1%, p=0.014) and declining in hospitalizations for self-harm (-0.2%, p=0.000), while hospitalizations for assaults remained stable. This study contributes to the knowledge of the pattern of hospitalizations due to external causes in Brazil, offering a more comprehensive understanding of this important public health issue. Despite recording information on approximately 70%-80% of hospitalizations and need for improvement as regards the quality of information provided, the SIH/SUS is an essential tool for action assistance planning and prevention of external causes in Brazil
Subject: Causas externas
Acidentes
Violência
Hospitalização
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2014
Appears in Collections:FCM - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Mascarenhas_MarcioDenisMedeiros_D.pdf1.52 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.