Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/312907
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Desenvolvimento da relação mãe-filho em unidade de cuidados intermediários neonatais após gravidez de alto-risco = estudo clínico qualitativo = Development of mother-child relationship in intermediate care unit after righ-risk pregnancy: clinical-qualitative study
Title Alternative: Development of mother-child relationship in intermediate care unit after righ-risk pregnancy : clinical-qualitative study
Author: Fleury, Camila, 1975-
Advisor: Makuch, Maria Yolanda
Makuch, Maria Yolanda
Abstract: Resumo: Objetivo: Estudar o desenvolvimento da relação mãe-bebê de mulheres diagnosticadas com gravidez de alto risco, cujos bebês foram internados em unidade de cuidados intermediários neonatais (UCIN) e as perspectivas e ações dos profissionais de saúde, que cuidam destes bebês, sobre o desenvolvimento dessa relação. Método: Como marco conceitual utilizou-se os conceitos psicanaliticos de preocupação materna primária e holding desenvolvidos por Winnicott. Foi realizado um estudo clínico-qualitativo com amostragem proposital, onde o número de participantes foi determinado pelo critério de saturação de informação. A amostra foi composta de dois grupos de participantes. Um grupo foi formado por mulheres puérperas diagnosticadas com síndrome hipertensiva ou diabetes gestacional, cujos bebês necessitaram internação na UCIN. O outro grupo foi formado por profissionais de saúde que cuidaram destes recém-nascidos na UCIN. Foram realizadas entrevistas semi-dirigidas utilizando-se roteiro temático. Todas as entrevistas foram gravadas e transcritas na íntegra. Os dados foram analisados por meio da técnica de análise de conteúdo temática. As categorias de análise foram organizadas de acordo com os conceitos do referencial teórico e temas emergentes. Resultados: Participaram do estudo 20 mulheres e 20 profissionais de saúde da UCIN - médicos assistentes, médicos residentes do terceiro ano, enfermeiras assistentes e técnicos de enfermagem. Todas as mulheres mostraram sinais do desenvolvimento da preocupação materna primária. As mães se referiram a uma aproximação crescente com seu bebê já nos relatos sobre a gestação. Apesar do receio inicial elas expressaram desejo de assumir os cuidados prestados ao filho, desenvolvendo habilidades para compreendê-lo, atendendo suas necessidades de forma sensível e amorosa. As mães sentiram restrições de contato com o bebê e expressaram a necessidade de maior liberdade para atender às suas necessidades. O contato mais próximo com o bebê foi descrito pelas mães e profissionais como importante para que as mulheres se sentissem desempenhando o papel materno. A atitude de holding às mães foi realizada de modo diferente entre médicos e profissionais de enfermagem. Os médicos auxiliavam as mães fornecendo informações clínicas, com atitude cuidadosa, mantendo-se à disposição para elucidar dúvidas. A equipe de enfermagem incentivava o contato mãe-bebê, apresentando e favorecendo diferentes formas de aproximação e cuidados. De acordo com as mães, o cuidado e carinho dos profissionais de saúde com as próprias mães e com os bebês incentivou sua aproximação com o bebê e contribuiu para deixá-las mais tranquilas e seguras para cuidar dele. Conclusão: Mulheres diagnosticadas com gravidez de alto risco, cujos bebês necessitaram internação em UCIN logo após o nascimento, embora tenham sentido limitações para o relacionamento com o filho, conseguiram desenvolver a preocupação materna primária e um bom relacionamento inicial com ele. O ambiente de holding proporcionado pelos profissionais de saúde foi importante para auxiliar estas mães a desenvolverem sua relação com o bebê no ambiente de internação

Abstract: Objective: Study the development of the mother-child relationship of the women diagnosed with high risk pregnancy whose newborn were hospitalized in an intermediate neonatal intensive care unit (NICU), and the perspectives and actions of the healthcare professionals, who take care of these babies, regarding this relationship development. Methods: Winnicott theoretical concepts regarding the primary maternal preoccupation and holding were used as a conceptual framework. A clinical-qualitative study was performed with purposeful sampling, whose number of participants was determined following the information saturation criteria. The sample was composed of two participants groups. One group was formed by postpartum women diagnosed with postpartum hypertension syndrome or gestational diabetes, whose newborns needed to be hospitalized in NICU. The other group was formed by health professionals who took care of these babies in the NICU. Semi-structured interviews were performed using a thematic guide. All interviews were recorded and verbatim transcribed. The data were analyzed through the thematic content analysis technique. The analysis categories were organized according to the theoretical concepts and emerging themes. Results: A total of 20 women and 20 health professionals of NICU participated in the study (physicians, medical residents, nurses and nursing technicians). All the women showed primary maternal preoccupation development signs. The mothers referred to a growing closeness with your baby in their pregnancy reports. Despite initial fears the mothers expressed a desire to take over the care provided to their child, developing skills to understand them, meeting their needs in a sensitive and loving way. Mothers felt restrictions of contact with the baby and expressed the need for a greater freedom to meet your needs. The closest contact with the baby was described by mothers and professionals as important for women to feel playing the maternal role. The holding attitude with the mothers was conducted differently among doctors and nurses. Doctors assisted mothers providing clinical information, with careful attitude, making them available to clarify doubts. The nurses encouraged the mother-infant contact, presenting and promoting different ways to approach and care. According to the mothers, the care and affection of health professionals with their own and the babies, encouraged their approach with the baby, making them more more calm and safe to care about him. Conclusion: Women diagnosed with high-risk pregnancy, whose babies required hospitalization in NICU after birth, although they felt limitations to relate with his child, developed the primary maternal preoccupation and a good initial relationship with her baby. The holding environment provided by the health professionals was important to help these mothers to develop their relationship with the baby in the hospitalization environment
Subject: Relações mãe-filho
Pessoal de saúde
Pesquisa qualitativa
Language: Multilíngua
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2014
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Fleury_Camila_D.pdf2.55 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.