Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/312836
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Avaliação de aspectos clínicos, densidade mineral óssea, composição corporal e peso entre as usuárias de contraceptivos de somente progestágenos = Assessment of clinical, bone mineral density, body composition and weight among users of progestin-only contraceptives
Title Alternative: Assessment of clinical, bone mineral density, body composition and weight among users of progestin-only contraceptives
Author: Modesto, Waleska Oliveira, 1980-
Advisor: Bahamondes, Luis Guillermo, 1946-
Abstract: Resumo: A diminuição da densidade mineral óssea (DMO), o ganho do peso e as alterações nos padrões de sangramento são frequentemente associados ao uso dos métodos de somente progestágeno. Aspectos não completamente elucidados quanto ao momento e tempo de ocorrência podem prejudicar a continuação e ocasionar descontinuação prematura ou induzir morbidades. Objetivos: Avaliar a DMO, ganho do peso e taxas de descontinuação por transtornos de sangramento dos métodos de somente progestágenos. Sujeitos e Métodos: realizaram-se quatro estudos sobre a influência do acetato de medroxiprogesterona de depósito (AMPD): A) sobre a DMO e a composição corporal (CC) de suas usuárias a partir dos 12 meses até os 23 anos de uso; B) sobre ganho de peso em usuárias do AMPD, do sistema liberador de levonorgestrel (SIU-LNG) e do dispositivo intra-uterino com cobre (DIU) até 10 anos de uso, C) sobre a influência do implante liberador de etonogestrel (ENG) na DMO e na CC até 24 meses de seguimento e D) avaliamos a influência de diferentes orientações em relação aos distúrbios do sangramento nas taxas de continuação das usuárias de SIU-LNG, implante liberador de ENG e DIU. Resultados: a DMO aos 12 meses de uso do AMPD foi menor na coluna lombar quando comparadas a usuárias de DIU e aos 10 anos de uso 29,8% das usuárias do AMPD apresentaram osteoporose comparado a 2,4% das usuárias de DIU. Na CC, observou-se que, aos 12 meses, ocorreu um aumento de 2Kg de massa gorda e 2% na porcentagem de massa gorda nas usuárias de AMPD, porém, a longo prazo, não houve diferença na quantidade de massa gorda quando comparadas à usuárias de DIU. O peso aumentou ao final do primeiro ano em 1,3Kg, 0,7Kg e 0,2Kg e, aos 10 anos, em 6,6Kg, 4,0Kg e 4,9Kg nas usuárias de AMPD, SIU-LNG e DIU, respectivamente. Nas usuárias do implante liberador de ENG ocorreu uma diminuição da DMO da coluna lombar aos 12 meses e um aumento de 2% a 2,7% da massa gorda aos 12 e 24 meses comparadas à usuárias de DIU. Mulheres que receberam orientações de rotina ou intensivas quanto ao padrão de sangramento esperado não mostraram diferenças significativas nas taxas de descontinuação do SIU-LNG, do implante liberador de ENG e do DIUT. Conclusões: O uso do AMPD ocasionou uma diminuição na DMO no primeiro ano de uso, essa diminuição foi progressiva e aumentou a prevalência de osteoporose em longo prazo. Usuárias do AMPD, SIU-LNG e DIU apresentaram ganho do peso aos 10 anos de uso, sendo maior em usuárias de AMPD. A massa gorda aumentou no primeiro ano de uso do AMPD, porém, não foi significante em longo prazo quando comparada à usuárias do DIU. Em usuárias do implante liberador de ENG foi encontrado um ganho do peso e da massa gorda aos 24 meses e uma diminuição da DMO após 12 meses. As estratégias de orientação de rotina e intensivas não apresentaram diferenças nas taxas de continuação das usuárias do implante liberador de ENG , SIU-LNG e DIU

Abstract: The decrease in bone mineral density (BMD), weight gain and changes in uterine bleeding patterns are often associated with the use of progestin-only methods. Aspects not still elucidated and the moment of occurrence could harm the continuation and provoke premature discontinuation or induce morbidities. Objectives: To evaluate BMD, weight gain and discontinuation rates for bleeding disturbances of progestin-only methods. Subjects and Methods: Four studies were conducted with depot medroxyprogesterone acetate (DMPA) users: A) regarding BMD and body composition (BC) from 12 months to 23 years of use; B) on weight gain among DMPA users, the levonorgestrel-releasing intrauterine system (LNG-IUS) and cooper-intrauterine device (IUD) up to 10 years of use; C) on the influence of the etonogestrel-releasing implant (ENG) upon BMD and BC up to 24 months of follow-up; and D) to evaluate the influence of two counseling strategies regarding to bleeding disorders in continuation rates of the users of the LNG-IUS, ENG-implant and IUD. Results: BMD after 12 months of DMPA use was lower at the lumbar spine compared to IUD users and 29.8% has osteoporosis among those women who had used DMPA for 10 years or more compared to 2.4% of IUD users. Regarding BC, at 12 months of use it was observed, an increase of 2 kg of fat mass and 2% in the percentage of fat mass in DMPA users; however, in the long-term use, there was no difference in the amount of fat mass compared to IUD users. The weight increased at the end of the first year was 1.3kg, 0.7kg and 0.2kg and, at 10 years, was 6.6kg, 4.0kg and 4.9kg among DMPA-, LNG-IUS- and IUD-users, respectively. Users of the ENG-implant showed a decrease in BMD at lumbar spine after 12 months of use and an increase of 2% to 2.7% of fat mass at 12 and 24 months when compared to IUD-users. Women who received routine or "intensive" counseling about the expected bleeding patterns showed no significant differences regarding the rates of discontinuation of LNG-IUS, ENG-implant and IUD. Conclusions: Users of DMPA showed a decrease in BMD at the end of the first year of use, the decrease was progressive and an increased prevalence of osteoporosis in the long-term use was observed. DMPA, LNG-IUS and IUD users showed weight gain after 10 years of use, higher in DMPA users. Fat mass increased in the first year of DMPA use; however, was not significant in the long-term when compared to IUD-users. In ENG-implant users it was found a weight gain and increase of fat mass at 24 months and a reduction in BMD after 12 months of use. The routine and "intensive" counseling showed no differences in rates of continuation in ENG-implant, LNG-IUS- and IUD-users
Subject: Anticoncepcionais femininos
Peso corporal
Composição corporal
Densidade óssea
Progestinas
Language: Multilíngua
Editor: [s.n.]
Citation: MODESTO, Waleska Oliveira. Avaliação de aspectos clínicos, densidade mineral óssea, composição corporal e peso entre as usuárias de contraceptivos de somente progestágenos = Assessment of clinical, bone mineral density, body composition and weight among users of progestin-only contraceptives. 2014. 141 p. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/312836>. Acesso em: 25 ago. 2018.
Date Issue: 2014
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Modesto_WaleskaOliveira_D.pdf12.83 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.