Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/312789
Type: TESE DIGITAL
Title: Grupos de apoio a gestantes e casais e seus efeitos na jornada para o protagonismo das mulheres no parto
Title Alternative: Support groups for pregnant women and couples and their effects in the journey towards women's protagonism in childbirth
Author: Corbett, Juliana dos Santos, 1977-
Advisor: Gonçalves, Laura Lamas Martins, 1977-
Cunha, Gustavo Tenório, 1969-
Abstract: Resumo: O ato de nascer é repleto de símbolos, mitos e tabus relacionados com a sexualidade humana e também produzidos pelo olhar histórico sobre o corpo da mulher. Em vários lugares do mundo, o parto é vivido e entendido como algo natural, que não necessita de muita intervenção. No Brasil, entretanto, fomos construindo um modo de nascer altamente medicalizado. Mulheres estão vivendo situações difíceis em relação ao desfecho de seu parto: os sentimentos, os significados e a própria experiência da mulher e sua satisfação nesse processo de gestar e parir têm sido mitigados e também por isso a atenção ao parto e nascimento tem sofrido crescentes críticas nas últimas décadas. O movimento de Humanização do Parto e Nascimento vem se fortalecendo no Brasil e contribuindo com a premissa de que o acesso a informações claras e de qualidade durante o pré-natal, favorece o protagonismo das mulheres no parto. Esta pesquisa buscou compreender em que medida a obtenção de informações contra hegemônicas sobre o parto e nascimento ao longo da gestação favorecem a experiência do protagonismo de um grupo de mulheres. Caracteriza-se como um estudo qualitativo, de caráter exploratório e descritivo. Foram realizadas nove entrevistas semiestruturadas com mulheres no período de pós-parto, que participaram de grupos de gestantes e casais durante o período de gestação. Foram construídas narrativas a partir das transcrições das entrevistas vídeo gravadas e essas foram analisadas destacando-se núcleos argumentais. Na análise do material, foram destacadas três categorias de análise: acesso às informações/saberes contra hegemônicos sobre parto e nascimento; rede de apoio; e luta pela possibilidade de tomar decisões. O acesso às informações foi relatado como uma ferramenta para o encorajamento e fortalecimento das mulheres, contribuindo para sentirem-se menos suscetíveis a intervenções desnecessárias no momento do parto e nascimento. Puderam acessar as informações através dos grupos de gestantes presenciais e virtuais, leituras de artigos, leituras em sites, blogs e conversas com doulas e obstetras. A participação nos grupos de gestantes e casais foi apontada como fundamental para a obtenção de informações e para a construção de uma rede de apoio. A obtenção de informações contra hegemônicas e a rede de apoio constituída a partir da participação dos grupos ampararam e encorajaram as mulheres para a tomada de decisões, contribuindo para que se sentissem protagonistas no processo de parto e nascimento

Abstract: The act of birth is full of symbols, myths, and taboos related to human sexuality and also reproduced by the historical view on women¿s bodies. In several places in the world, childbirth is experienced and understood as natural, not needing much intervention. In Brazil, however, we have built highly medicalized way of birthing. Women are living difficult situations in regards to the end of their birthing process: feelings, meanings, and their experience as women itself, and their satisfaction in this process of conceiving and birthing a child have been mitigated. That is one of the reasons why attention to child delivery and birth have been criticized more and more in the past decades. The movement for Humanizing Childbirth and Delivery has been getting stronger in Brazil and contributing for the notion that access to clear, quality information during pre-natal care favors women¿s protagonism in childbirth. This research aimed at understanding how obtaining counter-hegemonic information on childbirth and delivery during pregnancy favors the experience of protagonism in a group of women. It is a qualitative study of exploratory and descriptive nature. Nine semi-structured interviews were conducted with women during pregnancy. Narratives were written from transcriptions of these videotaped interview, and these narratives were analyzed for their core argument. During analysis, three categories became evident: access to counter-hegemonic information/knowledge on childbirth and delivery; support network; and fighting for the right to make decisions. Access to information was related as a tool for encouraging and strengthening women, contributing for a feeling of less susceptibility to unnecessary intervention during childbirth and delivery. They had access to information through groups for pregnant women - both on-site and online -, articles, websites, blogs, and conversations with doulas and obstetricians. Participating in the groups for pregnant women and couples was defined as fundamental for obtaining information and building a support network. Obtaining counter-hegemonic information and building a support network by participating in the groups supported and encouraged women to make decisions, contributing for a feeling of protagonism in the process of childbirth and delivery
Subject: Parto humanizado
Saúde da mulher
Autonomia pessoal
Educação em saúde
Informação
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2016
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Corbett_JulianadosSantos_M.pdf2.22 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.