Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/312783
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Identificação e frequência das alterações oftalmológicas na distrofia miotônica tipo 1 (DM1)
Title Alternative: Identification and frequency of ophthalmologic findings in myotonic dystrophy type 1 (DM1)
Author: Ikeda, Karin Suzete, 1982-
Advisor: Carvalho, Keila Miriam Monteiro de, 1949-
Abstract: Resumo: Objetivo: identificar a frequência das anormalidades oftalmológicas dos pacientes com distrofia miotônica tipo 1 (DM1), e avaliar se há correspondência entre a gravidade motora e a presença/ausência de catarata e entre outras alterações oftalmológicas e a gravidade motora. Métodos: foi realizado estudo descritivo em pacientes com DM1, os quais foram incluídos após diagnóstico clínico e laboratorial e após terem assinado o termo de consentimento livre e esclarecido. Eles foram avaliados pela escala Medida da Função Motora, versão em Português (MFM-P) e por protocolo oftalmológico incluindo: acuidade visual, refração, teste de visão de cores de Ishihara, avaliação do reflexo pupilar, tonometria de aplanação (tonômetro de Goldmann), biomicroscopia, fundoscopia, exame de motilidade ocular, teste de estereopsia (Titmus), avaliação de nistagmo e de diplopia. Em pacientes em que não foi possível realizar todos os exames, por algum motivo, foram considerados os demais exames para a análise dos resultados. Foi aplicada a Análise de Correlação de Spearman para verificar o grau de relacionamento entre as variáveis de interesse escalares. Para verificar possíveis diferenças entre as variáveis categóricas foi aplicado o Teste de Mann-Whitney. Resultados: A casuística de 42 pacientes incluiu 20 pacientes do sexo masculino (47,62%) e 22 do sexo feminino (52,38%). A idade variou de 17 a 64 anos com média de 40,74 (DP±12,48). Em relação à presença de catarata, dos 42 pacientes avaliados, 38 (90,48%) apresentaram algum grau de opacidade do cristalino ou já tinham sido submetidos à cirurgia de catarata em pelo menos um dos olhos, e 4 (9,52%) apresentaram cristalino transparente em ambos os olhos. A pressão intraocular (PIO) foi aferida em 41 pacientes, sendo que, no olho direito variou de 6 a 13 mmHg, média de 8,7 mmHg (DP±2). No olho esquerdo, variou de 6 a 13 mmHg, com média de 8,7 mmHg (DP ±1,99). Vinte e três pacientes (54,76%) apresentaram ptose palpebral. Em relação à acuidade visual corrigida (n=42), no olho direito, ela variou de 1,3 a 0 e, no olho esquerdo, variou de 1 a 0. Cinco dos 42 pacientes (11,90%) apresentaram alguma alteração na retina. Também foram observadas alterações na motilidade ocular e na estereopsia. Piores valores de MFM-P foram correlacionados com a presença de catarata (p=0,019) e ptose (p=0,031); não houve correlação entre os valores da PIO e MFM-P. Conclusão: A catarata foi a alteração mais frequente, seguida de ptose palpebral. A PIO encontrava-se em valores abaixo da média da população. A presença de catarata e ptose foi correlacionada à pior expressão do MFM-P, e não houve correlação da PIO e MFM-P

Abstract: Purpose: to identify the frequency of ophthalmologic findings in patients with myotonic dystrophy type 1 (DM1), and to correlate them with motor function. Methods: This was a descriptive study in patients with DM1, who were included after clinical and laboratory diagnosis and after signed informed consent. They were evaluated by MFM-P scale and ophthalmic protocol, which included: visual acuity, refraction, Ishihara color vision test, pupillary reflex, tonometry (Goldmann tonometer), biomicroscopy, fundoscopy, ocular motility, stereopsis test (Titmus), evaluation of nystagmus and diplopia. It was applied Spearman correlation analysis to check the degree of relationship between the variables of interest. To verify possible differences between each categorical variable we applied the Mann -Whitney test. Results: Forty-two patients were enrolled in this study: 20 men (47.62%) and 22 women (52.38%), aged 17 to 64 years with a mean of 40.74 (SD±12.48). Cataract or prior phacoemulsification in at least one eye was detected in 38 patients (90.48%), and 4 (9.52%) presented transparent lens in both eyes. Intraocular pressure (IOP) (n=41) in the right eye ranged from 6 to 13 mmHg, mean 8.7 mmHg (SD ± 2); in the left eye ranged 6-13 mmHg, mean 8.7 mmHg (SD ± 1.99). Twenty-three patients (54.76%) had ptosis. Visual acuity in the right eye ranged from 1.3 to 0 and, in the left eye, 1 to 0. Five of the 42 patients (11.90%) showed abnormalities in the retina. Abnormalities in ocular motility and stereopsis were also observed. Worst MFM-P score was correlated with cataract (p = 0.019) and ptosis (p = 0.031). There was no correlation between IOP versus MFM-P. Conclusions: Cataract and ptosis are frequent in DM1 and associated to motor dysfunction. Reduced IOP is also common, but appears not to be related with motor impairment
Subject: Distrofia miotônica
Catarata
Blefaroptose
Escala Medida da Função Motora
Editor: [s.n.]
Citation: IKEDA, Karin Suzete. Identificação e frequência das alterações oftalmológicas na distrofia miotônica tipo 1 (DM1). 2015. 1 recurso online ( 65 p.). Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/312783>. Acesso em: 28 ago. 2018.
Date Issue: 2015
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Ikeda_KarinSuzete_M.pdf2.34 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.