Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/312721
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Validação imunofenotipica e ultraestrutural da linhagem de glioma humano NG7
Author: Schenka, André Almeida, 1976-
Advisor: Vassallo, Jose, 1957-
Abstract: Resumo: Uma nova linhagem de glioma humano, NG97, foi estabelecida por Grippo et al. em 2001 a partir de um astrocitoma grau III (OMS, 2000). Neste primeiro estudo, o cultivo da linhagem revelou a existência de duas subpopulações morfologicamente distintas: uma constituída por células fusiformes/dendríticas e outra, por células pequenas e redondas. A injeção de células NG97 em camundongos nude induziu a formação de um tumor agressivo caracterizado por atipia citológica intensa, proliferação vascular e necrose em pseudopaliçadas (achados sugestivos, mas não diagnósticos de glioblastoma multiforme). O objetivo do presente estudo foi caracterizar os aspectos imunofenotípicos e ultraestruturais desta linhagem celular, utilizando o tumor parental, as células em cultura e o xenotransplante, com o intuito de avaliar sua natureza glial e possíveis diferenciações divergentes. A comprovação de sua natureza glial é de fundamental importância para a caracterização e validação desta linhagem como um modelo de glioma. As células NG97 e o xenotransplante expressaram os principais marcadores neurogliais (GFAP, proteína S-100, NSE e Leu-7) e não apresentaram qualquer expressão aberrante de outros marcadores de histogênese. GFAP foi expressa de maneira similar no tumor parental e nas células em cultura, diminuindo significativamente no xenotransplante. A expressão de NSE era reduzida nas células NG97, em comparação ao tumor parental, sendo substancialmente recuperada no xenotransplante. Esta variabilidade de expressão de GFAP e NSE foi interpretada como um fenômeno de indiferenciação ou, alternativamente, como um fenômeno relacionado a uma possível seleção microambiental de subclones específicos. A proteína S-100 foi expressa de maneira semelhante nos três contextos de análise (tumor original, células de cultura e transplante). A análise ultraestrutural do xenotransplante revelou uma neoplasia altamente indiferenciada compatível com um glioblastoma. Não foram observadas diferenças imunofenotípicas ou ultraestruturais significativas entre as duas subpopulações morfologicamente distintas. Assim, nossos dados demonstram que as células NG97 constituem uma linhagem celular pura, comprometida com o fenótipo glial, que poderá ser útil como um modelo de glioma maligno em estudos direcionados a questões fisiopatológicas, diagnósticas e terapêuticas

Abstract: A human glioma cell line, NG97, was established by Grippo et al. in 2001 from tissue obtained from a grade III astrocytoma (WHO, 2000). In this first study, the cell line grew as two morphologically distinct subpopulations: dendritic/spindle cells and small round cells. The injection of NG97 cells into nude mice induced an aggressive tumor characterized by: severe cytological atypia, vascular proliferation and pseudopalisading necrosis (features which are suggestive but not conclusive for the diagnosis of glioblastoma multiforme). The purpose of the present study was to characterize the immunophenotype and ultrastructural aspects of this cell line, using the parental tumor, cultured cells and the xenotransplant, in order to assess its glial nature and possible divergent differentiation. Proof of glial differentiation is fundamental to the process of characterization and validation of this cell line as a glioma model. NG97 cells and xenotransplant expressed the main neuroglial markers (GFAP, S-100 protein, NSE and Leu-7) and showed no aberrant expression of other histogenetic markers. GFAP was similarly expressed in the parental tumor and in the cells in culture, but decreased in the xenotransplant. NSE expression was reduced in NG97 cells, but substantially recovered in the xenotransplant. This variability in expression of GFAP and NSE was interpreted as either a phenomenon of dedifferentiation or due to microenvironmental selection of specific subclones. S-100 was equally expressed in the three contexts. The xenotransplant¿s ultrastructural features were those of a highly undifferentiated tumor consistent with glioblastoma. No significant immunophenotypic or ultrastructural differences between the two morphologically distinct populations were found. Thus, our data demonstrate that NG97 cells constitute a pure glial-committed cell line, which may prove useful as a malignant glioma model in studies addressing pathophysiological, diagnostic and therapeutic issues
Subject: Imuno-histoquímica
Ultraestrutura
Ondologia
Linhagem (Genética)
Astrocitoma
Patologia
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2005
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Schenka_AndreAlmeida_D.pdf17.66 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.