Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/312718
Type: TESE DIGITAL
Title: Percepção das famílias de doadores de órgãos sobre o processo de doação = Perception of organ donors of families about the process of donation
Title Alternative: Perception of organ donors of families about the process of donation
Author: Fernandes, Marli Elisa Nascimento, 1962-
Advisor: Boin, Ilka de Fatima Santana Ferreira, 1953-
Abstract: Resumo: A doação de órgãos para transplantes é um processo complexo e envolve um conjunto de procedimentos gerenciados no Brasil pelo Sistema Nacional de Transplante - Ministério da Saúde e regulamentado por leis e protocolos que primam por ações efetivas dos serviços captadores visando o aumento de doações de órgãos e tecidos para transplantes. Nos últimos anos, as taxas de doação de órgãos tem crescido em diversos países, mas a desproporção entre o número de doações e o número de doentes na fila de espera por um órgão é preocupante em todo o mundo. O objetivo desta investigação foi identificar as vivências e sentimentos dos familiares de doadores em uma unidade transplantadora, frente ao processo de doação de órgãos. Método: Este estudo exploratório com abordagem qualitativa foi realizado no período de março de 2012 a junho de 2013, a partir de levantamento no banco de dados de doadores de órgãos da Organização de Procura de Órgãos para Transplante do Hospital de Clínicas Unicamp. Aleatoriamente selecionou-se doze familiares residentes em Campinas/SP e região metropolitana para participarem do estudo. Os familiares foram contatados por telefone e convidados a participar de uma entrevista gravada, agendada conforme a disponibilidade destes. Cinco famílias recusaram a participar alegando falta de condições emocionais para falar sobre a doação. Foram entrevistados sete familiares de diferentes doadores, a maioria em domicilio, mediante questionário semiestruturado contendo dados sociodemográficos e questões sobre a vivência do processo de doação. O material de linguagem foi transcrito e submetido a análise de conteúdo temático em quatro categorias: vivências sobre o consentimento para a doação, sentimentos pós consentimento, motivação para a doação e percepção das famílias pós doação. Observamos que os participantes consideraram a pouca sensibilidade da equipe médica na comunicação da morte encefálica do familiar - potencial doador - e a ausência de suporte socioemocional diante da situação vivenciada pela família. Observamos que houve impacto para a decisão das famílias participantes quanto as campanhas utilizadas pelos meios de comunicação especialmente a televisão, no qual o Sistema Nacional de Transplantes vem procurando sensibilizar e incentivar a população brasileira ao consentimento para doação de órgãos. Observamos que as famílias demonstraram ser incentivadoras para consentirem a doação. A partir destes achados, outras práticas de atenção e gestão em saúde poderão ser discutidas como: trabalho em rede envolvendo a Organização de Procura de Órgã as familias de potenciais doadores e doadores efetivos, as Unidades Básicas de Saúde e o Centro Referência de Assistência Social para apoio psicossocial e assim impactar no fortalecimento dos vínculos familiares pós-doação e nos índices de captação de órgãos. Concluímos que há necessidade de se incluir na legislação da Política Nacional de Transplantes o apoio socioemocional e transcultural aos familiares de potenciais doadores. O papel do assistente social, do enfermeiro e do psicólogo neste processo foi enfatizado e a inclusão destes no processo pós-doação deve ser repensada na política de saúde. Sugere-se ainda um plano de capacitação intersetorial que envolva os gestores de saúde, profissionais da rede, assistência social e lideranças religiosas para possibilitar o acesso das famílias de doadores pós consentimento à rede de cuidados transcultural

Abstract: Organ donation for transplantation is a complex process involving a set of procedures managed by the National Transplant System ¿ Ministry of Health in Brazil, and it is regulated by laws and protocols with the objective of carrying out effective actions related to procurement organizations, in order to increase organ and tissue donation for transplantation. Recently, organ donation rates have grown in several countries but, despite this fact, the disproportion between the number of donations and the number of patients on the waiting list for an organ is of global concern. Objective: To identify the experiences and feelings of the donor family in a Transplantation Unit of the organ donation process. Method: This exploratory study using a qualitative approach was conducted during the period of March 2012 to June 2013, using the organ donors¿ database of the Organ Procurement Organization (OPO) for transplants of the Clinical Hospital at the State University of Campinas (HC-Unicamp). Twelve family members living in the Campinas / SP metropolitan area were randomly selected from the database for the study. Family members were invited by telephone to participate in an interview, which was scheduled according to their availability. Five families refused to participate, indicating a lack of emotional capability. Seven families from different donors were interviewed, most taking place in the donor family¿s home, using a semi-structured questionnaire containing demographic aspects, the consent for donation data, and questions about the experience of the donation process. Interviews were transcribed and analyzed according to the qualitative methodological framework of content analysis; in the pre-analysis, the material was read to identify categories that clustered into four central themes: experiences on consent for organ donation, feelings of family members after providing authorization, motivation for the donation and post donation perception. We observed that the participants considered the insensitivity of the medical staff in the communication of brain death of a potential donor to the family - and the lack of socio-emotional support before and after this situation experienced by the family. We observed an impact on the decision of participating families when there are campaigns in the media, especially television, in which the National Transplant System has sought to raise awareness and encourage the population to consent to organ donation. We noted that families proved to be incentivized for donation consent. From these findings, other care practices and management in health can be discussed such as networking of Organ Procurement Organization involving the families of potential donors, Basic Health Units and the Social Assistance Reference Center to provide psychosocial support and thus impact the strengthening of post-donation family ties and organ uptake rates. We conclude that there is need to include in the legislation the National Policy transplants and cross-cultural social-emotional support to families of potential donors. The role in this process of social workers, nurses and psychologists were reported and the inclusion of post-donation process should be rethought as health policy. The intersectoral training plan involving health managers, network professionals, welfare and religious leaders to facilitate the access of donor families after the consent of transcultural care network
Subject: Família
Doadores de tecidos
Humanização da assistência
Política de saúde
Planejamento em saúde
Administração em saúde
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2015
Appears in Collections:FCM - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Fernandes_MarliElisaNascimento_D.pdf5.24 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.