Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/312678
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Receita pra lavar praça suja : políticas públicas de saúde mental para a população em situação no Centro de Referência Especializado da Assistência Social da cidade de Leme/SP
Title Alternative: Prescription to wash a dirty square : public policies on mental health for the homeless in the Specialized Reference Center for Social Assistance in the city of Leme / SP
Author: Martins, Digiane Raphaela, 1989-
Advisor: Cunha, Gustavo Tenório, 1969-
Abstract: Resumo: As cidades: Mais do que nunca, pessoas ocupam os Espaços Públicos nas grandes cidades brasileiras. Desde o junho de 2013 Movimentos Sociais e militantes independentes organizam-se através de redes sociais virtuais e realizam atos públicos, intervenções e manifestações pacíficas, protestando nas ruas, praças e avenidas contra os mais populares tipos de opressão, fazendo resistência aos sucessivos desmontes dos direitos arduamente conquistados desde a Constituição Federal de 1988 e contrariando as investidas de um Congresso Nacional (composto por políticos corruptos em sua maioria) a favor de um Golpe de Estado que garantiria a continuidade de históricos privilégios. Artistas, intelectuais e mídias independentes de todo o país mobilizam-se em favor da democracia e acirra-se um embate colorido por tons que vão desde uma esquerda anárquica até uma direita fascista. Entretanto, desde a formação destas grandes e pequenas cidades brasileiras existiram os ocupantes cotidianos de ruas, praças e avenidas, legítimos frequentadores e habitantes dos Espaços Públicos. Muitos deles itinerantes que transitam entre as cidades e estados à procura de empregos temporários e outros tantos errantes usuários de álcool e de outras drogas. Pessoas em Situação de Rua configuram uma população historicamente à margem das prioridades das Políticas Publicas no Brasil que, em geral, teve pouco ou nulo acesso aos Direitos Sociais e precária garantia dos Direitos Fundamentais, definidos na referida Constituição Cidadã. Diariamente morrem. Vitimas de violências e descasos, sem que se ouça qualquer alardear de panelas ou outras formas significativas de expressão de indignação coletiva. Os conceitos: Desde 2008 uma Política Nacional para Inclusão Social da População em Situação de Rua orienta os esforços para a criação de Políticas Públicas para atender as demandas destes habitantes brasileiros. Apesar da participação popular para a conquista desta Política Nacional, a mobilização organizada deste grupo social pode ser considerada frágil e inexpressiva. A articulação de importantes estratégias de cuidado como os Serviços de Abordagem Social, os Consultórios na Rua, os Centros de Referência para a População em Situação de Rua e as unidades de Acolhimento Institucional tem, aos poucos, garantido algum acesso aos diretos de Saúde e de Assistência Social. Neste trabalho pensa-se a partir do SUS (Sistema Único de Assistência Social) associado ao Movimento Nacional de Luta Antimanicomial, e do SUAS (Sistema Único de Assistência Social), valorizando principalmente a Política Nacional para a População em Situação de Rua em relação às questões que têm sido relativamente ignoradas, sobretudo aquelas relacionadas à Cultura. As cenas: Um Relato de Experiências de trabalho-militância de uma psicóloga-a-céu-aberto aventurando-se em tentativas de articular garantias de direitos junto aos munícipes em Situação de Rua de uma pequena cidade interiorana. Reuniões intersetoriais, encontros clínicos e oficinas em praças públicas são expostos a partir de relatos de Diários de Campo e de algumas fotografias. Bons encontros profissionais são afirmados na sua potência para a produção de estratégias de militância. A alegria é cultivada enquanto estratégia política, apesar dos tempos sombrios anunciados. O Plano das Pipas Brancas é uma brincadeira, em favor da vida de todos nós, habitantes dos submundos do capitalismo

Abstract: Cities: More than ever, people occupy the Commons in large Brazilian cities. Since June 2013, social movements and independent activists are organized through virtual social networks and conduct public events, interventions and peaceful demonstrations, protesting in the streets, squares and avenues against the most popular types of oppression, making resistance to successive takedowns rights hard-won since the 1988 Federal Constitution and contrary to the onslaughts of a National Congress (composed of corrupt politicians mostly) in favor of a coup d'etat that would guarantee the continuity of historical privileges. Artists, intellectuals and independent media across the country join forces in favor of democracy and stirs up a colorful clash of tones ranging from a left anarchic to a fascist right. However, since the formation of these large and small Brazilian cities existed everyday occupants of streets, squares and avenues, legitimate goers and residents of Commons. Many of them traveling in transit between cities and states looking for temporary jobs and as many errant users of alcohol and other drugs. People in street situation constitute a population historically the margins of the priorities of Public Policies in Brazil that generally had little or no access to social rights and precarious security of Fundamental Rights as defined in said Citizen Constitution. Daily die. Victims of violence and Negligence without you hear any bragging pots or other material forms of collective indignation expression. The concepts: Since 2008 a National Policy for Population Social Inclusion in Homeless guides efforts to create public policies to meet the demands of these Brazilian people. Despite popular participation for the achievement of this national policy, mobilizing organized this social group can be considered weak and expressionless. The articulation of important care strategies such as Social Approach Services, the Offices in the street, the Reference Centers for Population Homeless and Institutional Home units have gradually granted some access to health direct and Social assistance. In this work it is thought from the SUS (Unified Social Assistance) associated with the National Movement of Anti-Asylum, and ITS (Unified Social Assistance), especially valuing the National Policy for the population in street situation in relation to issues that have been relatively ignored, especially those related to culture. Scenes: An Experience Report of work-militancy of a psychologist-to-open-air adventuring in attempts to articulate rights guarantees with the residents in street situation of a small town inland. intersectoral meetings, clinical meetings and workshops in public squares are exposed from field Diaries reports and some photographs. Good professional meetings are affirmed in their power for the production of advocacy strategies. Joy is cultivated as a political strategy, despite the dark times announced. The Plan of the White Pipas is a joke, in favor of life of all of us, inhabitants of capitalism underworlds
Subject: Políticas públicas
Saúde mental
Pessoas em situação de rua
Humanização da assistência
Movimentos sociais
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2016
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Martins_DigianeRaphaela_M.pdf2.66 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.