Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/312652
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Medicalização da infância : uma análise bibliográfica
Title Alternative: Childhood medicalization : a bibliographical analysis
Author: Braghini, Sandra, 1970-
Advisor: Campos, Gastão Wagner de Sousa, 1952-
Abstract: Resumo: Este trabalho tem como objetivo analisar o tema da medicalização da infância por meio de produção recente divulgada em artigos e livros de natureza científica. Utilizei-me para este fim de uma pesquisa qualitativa , com método de revisão bibliográfica de artigos publicados na BVS ( Biblioteca Virtual em Saúde ), no período de 2005 à 2015, além de outras publicações no período. Foi possível verificar que o conceito de medicalização apresenta divergências quanto à definição do termo. Diversos filósofos e estudiosos têm feito contribuições sobre o tema desde a década de 70, como Zola, Illich, Foucault e, mais recentemente, Conrad. Este trabalho destaca o conceito de Foucault sobre a biopolítica e biopoder como referências interpretativas para analisar e pensar na medicalização e normatização dos comportamentos da infância. Através de dado de análise foi possível verificar como a indústria farmacêutica tem colaborado para o aumento do consumo de medicamentos como forma de solução aos problemas do cotidiano, bem como a sociedade tem elegido o fármaco como a principal forma de cuidado. O TDAH aparece como o problema mais estudado e medicalizado na infância. A família é vista como um agente no processo medicalizante, reduzindo o sofrimento da criança à uma questão orgânica, sofrendo pressões da indústria farmacêutica e da escola. A escola aparece como criadora das doenças do não aprender e é apontada como uma das maiores encaminhadoras de crianças para avaliação médica/psicológica nos serviços de saúde. Os profissionais de saúde apresentam dificuldades no trabalho em rede, o que facilita o processo de medicalização das crianças. Os profissionais mais apontados nesse processo de medicalização são os neurologistas e os psiquiatras. Como auxiliar no processo de fortalecimento e proteção às crianças e adolescentes, é apontado a importância de uma uma visão ampla sobre o processo de saúde e a prática de uma clinica ampliada, favorecendo um olhar para além da doença e respeitando e valorizando a subjetividade da criança

Abstract: This work aims at analyzing the theme of childhood medicalization through recent work published in articles and scientific books. I used for this purpose a qualitative research method with literature review of articles published in the VHL (Virtual Health Library), from 2005 to 2015, and other publications in the period. It was observed that the concept of medicalization has differences regarding the definition of the term. Many philosophers and scholars have made contributions to the subject since the 70's, like Zola, Illich, Foucault and more recently Conrad. This paper highlights the concept of Foucault on bio politics and bio power as interpretative references to analyze and think about the medicalization and normalization of children's behavior. Through data analysis it was possible to verify how pharmaceutical industry has contributed to the increased consumption of drugs as a way of solution to everyday problems and society has chosen drugs as the main form of care. ADHD appears as the most studied and medicalized problem in childhood. The family is seen as an agent in the medicalizing process, reducing the suffering of the child to an organic matter, under pressure from the pharmaceutical industry and the school. The school appears as the creator of the "not learning" diseases and is considered one of the main referrals of children to medical / psychological evaluation in health services. Health professionals have difficulties in networking, which facilitates the process of children medicalization. The most mentioned professionals in this medicalization process are neurologists and psychiatrists. To assist in the process of strengthening and protecting children and adolescents, it is pointed out the importance of a broad insight into the process of health and the practice of an enlarged clinic, favoring a look beyond the disease and respecting and valuing the child's subjectivity
Subject: Medicalização
Infância
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2016
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Braghini_Sandra_M.pdf857.42 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.