Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/312569
Type: TESE
Title: Panorama do câncer em crianças e adolescentes sob a perspectiva da Saúde Coletiva = Overview of cancer among children and adolescents in the perspective of Collective Health
Title Alternative: Overview of cancer among children and adolescents in the perspective of Collective Health
Author: Oliveira Friestino, Jane Kelly, 1984-
Advisor: Moreira Filho, Djalma de Carvalho, 1950-
Filho, Djalma de Carvalho Moreira
Abstract: Resumo: A assistência à saúde da criança e adolescente necessita contemplar as particularidades e características intrínsecas a essa fase da vida. Os cânceres que acometem crianças e adolescentes têm fatores de riscos e características que diferem daqueles que acometem a população adulta. No Brasil, pouco se conhece a respeito da magnitude das neoplasias no universo infanto-juvenil, bem como as características da população acometida. Objetivou-se estudar o panorama do câncer em crianças e adolescentes sob a perspectiva da Saúde Coletiva, e neste âmbito, apontar ferramentas de monitoramento; conhecer as dificuldades e percepções dos profissionais de saúde que atuam na atenção básica, em relação a suspeita e diagnóstico de câncer em crianças; e, analisar os padrões de distribuição espacial das incidências e sobrevivências de crianças diagnosticadas com neoplasias. Para atender aos objetivos, foram utilizados métodos qualitativos e quantitativos com dados obtidos em Registros de Câncer de Base Populacional e também em Grupos Focais realizados com trabalhadores da Atenção Primária à Saúde. Os resultados foram apresentados em capítulos correspondentes a três artigos. No primeiro artigo, "Câncer Infantil: monitoramento da informação através dos Registros de Câncer de Base Populacional RCBP", realizou-se uma pesquisa bibliográfica da incidência de tumores raros em menores de 20 anos, em três países. Nesta busca identificou-se que a primeira publicação específica sobre câncer em crianças e adolescentes no Brasil foi divulgada em 2008. As publicações do Brasil, Alemanha e Estados Unidos apresentam as informações com critérios heterogêneos, tanto em relação ao modo como a incidência é apresentada, quanto em relação à faixa etária adotada. No segundo trabalho, "Suspeita e Diagnóstico de Câncer em Crianças e Adolescentes na Atenção Primária à Saúde", foram identificados pontos fortes e fragilidades no que concerne ao sentimento dos profissionais; a suspeita e diagnóstico na rede de cuidados primários e a relação dos profissionais e a família. Em todas as categorias de profissionais, as percepções foram negativas com demonstração de insegurança em relação ao tema na atenção básica. No terceiro estudo, "Câncer em crianças e adolescentes: incidência e sobrevivência no município de Campinas-SP, Brasil", os resultados apontaram taxa de incidência global para os grupos de Leucemias (Grupo I); Linfomas (Grupo II); Tumores do Sistema Nervoso Central (Grupo III) e Sarcomas de Partes Moles (Grupo IX) de 54,2 por milhão, com uma incidência padronizada de 59,1 por milhão (Grupo I¿28,8; Grupo II-11,6; Grupo III-7.5 e Grupo IX-4,3). Diferenças nos padrões espaciais não foram encontradas. Diferenças significativas em tempos de sobrevivência foram verificadas por Grupos de diagnóstico ajustados para idade e sexo (p=0,001). Os achados desse estudo demonstraram diferentes possibilidades de abordagem do câncer infantil utilizando o saber científico da Epidemiologia. Os resultados apontam para a necessidade de uma sistematização das informações de tumores raros na infância e na adolescência, e uma inclusão do tema câncer infantil aos profissionais de saúde que atuam na Atenção Primária à Saúde. A utilização de metodologias epidemiológicas como análise da incidência, uso da estatística espacial e análises de sobrevivência contribuem para a construção do panorama do câncer infantil na Saúde Coletiva.

Abstract: The health care to the children and adolescents needs to contemplate the particularities and intrinsic characteristics of this phase of life. Occurrences of childhood cancer have risk factors and specific characteristics that differ from tumours in adults. In Brazil, little is known about the magnitude of childhood cancer, as well as the characteristics of the affected population. Our goal to study cancer among children and adolescents in the perspective of Collective Health, and in this context, point monitoring tools in the health information systems; identify the difficulties and perceptions of workers in primary health care, in relation to suspicion and diagnosis of childhood cancer; and finally analyse the distribution patterns of spatial incidence and survival of children who have been diagnosed with cancer. To achieve the objectives, we used qualitative and quantitative methods with data by Population-based Cancer Registries and also in focus groups conducted with workers of Primary Health Care. Results are presented in three articles on chapters. In the first article, "Childhood Cancer: Information Followed in Population-Based Cancer Registry", we conducted a literature search of tumours incidence in children under 20 years of age in three countries. This research identified that first specific publication about cancer among children and adolescents in Brazil was released in 2008. Publications of Brazil, Germany and the United States have the information with heterogeneous criteria, both in relation to how the incidence is presented and in relation to age adopted, being difficult to compare. In the second study, "Suspicion and Diagnosis of Cancer among Children and Adolescents in Primary Health Care", were identified strong points and weaknesses concerning regarding feeling of professionals, suspicion and diagnosis the primary care network and relationship between professionals and family. In all professional¿s categories perceptions were negative with demonstration of insecurity in primary care. In the study, "Cancer Incidence and survival among children and adolescents in Campinas ¿ SP, Brazil", the results showed overall crude incidence rate for Leukaemia (Group I); Lymphomas (Group II); CNS neoplasms (Group III), and Soft tissue sarcomas (Group IX) was 54.2 per million and standardized incidence rates was 59.1 (Group I-28.8, Group II-11.6, Group III-7.5 and Group IX-4.3). Spatial differences were not found. Significant differences in survival times were found by diagnostic Groups adjusted for age and sex (p=0.001). In conclusion, higher incidence was found in Group-I and 5-year survival is higher in children than in adolescents similar to the findings reported in the literature. The findings of this study showed different approach possibilities of childhood cancer using scientific knowledge of collective health. The results indicate the need for systematic information of rare tumours in childhood, and including the theme to health professionals working in primary health care. The use of such epidemiological methods analysis of incidence, use of spatial statistics and survival analyses contribute to the construction of the panorama of childhood cancer in Collective Health
Subject: Saúde pública
Epidemiologia
Cancer
Saúde da Criança
Saúde do adolescente
Language: Multilíngua
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2015
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
OliveiraFriestino_JaneKelly_D.pdf2.82 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.