Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/312513
Type: TESE
Degree Level: Mestrado
Title: O trabalho de uma equipe de atenção básica no cuidado aos portadores de doenças crônicas não transmissíveis : percepções sobre a experiência da 'gestão clínica' em Campinas - SP
Title Alternative: The work of a health primary care team in care of individuals with chronic noncommunicable diseases : perceptions about the experience of 'clinical governance' in Campinas - SP
Author: Moraes, Erika Fernanda Viana de, 1981-
Advisor: Iguti, Aparecida Mari, 1955-
Abstract: Resumo: O aumento da carga de doença relacionado às Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT), decorrente do envelhecimento e da exposição a fatores de risco relacionados ao estilo de vida da população, tem sido motivo de iniciativas de reorganização dos Sistemas de Saúde de vários países, visando tornar a Atenção Básica à Saúde mais resolutiva. Em 2009, o Ministério da Saúde, inspirado na experiência britânica, propôs o Projeto Territórios: Estratégia de qualificação da Atenção Primária para ampliação dos limites da resolubilidade na atenção das doenças crônicas não transmissíveis: um eixo de reestruturação da Atenção Especializada no seu papel complementar, introduzindo os conceitos e ferramentas da Gestão Clínica para microgestão dos processos de trabalho e a construção de Linhas de Cuidado como indutores da articulação de redes de Saúde. O Projeto Territórios foi implantado em três municípios brasileiros, entre os quais Campinas (SP), onde ficou conhecido como "Projeto de Gestão da Clínica". Esta pesquisa, de natureza qualitativa, tem como objetivo analisar como os trabalhadores de um Centro de Saúde do Distrito de Saúde Norte de Campinas, partícipe do Projeto Territórios, percebem o próprio trabalho, e como os dispositivos de Gestão Clínica aplicados ao cuidado às DCNT interferiram na organização do trabalho desta equipe. Para tanto, após uma discussão teórica sobre a questão das Redes de Atenção à Saúde e um estudo documental sobre as experiências britânica e brasileira, foi realizado um grupo focal com trabalhadores de uma unidade da Atenção Básica de Campinas ¿ SP. Uma narrativa foi produzida para expressar o resultado da discussão no grupo focal, à maneira como propõem Onocko-Campos e Furtado (2008) e Ricoeur (1997). Após ser apresentada e validada pelo grupo de trabalhadores, a narrativa foi analisada de forma a apresentar as percepções dos trabalhadores acerca de três pontos críticos no remodelamento proposto para os serviços de saúde: (1) a tensão entre programação das ações de saúde e a organização do trabalho para dar respostas à demanda espontânea; (2) a fragilidade das relações entre as pessoas e serviços constituintes das redes de saúde e; (3) a relação entre os trabalhadores da saúde e a gestão, marcada pela assimetria de poder. De modo geral, os trabalhadores percebem positivamente as ações do Projeto Territórios e as identificam com um modelo de trabalho em saúde assemelhado à lógica da Programação em Saúde, localizam que esta proposição não dialoga com a necessidade de estarem organizados para dar respostas à demanda espontânea, mantendo `porta aberta¿ às necessidade de saúde da população, observam que entre a Atenção Básica e outros serviços de saúde do município existe uma relação distante e percebem-se frágeis e pouco potentes diante da necessidade de mudanças no processo de trabalho. Uma conclusão possível é a de que o fortalecimento da Atenção Básica deve conter estratégias de empoderamento e organização do trabalho que legitimem este nível de Atenção para produção de saúde frente a maior parte dos problemas de saúde da população e a lógica da programação em saúde não é potente para a organização das mudanças necessárias

Abstract: The increased burden of disease related to Chronic Noncommunicable Diseases (DCNT), due to aging and exposure to risk factors related to the lifestyle of the population, has been the subject of reorganization initiatives of Health Systems in several countries, aiming to make Primary Health Care more resolute. In 2009, the Ministry of Health, inspired on British experience, proposed the Projeto Territórios: Qualifying Primary Care Strategy to expand the limits of solvability in the care of chronic noncommunicable diseases: a restructuring axis of Specialized Care in its complementary role, introducing the concepts and tools of Clinical Governance for micro-management of work processes and the construction of Care Lines as inducers of articulation of Health. The Projeto Territórios was implemented in three municipalities, including Campinas - SP, where was known as "Projeto de Gestão da Clínica". This research, of qualitative nature, aims to analyze how the workers of a Health Center of the North Health District of Campinas - SP, participant of the Projeto Territórios, realize their own work, and how the devices of Clinical Governance applied to the care of DCNT interfere in the work organization of this team. To that end, after a theoretical discussion on the issue of Health Care Networks and documentary study of the British and Brazilian experiences, a focus group with workers in a unit of Primary Health Care was conducted in Campinas ¿ SP. A narrative was produced to express the result of the discussion in the focus group, to the way proposed by Onocko-Campos and Furtado (2008) and Ricoeur (1997). After being presented and validated by the group of workers, the narrative was analyzed to present the perceptions of workers on three critical points in the remodeling proposed for health services: (1) the tension between programming of health activities and work organization to give answers to spontaneous demand; (2) the fragility of relations between people and constituent services of health networks and; (3) the relationship between health workers and management, marked by asymmetry of power. In general, workers realize positively the Projeto Territórios actions and identify with a working model in health likened the logic of the Health Program, localize that this proposition does not dialogue with the need to be organized to give answers to the spontaneous demand, keeping `open door¿ to the health needs of the population, observe that between Primary Care and other health services in the municipality there is a distant relationship and perceive themselves fragile and underpowered on the need for changes in the work process. One possible conclusion is that the strengthening of primary care must include empowerment strategies and work organization to legitimize this level of attention to Care for health production across most of the health problems of the population and health programming logic is not powerful for the organization of the necessary changes
Subject: Atenção primária à saúde
Governança clínica
Doença crônica
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2014
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Moraes_ErikaFernandaVianade_M.pdf2.08 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.