Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/312464
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Doutorado
Title: Avaliação da espasticidade e da composição corporal de indivíduos com lesão medular crônica = Spasticity and body composition assessments in individuals with chronic spinal cord injury
Title Alternative: Spasticity and body composition assessments in individuals with chronic spinal cord injury
Author: Azevedo, Eliza Regina Ferreira Braga Machado de
Advisor: Cliquet Junior, Alberto, 1957-
Abstract: Resumo: A lesão medular (LM) é uma patologia que gera inúmeras complicações, entre estas a mudança na composição corporal e a espasticidade. A alteração na composição corporal ocorre através da diminuição da massa magra e do aumento da massa gorda. Já a espasticidade ocorre em cerca de 70% dos casos e pode ser medida através do teste pendular. Um teste prático e objetivo, mas que não há na literatura uma posição padronizada para a sua realização. Portanto, a presente pesquisa tem três objetivos principais: investigar a influência de três diferentes posturas na espasticidade de indivíduos com LM; avaliar o efeito de tratamentos com estimulação elétrica neuromuscular (EENM) na espasticidade destes pacientes; avaliar a composição corporal de indivíduos com LM que praticam ou não atividade física. Para isso a pesquisa foi dividida em três etapas. Na primeira, 5 sujeitos com LM e 5 controles realizaram o teste pendular em três diferentes posturas: supino, semi-supino com 30° de flexão de tronco e sentado com 60° de flexão de tronco. Foi utilizado um eletrogoniômetro fixado na perna direita para medir os ângulos do joelho e oscilações da perna. Os resultados foram comparados entre as posturas e não houve diferença significativa entre elas. Entretanto, os resultados na posição sentada foram similares ao do grupo controle. Na segunda etapa, 28 pacientes com LM foram divididos em três grupos de acordo com o protocolo de treinamento com EENM proposto (exercício, marcha em andador e marcha em esteira) e avaliados através do teste pendular antes e depois do treinamento de 6 meses. As avaliações foram realizadas antes e após as sessões de treinamento, utilizando um eletrogoniômetro. As medidas foram realizadas em ambas as pernas e a postura escolhida para o teste foi a sentada com 60º de flexão de tronco. Os parâmetros analisados foram: primeiro ângulo de flexão do joelho (Fang), ângulo de repouso (Restang), primeiro ângulo de extensão do joelho (Eang), índice de relaxamento (RI) e RI normalizado (RIn). Na perna direita, após avaliação inicial, houve diferença nos grupos de exercício e andador para Fang e Eang e no grupo de esteira para Fang. Após 6 meses, apenas o grupo de andador apresentou diferença para Fang. Na perna esquerda, avaliação inicial, o grupo de andador apresentou diferença para Restang e de esteira para Fang e Rest. Após 6 meses, o grupo de andador apresentou diferença para RI, RIn e Eang e o de esteira para RI e RIn. Na etapa três foram avaliados o índice de massa corporal e a composição corporal através da bioimpedância de indivíduos com LM que praticam ou não atividade física. Foram avaliados 39 pacientes divididos em 4 grupos de acordo com o nível de lesão e a pratica ou não de atividade física. Quando foram comparados os grupos inativos (paraplegiaXtetraplegia) e grupos de tetraplegia (inativoXativo) ocorreram diferenças no percentual de gordura e na massa gorda. Sendo assim, a postura sentada se mostrou mais adequada para realização do teste pendular apesar da redução da espasticidade. Além disso, os protocolos de treinamento utilizando EENM foram efetivos para diminuir da espasticidade em curto prazo. Por último, a atividade física demonstrou ser efetiva para prevenir a obesidade e melhorar a composição corporal de sujeitos com LM

Abstract: Spinal cord injury (SCI) is a disease that brings many complications, such as body composition changes and spasticity. The changes in body composition include decreases in lean tissue mass and increases in fat mass. Spasticity is present in about 70% of cases and can be assessed by the pendulum test, although there is no standardized position to testing. Therefore the present study had three objectives: to investigate the influence of three different postures on spasticity results in patients with SCI; to evaluate the effects of different neuromuscular electrical stimulation (NMES) protocols on spasticity in these patients; to assess body composition in individuals with SCI who practice and do not practice physical activity. Because of this the research was divided into three stages. In first stage, five subjects with SCI and five controls went through the pendulum test in three different positions: supine, semi-supine at an angle of 30° and sitting up at an angle of 60°. An electrogoniometer was attached to the right leg for measurement of knee joint angles. Results were compared between different positions and statistically no differences were found. However, results in sitting up position were similar to control group. In second stage, 28 patients with SCI were divided into three groups according to NMES protocols (exercise, walker aided gait, treadmill gait) and evaluated by pendulum test before and after six months training. Evaluations were performed before and after therapy sessions using an electrogoniometer. Measurements were performed in both legs in sitting up position. Parameters analyzed were first knee flexion angle (Fang), resting angle (Restang), first knee extension angle (Eang), relaxation index (RI) and normalized RI (RIn). Initial evaluation for right leg showed differences in exercise and walker aided groups for Fang and Eang and treadmill group for Fang. After six months, only walker aided group showed difference for Fang. Initial evaluation for left leg walker aided group showed significant results for Restang and treadmill group for Fang and Restang. After six months, walker aided group showed differences for RI, RIn and Eang. Treadmill showed differences in RI and RIn. In third stage were evaluated body mass index and body composition by bioelectrical impedance analysis in individuals with SCI who practice and do not practice physical activity. 39 patients were divided into four groups according to injury level and physical activity achievement. When inactive groups (paraplegiaXtetraplegia) and tetraplegia groups (inactiveXactive) were compared differences in fat percentage and fat mass were observed. Thus, sitting up position was more suitable for pendulum test assessment despite, the spasticity reduction. Furthermore, NMES protocols were effective to reduce spasticity in short term. Finally, physical activity can prevent obesity and improve body composition in subjects with SCI
Subject: Traumatismos da medula espinal
Composição corporal
Estimulação elétrica
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2015
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Azevedo_ElizaReginaFerreiraBragaMachadode_D.pdf14.11 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.