Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/312428
Type: TESE
Title: Vigilância de infecção de sítio cirúrgico em pacientes egressas no ambulatório de ginecologia de um hospital de ensino
Title Alternative: Surgical site infection surveillance in discharged gynecological patients into teaching hospital ambulatory
Author: Madeira, Maria Zélia de Araújo, 1965-
Advisor: Trabasso, Plinio, 1963-
Abstract: Resumo: INTRODUÇÃO: As Infecções do Sítio Cirúrgico (ISC), compreendendo de 14% a 16% das encontradas em pacientes hospitalizados, são classificadas em incisional superficial, incisional profunda ou de órgão/cavidade. Entre 12% e 84% dessas infecções são detectadas depois que o paciente deixa o hospital, daí a importância da realização da vigilância pós-alta hospitalar. OBJETIVOS: Implementar um serviço de vigilância pós-alta de ISC em mulheres que realizaram cirurgia ginecológica em um Hospital de Ensino em Teresina-PI; monitorizar a ocorrência de ISC e sua associação com fatores de risco; caracterizar o perfil sociodemográfico desse contingente; determinar a taxa de incidência de ISC no ambulatório de ginecologia por meio da vigilância; e identificar o perfil das ISC diagnosticadas após a alta hospitalar. MÉTODO: Estudo quantitativo e prospectivo, realizado no ambulatório de ginecologia do Hospital Getúlio Vargas, o qual é de ensino público, geral, de grande porte e de referência em saúde para o Estado do Piauí e demais regiões do Norte e Nordeste do Brasil. A população foi de 1.026 mulheres egressas do hospital de ensino, que realizaram cirurgia ginecológica, no período de junho de 2011 a março de 2013. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa da UFPI, sob o CAAE: 0059. 045. 000.11. RESULTADOS: Utilizou-se a vigilância epidemiológica às ISC do tipo busca ativa, por 30 dias, no ambulatório de ginecologia, por meio de contato presencial e telefônico. A taxa de retorno das mulheres para o ambulatório foi de 86,6% e a incidência de ISC foi de 5,8%, destas, 71,7% foram classificadas como incisional superficial e 28,3% como incisional profunda. O tempo médio entre a cirurgia e o diagnóstico de ISC foi de 12,9 dias; a maior incidência se encontra na faixa etária de 25 a 44 anos (44,3%) de idade; procediam da capital 57,8% e, do interior do Estado, 42,2%; 63% são casadas, 61% tinham até o ensino fundamental; economicamente, 46,4% declararam renda familiar de 1 (um) salário mínimo. Os fatores de risco para o desenvolvimento de ISC foram: Tempo PO (dias), Neoplasia e Diabetes mellitus. CONCLUSÃO: Evidenciou-se o incremento da notificação de incidência de ISC, o que aponta para a importância do acompanhamento das mulheres sob vigilância pós-alta, utilizando uma estratégia sistematizada. Palavras chaves: Vigilância epidemiológica, Procedimentos Cirúrgicos em Ginecologia, Infecção de ferida operatória

Abstract: INTRODUCTION: The Surgical Site Infection (SSI) understanding 14% to 16% of those found in intern patients, and be assorted in superficial incisional SSI, deep incisional SSI, or organ or space SSI. Between 12% and 84% those infections are detected after the patient leaves hospital, hence the importance of post-discharge surveillance. OBJECTIVES: The post-discharge surveillance woman service implementation who underwent gynecological surgery in school hospital in Teresina - PI; monitor the occurrence of ISC and association with risk factors; characterizing the socio-demographic profile; appoint incidence rate (SSI) in gynecological ambulatory for surveillance method, and identify the profile of SSI misdiagnosed after discharge. METHODS: Prospective and quantitative study, accomplished in gynecological ambulatory in Getulio Vargas Hospital, which is for public education, and a large general hospital, and the health reference for the state of Piauí and further the North and Northeast regions of Brazil. The population was 1026 patient women which has undergone gynecological surgery in period from june 2011 to march 2013. The project was approved for the UFPI Research Ethics Committee, under the CAAE: 0059 045 000.11. RESULTS: It was used SSI epidemiologic surveillance, type active report for 30 days in gynecological ambulatory, by face or telephonic contact. Return rate of women to gynecological ambulatory was 86,6% and SSI incidence was 5,8%, those 71,1% was classed in superficial incisional and 28,3% deep incisional. The average time betwixt surgery and SSI diagnosis was 12,9 days; the highest incidence is in the age group 25-44 years (44.3%); came from the city (57,8%) e countryside of the State (42,2%), 63% married women, had basic education 61%, 46,4% declare having minimum wage. The risk factors to SSI development was: OP Time (days), neoplasm and Diabetes mellitus. CONCLUSION: Highlighted the increased incidence of SSI notification, pointing to the importance of accompanying the women in post-discharge surveillance, using a systematic strategy. Key words: Epidemiological surveillance, Gynecologic Surgical Procedures, Surgical wound infection
Subject: Vigilância epidemiológica
Language: Multilíngua
poreng
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2014
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Madeira_MariaZeliadeAraujo_M.pdf1.37 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.