Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/312414
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Evolução da mortalidade infantil e perinatal no municipio de Campinas/SP no periodo de 1970 a 1995
Author: Barreto, Marcia Araujo
Advisor: Barros, Marilisa Berti de Azevedo, 1948-
Abstract: Resumo: OBJETIVO: Estudar a qualidade da informação e descrever a evolução da Mortalidade Infantil (MI) e Perinatal e de seus componentes no município de Campinas/SP/Brasil de janeiro de 1970 a dezembro de 1995. POPULACÃO: Dados secundários relativos a crianças falecidas com menos de um ano de idade, distribuídas por grupos etários (menores de um dia, de um a seis dias, de 7 a 27 dias e de 28 a 364 dias) residentes neste município no ano de sua morte e fetos de mães residentes neste mesmo município e no ano de sua morte, ambas ocorridas neste ou em outros municípios. METODOLOGIA: Trata-se de um estudo descritivo longitudinal de base populacional (estudo de tendência) podendo ser considerado um estudo ecológico de comparação de séries cronológicas. Iniciando pela análise da qualidade das informações, são discutidos aspectos que abrangem desde os documentos (Declaração de Óbito e Declaração de Nascimento) utilizados em sua geração, até as limitações da base de dados, passando pelas defmições e critérios empregados. Segue a apresentação da evolução temporal da Mortalidade Infantil e Perinatal de Campinas comparadas com outros locais de diferentes abrangências (países, regiões, capitais e municípios). Os dados não foram padronizados para as comparações, mas buscou-se enfatizar os aspectos das mudanças no padrão apresentado entre ~eus componentes e das conquistas na redução relativa destas mortes, obtidas por ajuste a retas (regressão linear) das curvas de mortalidade. RESULTADOS E CONCLUSOES: Em relação à qualidade da informação observou-se uma subenumeração de óbitos infantis e fetais, além de uma cobertura inferior à apresentada pelo IBGE. Constatou-se também uma má qualidade no preenchimento das DOs, sendo que de um modo geral estas foram preenchidas mais adequadamente para os óbitos Fetais comparadas com as dos Infantis, em . especial para as variáveis: TEMPO DE GESTAÇÃO, IDADE DA MÃE e OCUPAçAo DA MÃE. Em relação ao percentual de "Causas Mal Definidas" observou-se uma maior concentração à medida que a mo~e se aproxima do momento do nascimento, se apresentando consideravelmente maior para as mortes Fetais Tar;f1ias, quando comparadas aos óbitos Infantis, em todo o período de 1980 a 1995. Entretanto, apesar da tendência de piora na qualidade da informação sobre a causa da morte, a magnitude das "Causas Mal Definidas" não ultrapassou 10% para os óbitos Infantis (exceção aos PosNeonatais no período de 1991 a 1995) e 15% para os óbitos Fetais Tardios (exceto no ano de 1987), em praticamente todo o período. Em Campinas a MI no primeiro ano de yida apresentou significativa ,redução nas últimas décadas: 81,1% no período, de 1.g70 a 1995. O componente PosNeonatal foi o que mais contribúiu para a redução da MI neste município. Entretanto as MI Neonatal Precoce e Tardia não apresentaram uma redução assim tão acentuada. Quantitativamente, a redução nos coeficientes dos componentes da MI, nestes 26 anos estudados, foi de 98,0% para o PosNeonatal e de 56,2% para o Neonatal; este por sua vez, compôs-se de reduções de 75,6% para o Neonatal Tardio e de 50,2% para o Neonatal Precoce. A MI Perinatal e seus componentes seguiram um curso em geral descendente apresentando uma redução linear de 62,4% no período do estudo.O componente de Natimortalidade (redução relativa de 74,8%) efetivamente determinou este comportamento do período perinatal, pois ambos apresentaram um padrão semelhante, enquanto o componente Neonatal Precoce, com um comportamento linear de baixa redução relativa (50,2%) simplesmente contribuiu com uma parcela pouco variável em relação à Natimortalidade, ao longo de todo o período. Padrão semelhante de declínio na evolução da MortalidadE Infantil e Perinatal foi observado no Estado de São Paulo, no Brasil, em suas regiões e capitais e em outros países. Destaca-se a situação privilegiada de Município de Campinas em relação ao Brasil, suas regiões, capitais e em relação à maioria dos municípios analisados, mas chamando a atenção ao atraso em mais de duas décadas em relação ao padrão já alcançado por alguns países (Japão: Suécia, Nova Zelândia, EUA e Inglaterra), indicando o potencial para aperfeiçoamento direcionado a níveis mais baixos de Mortalidade. Em que pese a escassez de dados mais completos, os quais permitiriam análises mais reveladoras no escopo de uma DETERMINAÇAO SOCIAL DO PROCESSO SAÚDE-DOENÇA, detectouse a prevalência de desigualdades no comportamento da Mortalidade Infantil ~ Perinatal entre o município de Campinas e alguns países de mais elevadc desenvolvimento social. Este estudo, entretanto, longe de pretender conclusões defmitivas, abre janelas à realização de novas pesquisas, preferivelmente as qu~ buscarem especificamente construir indicadores municipais intrínsecos clarificadores, úteis à quantificação das diferenças e razões existentes no PERFIl REPRODUTIVO dos distintos grupos populacionais. E especialmente as qu< buscarem sim,ultaneamente monitorar, mediante avaliações sistemáticas, a eficácÜ: das políticas públicas, incluindo o impacto dos serviços sanitários e das mudanças econõmico-sociais sobre as iniquidades em saúde e condições de vida, para os diferentes territórios e grupos sociais

Abstract: OBJECTIVE: To describe the evolution of Infant and Perinatal Mortality and their components in Campinas, in the period from 1970 to 1995. POPULATION: Deceased children less than one year old, distributed by age groups (less than one day, from one to six days, from seven to 27 days, and from 28 to 364 days) living in this municipality in their death year, and fetuses whose mothers were living in this same municipality in their death year, both occurring in this or other municipalities. METHODOLOGY: We deal with a population-based longitudinal descriptive study (a secular trend study) which can be considered an ecological study of chronological series comparison. The study starts with the analysis of the quality of data, discussing aspects ranging from their generation (Death and Birth Certificates) to definitions and criteria uti1ized, inc1uding database limitations. It follows with the presentation of the time evolution of Infant and Perinatal Mortality for Campinas, together with comparisons to other places ofvarying areas (countries, regions, capitals, and municipalities). Data were not standardized for comparisons, but emphasis was given on aspects of changes in the presented pattem among the Infant Mortality components, as well as on achievements in the relative reduction of these. deaths, as obtained from linear regression lines on the mortality curves. RESULTS AND CONCLUSION: In that it concems to the quality of data we have observed an under-reporting of infant and fetaI obits, besides a lower coverage in relation to that presented by the Geographica1 and Statistical Brazilian Institute (IBGE). We have al50 verified a bad filling quality of Death Certificates, which genera11y were more adequately filled to Fetal deaths when compared to Infant deaths, specia1ly for the variables gestation . duration, age of mother and occupation of mother. Concerning "Rl-defined Causes" we have observed a major concentration as death approximates the birth time, showing itself considerably greater to Late Fetal deaths, when compared to lrifant obits, over the-entire period from 1980 to 1995. liowever, despite of the worse trend in the quality of data on the cause of death, the magnitude of the "Rl-defined Causes" did not overcome 10% for the In/ant obits (except for PostNeonatal deaths in the period from 1991 to 1995) and 15% for Late Fetal obits (except in the year 1987), in pratica1ly the entire period. In Campinas, the Infant Mortality in the first year of life has presented significant reduction in the last decades (81.1% in the period from 1970 to 19~5). The PostNeonatal component was the leading contributor to this change. However, the Early and Late Neonatal componel}ts- of Infant Mortality did not present 50 deep a reduction. Quantitatively, the reduction in the coeficients of the Infant Mortality components, in these 26 years studied, was 98.0% for PostNeonatal and 56.2% for Neonatal; this, in tum, was compounded of reductions of 75.6% for Late Neonatal and 50.2% for Early Neonatal. The Perinatal Mortality and its components followed, in general, a descending course, presenting a linear reduction of 62.4% in the study period. The component of Fetal Deaths (relative reduction of 74.8%) efIectively determined this behavior of the Perinatal period, because both Fetal Deaths and Perinatal have presented similar pattems, whi1e the Early Neonatal component, with a linear behavior of lower relative reduction (50.2%) simply contributed with a low variation relative to Fetal death rate over the entire period. Similar pattems of decline in the evolution of Infant and PerinataI Mortality rates were observed in São Paulo state, as well as in other regions and capitais in Brazil, in the country as a whole and in other countries. It must be highlighted the privileged situation of Campinas MunicipaJity relative to Brazil as a whole, relative to other regions and capitais in Brazil, and relative to the majority of the analysed municipaJities, ca11ing for attention to the over two decade delay relative to the partem already reached by some other countries (Japan, Sweden, New Zealand, United States, and England), and indicating the potential to improvement directed to lower levels of mortality. In despite of shortage of integral data, which would allow more revealing analyses on the scope of a Social Determination of the Health-Disease Process, we have detected prevalence of inequaJities in the Infant and PerinataI Mortality behavior between Campinas Municipality and some countries of higher social development. However, far from intend defmitive conclusions, this study opens windows to new researches, preferably those specifically aiming to construct intrinsic, clarifying municipal indicators, useful to quantification of existing diferences and rates in the Reproductive Profile of the distinct populational groups. And specially those researches simultaneouly aiming to assess, through sistematic evaluations, the effectiveness of public policies, including the impact of both health services and economic-social changes on the health and life conditions
Subject: Epidemiologia
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: BARRETO, Marcia Araujo. Evolução da mortalidade infantil e perinatal no municipio de Campinas/SP no periodo de 1970 a 1995. 1998. 195 p. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/312414>. Acesso em: 24 jul. 2018.
Date Issue: 1998
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Barreto_MarciaAraujo_M.pdf27.27 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.