Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/312380
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Razão, saude e violencia :, ou, a (im)potencia da racionalidade medico-cientifica
Author: Spinelli, Hugo Guillermo
Advisor: Campos, Gastão Wagner de Sousa, 1952-
Abstract: Resumo: A Racionalidade Médico-Científica (RMC) situa a violência, atualmente, como um grave problema. Diante dessa situação, nossas perguntas são: como se relaciona este problema com a lógica constitutiva da RMC? Ou seja, quais são as bases racionais a partir das quais se pretende abordar o problema da violência? Estes questionamentos nos levam a desconstruir a própria RMC. Desconstrução que situamos no âmago do debate da crise da modernidade e da própria razão moderna, a razão cartesiana. Essa racionalidade, sustentada em uma trama discursiva, pouco a pouco foi se inscrevendo no senso comum dos trabalhadores da saúde e dos grupos sociais e os levou a uma forma "particular" de ver os problemas, a qual substituiu o social, em função da biologização dos problemas. Diante disso, realizamos a enunciação hipotética de que a violência representa um ponto de inconsistência no estado de situação da RMC, buscando com isso dar conta da destotalização e do múltiplo que perpassa o Processo Saúde-Doença-Atenção (PSDA) e que tal racionalidade não reconhece. A potência se toma impotência. Este trabalho tem como objeto a verdade e não o saber: em função disso planejamos a necessidade de se apostar em processos de verdade que instalem um novo estado de situação sobre o PSDA. Em todo esse processo denunciamos que o uso atual da ética se inscreve como um simulacro que busca e consegue suturar a inconsistência que a violência ressalta no estado de situação da RMC. Diante dos cursos humanistas da ética e bioética, opomos a ética da verdade, a qual busca instalar um pensamento crítico sobre as situações que se enfrentam, reconhecendo nelas processos singulares que exigem apostas em função de se conseguir instalar o trajeto de uma verdade, verdade que pode estar na ciência; na arte; na política; ou no amor

Abstract: Medical-Scientific Rationality (MSR) currently places violence as a serious problem. Facing this situation, our queries are: how does this problem relates itself to the constitutive !logic of the SR? That means: What are the rational bases from which one may approach the prdplem of violence? hese queries leads us to deconstruct the MSR in itself. Deconstruction which we locate in the core of the debate about the crisis of modernity and even the modern reason, the Cartesian reason. This rationality, supported in a discursive plot, inscribed itself step by step in the common sense of health workers and social groups, leading them towards a "particular" way of facing problems, which has substituted the social in behalf of biologization of the problems. Before this, we accomplished the hypothetical enunciation that violence represents a point of inconsistence in the MSR's state of situation, therewith looking forward to coping with the detotalization and the multipIe which pass by the Health-Sickness-Attention Process (HSAP) and that such a rationality does not recognize. Potency tums ~ut to be impotence. This piece of work has got the truth as its object of study - and not knowledge properly said. Owing to this fact, we have planned the necessity of betting in truth processes which may install a new state of situation over the HSAP. In alI this process we denounce that the current use of ethics inscribes itself as a simulacrum which is in search of and manages to join by suture the inconsistence that violence highlights in the MRS's state of situation. Against the humanistic courses of ethics and bioethichs we oppose the ethichs of truth, which tries to install a critical thought upon situation that are faced, recognizing singular processes in them that demand bets on behalf of managing to install the track of the truth, truth which may be in Science; in the Arts; in Politics; or in Love
Subject: Bioética
Verdade
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: SPINELLI, Hugo Guillermo. Razão, saude e violencia :, ou, a (im)potencia da racionalidade medico-cientifica. 1998. 341 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/312380>. Acesso em: 23 jul. 2018.
Date Issue: 1998
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Spinelli_HugoGuillermo_D.pdf13.39 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.