Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/312362
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Evolução da prevalencia de laqueadura tubaria : associação com variaveis demograficas e sociais das mulheres e de seus companheiros
Author: Perdigão, Antero Marques
Advisor: Hardy, Ellen Elizabeth, 1939-
Abstract: Resumo: O presente estudo teve por finalidade investigar a evolução da prevalência da laqueadura tubária no Estado de São Paulo, bem como avaliar a associação desta cirurgia com algumas características sócio-demográficas das mulheres e de seus maridos/companheiros. Para isto, foi realizada uma análise secundária de dados obtidos em dois estudos de avaliação do Programa de Assistência Integral à Saúde da Mulher (PAISM), realizados em 1988 e 1991, numa amostra de mulheres do Estado de São Paulo. Foram analisadas as respostas de 992 e 1294 mulheres de 15 a 49 anos, entrevistadas em cada um desses anos. Para formar o banco de dados e para a análise estatística foi usado o SPSS-PC+4.01 (Statistical Package for the social Sciences). Para análise estat1stica foram utilizados os testes de qui-quadrado, de Fischer e de tendência, e feita uma regressão logística. Na análise univariada a prevalência de laqueadura tubária foi maior nos grupos de mulheres com maior idade e número de gestações; entre as com menor escolaridade delas e de seus companheiros, e entre as que moravam em habitação classificada como boa. Após controlar por idade e número de gestações em 1988, apenas a menor escolaridade do companheiro e ter sido alguma vez casada mantiveram associação estat1stica com a prevalência de laqueadura; em 1991, nenhum desses fatores manteve a associação. A prevalência de laqueadura foi significativamente maior em 1991 do que em 1988, apenas entre mulheres com 35 anos ou mais, e entre as com 51 a 81 série de escolaridade. As mulheres laqueadas apresentaram uma prevalência significativamente menor de corrimento vaginal do que as não laqueadas. Não houve diferenças significativas entre os dois grupos quanto a irregularidade menstrual, dor na relação sexual ou na menstruação e outros problemas ginecológicos. Conclui-se que não há uma associação muita clara entre condições sócio-econômicas e ligadura tubária, que não houve grandes variações na prevalência entre 1988 e 1991, e que a ligadura não parece provocar maior incidência de problemas ginecológicos

Abstract: The aims of this study were to evaluate the evolution of the prevalence of tubal ligation in São Paulo State, and the possible association between prevalence and socio-demographic characteristics of the women and their partners. A secondary analysis of data obtained by two studies carried out to evaluate the program for Integral Assistance to Women's Health (PAISM) in São Paulo State had ben done in 1988 and 1991. The studies included 992 and 1,294 sterilized women, 15-49 years of age. The statistical Package for the Social Sciences was used to create a new data base and for statistical analysis. Chi square, Fisher and trend tests were used, as well as logistic regression. The univariate analysis showed a higher prevalence of tubal ligation among older women and those with a larger number of gestations, among those with fewer years of schooling or whose partners had less schooling, and among women living in houses qualified as good. After controlling by age and number of gestations, only less schooling of the partners and ever having been married maintained their association with prevalence of tubal ligation in 1988, while only age and number of gestations were associated to tubal ligation in 1991. prevalence of tubal ligation was significantly higher in 1991 only among women over 34 years of age and having 5 through 8 years of schooling. Sterilized women presented a signif icantly lower prevalence of vaginal discharge than those who had not had a tubal ligation. No differences were found when comparing the incidence of menstrual irregularities, pain during intercourse or during menstruation, nor of other gynecological problems. It is concluded that there was no clear association between socio-economic leveI and prevaIence of tubal ligation, that there were not great changes in prevalence between 1988 and 1991, and that tubal ligation does not seem to be associated with any increase in gynecological complaints
Subject: Esterilização tubaria
Planejamento familiar
Demografia
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 1996
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Perdigao_AnteroMarques_M.pdf2.24 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.