Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/312352
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: O emprego do potencial de longa latencia (P3) no diagnostico de complicações neurologicas e psiquicas do lupus eritematoso sistemico : comparação com a avaliação clinica e neuropsicologica
Author: Avila, Jose de Oliveira
Advisor: Quagliato, Elizabeth Maria Aparecida Barasnevicius, 1954-
Abstract: Resumo: Com o objetivo de correlacionar achados neurológicos e neuropsicológicos com os parâmetros dos potenciais evocados de longa latência, trinta e três pacientes do sexo feminino com diagnóstico de lúpus eritematoso sistêmico (LES) foram estudadas quanto a seus potenciais evocados visuais (PEVs) auditivos de tronco encefálico (PEAs), somato-sensitivos (PESs) (de latência e corticais), e auditivos de longa latência (endógenos), e também submetidas a uma avaliação neurológica padronizada, ao Mini-Mental State (MMS) e ao Exame do Estado Mental de Strub e Black (MSE). 31% dos pacientes examinados apresentavam anormalidades no exame neurológico, sendo que 14,6% apresentavam anormalidades múltiplas. 9,7% dos pacientes apresentavam uma pontuação no MMS abaixo do mínimo aceitável para sua escolaridade. Foi encontrado uma correlação significativa entre o encontro de anormalidades no exame neurológico padronizado e uma pontuação abaixo do valor mínimo para a escolaridade no MMS. O achado de PEVs ou PESs anormais previa um exame neurológico anormal. Não encontramos correlação entre um potencial evocado anormal de qualquer modalidade inclusive um P300 corrigido para a idade, e o resultado final no MMS. Foi encontrada por outro lado, uma correlação negativa entre a latência P300 e o desempenho em um teste de memória lógica. A utilização dos potenciais endógenos no LES se justificaria apenas pela alta prevalência de complicações neurológicas, e não pelo valor preditivo positivo do teste. A correlação entre a latência do potencial P300 e os resultados em um teste de memória lógica reforça a hipótese de uma geração bitemporal potencial.

Abstract: In an attempt to correlate neurological and neuropsychological findings with long-latency (endogenous) evoked potentials parameters, thirty-three female patients with a diagnosis of systemic lupus erythematosus were studied as to their visual auditory (brainstem), somatosensory (short latency and cortical) and long-latency (endogenous, P300) auditory evoked potentials and also submitted to a standardised neurological examination, to Folster's Mini-Mental State (MMS) and to Strub and Black's Mental Status Examination (MSE). 31% of the patients had abnormalities in their neurological examinations (1436% with multiple abnormalities); 937% had a MMS score below minimum for their educational level. There was no correlation between abnormal findings in the neurological examination and an abnormal MMS score. The finding of an abnormal visual or somatosensory evoked potential could predict an abnormal clinical examination. No correlation was found between an abnormal evoked potential of any modality - including age-corrected P300 latency - and MMS score corrected for educational level. Nevertheless a negative correlation was found between P300 latency and number of retrievals in a logical memory test. The use of the endogenous evoked potentials as a diagnostic tool in SLE may be justified by the high prevalence of neurological complications but not by the positive predictive value of the tests. The correlation between P300 latency and logical memory reinforces the hypothesis of a generator of this wave in both temporal regions.
Subject: Atenção
Psicofisiologia
Eletrofisiologia
Potencial humano (Eletrifisiologia)
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 1998
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Avila_JosedeOliveira_D.pdf2.67 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.