Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/312098
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: O sentido olfatório e manifestações neuropsiquiátricas no lúpus eritematoso sistêmico
Title Alternative: The olfactory system and neurospychiatric manifestations in patients with systemic lupus erythematosus
Author: Peres, Fernando Augusto, 1988-
Advisor: Appenzeller, Simone, 1974-
Abstract: Resumo: Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES) é uma doença autoimune, crônica e mutissistêmica, caracterizada por períodos de atividade e remissão. Manifestações neuropsiquiátricas ocorrem em 12-95% dos pacientes, dependendo dos critérios diagnósticos aplicados e estão associadas a uma elevada morbi-mortalidade. Vários anticorpos têm sido relacionados com manifestações neuropsiquiátricas no LES, os mais frequentemente associados são anticorpo antifosfolípides, um subtipo de dupla-fita DNA e anticorpo anti-P ribossomal. Estudos recentes têm demonstrado a alta especificidade do anti-P ribossomal para o LES podendo ser também um marcador para atividade de doença. Anti-P ribossomal são capazes de se ligar em células neuronais em áreas relacionadas com o sistema límbico que são associadas ao olfato. Os objetivos deste trabalho foram analisar a prevalência de distúrbio olfatório no LES, correlacionar essas alterações olfatórias a alterações de humor, ansiedade, presença de manifestações neuropsiquiátricas e atividade e dano da doença e associar os níveis de anti-P ribossomal com distúrbios olfatórios, presença de manifestações neuropsiquiátricas e atividade da doença. Foram selecionados pacientes com diagnóstico de LES, seguidos no ambulatório de reumatologia do HC-UNICAMP, no período de março de 2011 a dezembro de 2013. O grupo controle foi constituído por voluntários sadios com idade e gênero semelhantes aos do grupo de pacientes com LES, que não apresentavam histórico de doenças autoimunes ou alérgicas, sem alterações de vias aéreas superiores e sem histórico de uso de drogas inalantes. Foram incluídos 120 pacientes com LES, e 135 voluntários sadios. Ansiedade foi encontrada em 67,5% dos pacientes e em 39,2% dos controles e depressão foi identificada em 46,6% dos pacientes e em 28,8% dos controles. Alteração olfatória foi observada em 51,6% dos pacientes e em 29,6% dos controles. O anti-P ribossomal foi identificado exclusivamente em pacientes e estava presente em 13 (10,8%) deles. Alteração olfatória foi associada com LES; pacientes tiveram médias significativamente menores nas três fases da avaliação olfatória e, consequentemente, no somatório total do teste (LDI). A alteração olfatória ainda se associou inversamente com ansiedade (p=0,004; R= -0,18), depressão (p=0,01; R= -0,232), dano da doença (p=0,002; R=-0,282) e maior idade (p<0,001; R= -0.353). Não encontramos associação entre alteração olfatória, sexo ou atividade da doença (p=0,891 e p=0,914, respectivamente). O LDI se correlacionou com histórico de manifestações NP, sendo que pacientes com manifestações NP tinham média de LDI de 28,35 (DP±5,30) pontos, enquanto que pacientes sem manifestações NP tinham média de LDI de 30,8 (DP±4,51) pontos (p<0,05). O Anti-P ribossomal não foi associado com a presença de manifestações NP (p=0,730), porém quando analisamos os subitens classificatórios de manifestações NP separadamente, observamos associação entre anti-P ribossomal positivo e psicose (p<0,05). Observamos ainda associação do anti-P ribossomal com atividade da doença. Não observamos outras associações com anti-P ribossomal. Concluímos que pacientes apresentam uma significativa diminuição do olfato quando comparados a controles sadios, que se associa com histórico de manifestações neuropsiquiátricas, ansiedade, depressão, dano da doença e maior idade. Os anticorpos anti-P ribossomais estavam presentes exclusivamente em pacientes e se associou com psicose e atividade da doença

Abstract: Systemic lupus erythematosus (SLE) is an autoimmune, chronic, multisystemic disorder characterized by periods of activity and remission. Neuropsychiatric manifestations occur in 12-95 % of SLE patients, depending on the diagnostic criteria applied and are associated with a high morbidity and mortality. Several antibodies have been associated with neuropsychiatric manifestations in SLE. These antibodies are more often associated with antiphospholipid antibody, a subtype of double-stranded DNA and antiribosomal P antibodies. Recent studies have demonstrated the high specificity of antiribosomal P antibodies for SLE, suggesting that antiribosomal P antibodies may be a biomarker for disease activity. Antiribosomal P antibodies are able to bind to neuronal cells in areas of the limbic system which are responsible to the olfactory. The objectives of this study were to analyze the prevalence of olfactory disorder in SLE, to correlate olfactory changes to mood disorders, anxiety, presence of neuropsychiatric manifestations, disease activity and damage, and also to associate of the presence of antiribosomal P antibodies with olfactory disorders, presence of neuropsychiatric manifestations and disease activity. One hundred and twenty SLE patients included in the study were followed at the outpatient rheumatology UNICAMP, from March 2011 to December 2013. The control group was consisted of 135 healthy volunteers matched by age and sex. They had no history of autoimmune or allergic diseases, with no changes in upper airway and no history of use of inhalant drugs. Anxiety was observed in 67.5 % SLE patients and in 39.2% controls. Depression was identified in 46.6 % SLE patients and in 28.8% controls. Olfactory changes were observed in 51.6 % SLE patients and in 29.6 % controls. Anti-ribosomal P antibodies were identified exclusively in SLE patients and were present in 13 (10.8%) of them. Olfactory changes had significantly lower averages in all three phases of the olfactory evaluation and, consequently, in the total sum test (LDI). The olfactory also inversely associated with anxiety (p = 0.004, R = -0.18), depression (p = 0.01, R = -0.232), cumulative damage (p = 0.002 R = -0.282) and age (p <0.001 , R = -0.353). We did not observe an association between olfactory changes and gender or disease activity (p = 0.891 and p = 0,914), respectively. The TDI was correlated with a CNS involvement, and patients with NPC [mean of 28.35 (SD ± 5.30] points, whereas patients without CNS involvement had a mean TDI of 30.8 (SD ± 4.51) points (p < 0.05). Antiribosomal P antibodies were not associated with the presence of CNS involvemnt (p = 0.730), but when we analyzed each subitem of CNS involvement separately, we observed an association between the presence of antiribosomal P antibodies and psychosis (p < 0.05). We also observed an association between antiribosomal P antibodies and disease activity (p < 0.05). We concluded that SLE patients show a significant decrease of smell when compared to healthy controls. Olfactory changes are associated with a history of neuropsychiatric symptoms, anxiety, depression, cumulative damage, and older age. Antiribosomal P antibodies were exclusively observed in SLE patients compared to healthy controls and were associated with psychosis and disease activity
Subject: Transtornos do olfato
Lúpus eritematoso sistêmico
Lúpus eritematoso sistêmico neuropsiquiátrico
Ansiedade
Depressão
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2014
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Peres_FernandoAugusto_M.pdf1.4 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.